Lina Bo Bardi – biografia, curiosidades, principais obras e o legado do MASP

Seja você arquiteto ou designer de interiores, um apreciador de artes ou somente uma pessoa que gosta de inspiração, certamente você precisa conhecer um pouco melhor a história da arquiteta Lina Bo Bardi e suas obras.

Lina Bo Bardi nasceu em Roma, cidade onde viveu vários anos, e cursou faculdade de arquitetura.

Sua história começou a mudar quando Lina Bo Bardi se mudou para Milão, onde trabalhou com Giò Ponti, arquiteto renomado na época.

Lina Bo Bardi e seus projetos começam então a ganhar certa notoriedade em Milão e ao redor da Itália, chegando a criar seu próprio escritório.

Porém estamos em 1943, em plena Segunda Guerra Mundial, e Lina Bo Bardi começa a enfrentar sérias dificuldades para conseguir novos clientes e, inclusive, tem seu escritório bombardeado durante a guerra.

Esse episódio vira o motivador para Lina Bo Bardi mudar o direcionamento da sua vida por completo.

Ela conhece o também arquiteto Bruno Zevi e funda uma revista semanal de arquitetura chamada A Cultura da Vida (A cultura della vita). Indignada com a guerra, Lina Bo Bardi também entra para o Partido Comunista Italiano e participa da resistência à invasão alemã ao país.

Com o fim da guerra, a derrota da Itália e todos os traumas gerados pelo combate, Lina Bo Bardi decide que é hora de outra mudança radical em sua vida.

Lina Bo Bardi casa-se com o jornalista Pietro Maria Bardi e muda-se para o Brasil, onde viveu o restante da sua vida. Lina Bo Bardi chega em 1946 e em 1951 já se torna cidadã brasileira.

Vamos agora conhecer um pouco mais da biografia de Lina Bo Bardi, suas principais habilidades e como isso influenciou a arquitetura brasileira com obras emblemáticas.

Principais habilidades de Lina Bo Bardi

 

Lina Bo Bardi

Lina Bo Bardi

  • Lina Bo Bardi foi conhecida por ser uma grande pensadora. Passava horas refletindo e anotando tudo que via ao redor da cidade e usava experiências da vida antes de fazer qualquer desenho à mão.
  • Foi uma das poucas arquitetas que conseguiu unir o moderno ao popular. Ela mostrou que o moderno pode se unir com o simples, com o plural.
  • Usou muito da cultura em suas obras, assim como sentimentos melancólicos e impulsos revolucionários e políticos.
  • Uniu a antropologia à arquitetura. Acreditava que um espaço era algo vivido e não somente números e plantas.
  • Lina Bo Bardi foi arquiteta, artista plástica, cenógrafa, professora e muito mais.

A trajetória de Lina Bo Bardi no Brasil

 

Lina Bo Bardi na sua Casa de Vidro

Lina Bo Bardi na sua Casa de Vidro

A biografia de Lina Bo Bardi foi marcada por sua permanência no Brasil.

Lina Bo Bardi deseja primeiramente morar no Rio de Janeiro, apaixonada pela natureza e arquitetura da cidade. Entretanto, acaba vindo morar em São Paulo, onde faria história e deixaria um legado incrível como a Casa de Vidro, MASP, SESC Pompeia e outras obras.

Ela finalmente consegue aplicar seu estilo de arquitetura moderna, porém diretamente ligado com a cultura popular da cidade. Esses dois estilos começam a se mesclar e fazer parte dos traços de Lina Bo Bardi.

Lina Bo Bardi fala em um espaço a ser construído pelas próprias pessoas, um espaço inacabado que seria preenchido pelo uso popular cotidiano.

O Brasil influenciou diretamente seu estilo e sua vida, como ela mesmo disse uma vez:

“Naturalizei-me brasileira. Quando a gente nasce, não escolhe nada, nasce por acaso. Eu não nasci aqui, escolhi este lugar para viver. Por isso, o Brasil é meu país duas vezes, e eu me sinto cidadã de todas as cidades, desde o Cariri ao Triângulo Mineiro, às cidades do interior e da fronteira”.

– Lina Bo Bardi

Apesar do grande sucesso e reconhecimento de hoje, Lina Bo Bardi teve grandes dificuldades enquanto morava no Brasil, apesar de amar o país.

Lina Bo Bardi passou por vários momentos de adversidades, falta de projetos, clientes e ostracismo. Viver em uma época onde mulheres ainda não tinham tantos direitos, onde ainda se discriminava – e muito – os estrangeiros e se defendia um estilo mais direto e formal foi um desafio, afinal Lina Bo Bardi e sua arquitetura representavam o oposto de tudo isso.

Lina Bo Bardi era mulher, estrangeira e buscava um estilo livre, solto, moderno, arriscado e totalmente diferente de tudo que foi feito durante sua época. Certamente, Lina Bo Bardi vivia a frente do seu tempo e poderia ter deixado um legado ainda maior se tivesse mais chances.

Quer conhecer mais mulheres a frente de seu tempo? Veja 10 arquitetas famosas e suas obras reconhecidas mundialmente.

Para suportar tudo isso, Lina Bo Bardi sempre se reinventava, inovava e buscava soluções.

Lina Bo Bardi foi também designer, editora de revista, escritora, curadora de museus e antropóloga. E tudo isso representava arquitetura para ela. Todos esses talentos eram representados de alguma forma nos seus projetos de Lina Bo Bardi, nos seus textos, na sua maneira de ver a vida e a arte.

Agora que já vimos um pouco da biografia de Lina Bo Bardi, vamos conhecer suas principais obras e o legado que ela deixou no Brasil e no mundo.

Deseja imprimir seu próprio estilo de arquitetura e deixar um legado? Inspire-se neste post de nosso blog:

Obras de Lina Bo Bardi: 6 projetos que mudaram a arquitetura brasileira

 

1) Museu de Arte de São Paulo – MASP

 

Lina Bo Bardi: MASP

Lina Bo Bardi: MASP

O museu é uma idealização de Assis Chateaubriand, um dos homens mais influentes do Brasil nas décadas de 40 a 60, e Pietro Maria Bardi (esposo de Lina Bo Bardi).

Originalmente, o MASP ficava localizado na rua 7 abril, no centro de São Paulo. O museu não tem fins lucrativos e toda sua renda é revertida em investimentos para manter o funcionamento e estimular a cultura local e o conhecimento.

As obras iniciais do MASP eram de coleção particular de Assis. Ele havia adquirido as obras a preços extremamente baratos logo depois da Segunda Guerra Mundial, aproveitando-se da fragilidade econômica europeia.

Depois, Lina Bo Bardi começou a selecionar novas obras que foram adquiridas a partir de doações da sociedade local, formando o maior acervo da América do Sul na época.

Foi justamente por esse crescimento no acervo que um novo local se tornou essencial para abrigar o MASP. Aí que começa o projeto de Lina Bo Bardi e o MASP.

Lina Bo Bardi foi convidada para realizar o novo projeto e o museu foi transferido para sua sede atual, na famosa Avenida Paulista em São Paulo.

Lina Bo Bardi: Masp (construção)

Lina Bo Bardi: construção

Lina Bo Bardi: Masp (Construção)

Lina Bo Bardi: construção

O prédio foi doado e uma das condições do doador e da prefeitura da cidade era que a vista para o centro da cidade fosse mantida.

Com isso, Lina Bo Bardi pensou em uma arquitetura com superfícies ásperas e sem acabamentos luxuosos, mantendo o seu estilo de modernismo atrelado a cultura local.

Lina Bo Bardi: Masp (Vista Aérea)

Lina Bo Bardi: vista aérea

A esplanada, conhecida como “vão livre” é um ícone único na arquitetura de São Paulo. Esse vão foi pensado para a população usar como praça e como local de convivência, além de integrar o que é externo e interno ao museu.

É comum ao andar na Avenida Paulista ver dezenas de pessoas na “praça” almoçando, interagindo, convivendo.

Além disso, sob o vão do MASP de Lina Bo Bardi se abriga uma espécie de feira de antiguidades e artesanato aos finais de semana, onde você pode encontrar diversos produtos feitos a mão e peças de época.

Ou seja, o MASP de Lina Bo Bardi também é uma obra que abriga o inesperado.

Lina Bo Bardi: MASP (vão livre)

Lina Bo Bardi: vão livre

Lina Bo Bardi: Masp - Área de convivência

Lina Bo Bardi: Área de convivência

Lina Bo Bardi: Feira Masp

Lina Bo Bardi: Feira de Artesanato

A obra de Lina Bo Bardi no MASP foi idealizada em cada detalhe.

Sua arquitetura se fez presente também nos cavaletes de cristal, criados por Lina Bo Bardi para expor a coleção no segundo andar do prédio. Ao se retirar as obras da parede, você consegue notar como os cavaletes se tornam imponentes e fazem parte da arquitetura.

Pelo grande espaço livre que o museu possui, ele possibilita ao público um convívio próximo com o acervo e deixa os visitantes livres para criarem suas histórias durante a visita.

Lina Bo Bardi: Masp (área de exposição e rampa)

Lina Bo Bardi: Área de exposição e rampa

Lina Bo Bardi: Masp (Auditório)

Lina Bo Bardi: Auditório

Hoje, a coleção do MASP reúne mais de 8 mil obras, incluindo pinturas, esculturas, objetos, fotografias e vestuário de diversos períodos, abrangendo a produção europeia, africana, asiática e das Américas.

O museu conta com um acervo permanente e várias exposições diferentes ao longo do ano.

Lina Bo Bardi: Masp (obras)

Lina Bo Bardi: Masp (obras)

Endereço, horários e valores do MASP

 

Endereço: Avenida Paulista, 1578 CEP 01310-200 Bela Vista – São Paulo – SP

Telefone: 11 3149 5959

Horários: Terça a domingo: 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30) / Quinta-feira: 10h às 20h (bilheteria até 19h30)

O MASP abre normalmente em dias de feriado, com exceção do Natal (dias 24 e 25.12) e ano novo (31.12 e 1.1). Nos demais dias o museu fica aberto normalmente. Qualquer alteração de horário é normalmente comunicada nas mídias sociais do museu.

Valores: Inteira: R$ 40,00 / Meia: R$ 20,00 (Estudantes, professores e maiores de 60 anos)

Toda terça-feira a entrada é gratuita para todos. Para menores de 11 anos, a entrada é gratuita.

* dados retirados do site oficial do masp.

2) Casa de Vidro

 

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro

Foi a primeira das obras de Lina Bo Bardi no Brasil. Além disso, foi também um dos primeiros projetos modernistas que tivemos ciência. A casa foi sua residência por mais de 40 anos e fica localizada no bairro do Morumbi, em São Paulo.

Nessa época (entre 1950 e 1951) o bairro ainda era pouco habitado e a cidade ainda não crescia para a zona sul. Isso possibilitou a Lina Bo Bardi e Pietro um grande terreno e liberdade para criarem algo de acordo com seus estilos e convicções.

A casa, antiga fazenda de Chá Muller Carioba, ganhou esse nome devido a sua imensa fachada de vidro que parece flutuar sobre os pilares que a sustentam.

O jardim ocupa uma área de incríveis 7.000 m² e mostra o amor que Lina Bo Bardi tinha pelo país e pela natureza.

A vegetação foi cuidadosamente preservada e o local foi transformado em vegetação particular, onde Lina Bo Bardi pessoalmente cuidava das plantações.

Além de um grande marco arquitetônico, a Casa de Vidro de Lina Bo Bardi tornou-se um grande polo de convivência para arquitetos e intelectuais da época, que usavam o espaço para trocarem experiências e conceberem novos projetos.

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro por dentro

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro por dentro

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (decoração)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (decoração)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (vegetação)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (vegetação)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (Cozinha)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (Cozinha)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (Áreas Comuns)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (Áreas Comuns)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (Sala)

Lina Bo Bardi: Casa de Vidro (Sala)

Endereço, horários e valores da Casa de Vidro

 

Endereço: Rua General Almério de Moura, 200 – Morumbi São Paulo – SP

Telefone: 11 3744 9902

Horários: A Casa de Vidro, sede do Instituto Lina Bo Bardi e P. M. Bardi, atende o público de duas maneiras:

1) Programa Educativo: apenas por agendamento prévio para visitas individuais ou em grupo, escolas, universidades entre outros. As visitam envolvem atividades específicas e têm duração estimada em 1h30min.

Agende sua visita: educativo@institutobardi.com.br.

2) Visitação Espontânea: não necessita agendamento. Duração entre 45 min e 1 hora. As visitas acontecem em horários específicos: 10h15, 11h45 no período da manhã e 14h15, 15h30 à tarde.

Atendimento: quinta a sábado, das 10h às 16h, última entrada às 15h30.

Valores: Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (estudantes, professores e terceira idade).

* dados retirados do site oficial da casa de vidro.

3) SESC Pompeia

 

Lina Bo Bardi: SESC Pompéia

Lina Bo Bardi: SESC Pompéia

Um dos grandes polos de lazer da cidade de São Paulo, o SESC reúne teatros, quadras esportivas, piscina, lanchonete, exposições, choperia, oficina etc.

É um espaço para cultura e uma excelente programação para qualquer faixa etária.

Uma curiosidade é que na época da inauguração, em 1982, bandas super famosas como Ratos de Porão, tocaram no local. E em 2016, o trabalho de Lina Bo Bardi recebeu um prêmio incrível, sendo reconhecido pelo jornal britânico The Guardian como a 6ª melhor construção em concreto do mundo.

Lina Bo Bardi: SESC Pompéia por dentro

Lina Bo Bardi: SESC Pompéia por dentro

O SESC Pompeia era originalmente uma fábrica e Lina Bo Bardi teve um enorme desafio para transformar o local em tudo aquilo que sonhava e implementar mais uma vez seu estilo moderno ligado ao cultural.

Lina Bo Bardi, como sempre, propôs algumas inovações, como no teatro, onde o público sempre enxerga a outra parte de frente, ao contrário do usual, onde a plateia encara o artista.

Outro fato curioso desta obra de Lina Bo Bardi são os assentos desconfortáveis. Várias pessoas pensam que foi um erro do projeto, mas na verdade os acentos foram feitos de maneira proposital para poder passar uma mensagem, como destaca Lina Bo Bardi:

“Os estofados aparecem nos teatros áulicos das cortes, no setecentos e continuam até hoje no ‘confort’ da sociedade de consumo”

– Lina Bo Bardi

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia (Teatro)

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia (Teatro)

Apesar de um espaço livre, assim como o projeto de Lina Bo Bardi para o MASP, tudo se interliga e tudo foi pensado com o máximo de detalhes.

Cada área tem a intenção de se conectar com a outra, de mostrar para o público que ali é um espaço onde tudo é possível. Os espaços, descritos por ela mesma como “feios” e inacabados, convidam a serem construídos e reconstruídos, e no próprio uso ganharem significados.

Outra marca do prédio são as janelas, aparentemente outro erro de projeto, mas que imitam as formas das batatas brasileiras, que surpreenderam Lina Bo Bardi pelo formato quando ela chegou ao Brasil.

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia visto de cima

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia visto de cima

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia (vista lateral)

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia (vista lateral)

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia (espaço de leitura)

Lina Bo Bardi: Sesc Pompeia (espaço de leitura)

Endereço, telefone e horários do SESC Pompeia

 

Endereço: Rua Clélia, 93 – Pompeia, São Paulo – SP

Telefone: 11 3871 7700

Horários: De segunda a sábado das 09:00 às 22:00 / Domingo das 09:00 às 20:00.

* dados retirados do site oficial do sesc pompeia.

4) Solar do Unhão

 

Lina Bo Bardi: Solar do Unhão

Lina Bo Bardi: Solar do Unhão

Uma das principais obras de Lina Bo Bardi fora de São Paulo.

O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) está localizado no Solar do Unhão.

O museu possui diversos espaços como salas de exposição, teatro, biblioteca e ainda oferece cursos de pintura, gravura, cerâmica etc. Lá você pode encontrar obras incríveis de artistas renomados como Tarsila do Amaral, Portinari entre tantos outros.

Assim como o MASP, o começo do MAM-BA também contou com doações de Assis Chateaubriand.

Esse talvez tenha sido um dos maiores desafios de Lina Bo Bardi na arquitetura, pois por tratar-se de um patrimônio tombado ela não podia mexer tanto na arquitetura original, apesar de ter a missão de revitalizar o local.

Como você pode imaginar, o resultado final ficou incrível e mais uma vez Lina Bo Bardi deu uma aula de modernismo com simplicidade e cultura.

A parte mais icônica do museu talvez seja a “Escada de Lina”, um caracol que liga os andares do museu.

A escada foi feita de madeira maciça e apesar do estilo extremamente moderno e pouco usual para a época, foi inspirada nos “carros de boi”, tão peculiares da cultura baiana.

Lina Bo Bardi: escada de Lina

Lina Bo Bardi: escada de Lina

Atualmente o museu projetado por Lina Bo Bardi recebe mais de 200.000 pessoas por ano e suas salas expositivas recebem obras de artistas do Brasil e de fora do país. Além disso, o MAM-BA é considerado o maior espaço de arte contemporânea da Bahia.

Lina Bo Bardi: Solar do Unhão (vista aérea)

Lina Bo Bardi: Solar do Unhão (vista aérea)

Lina Bo Bardi: Solar do Unhão (por dentro)

Lina Bo Bardi: Solar do Unhão (por dentro)

Endereço e telefone do Museu de Arte Moderna da Bahia

 

Endereço: Avenida do Contorno, s/n – Dois de Julho, Salvador – BA

Telefone: 71 3117 6139

* dados retirados do site oficial do mam-ba.

5) Igreja Divino Espírito Santo do Serrado

 

Lina Bo Bardi: Igreja Divino Espírito Santo

Lina Bo Bardi: Igreja Divino Espírito Santo

Localizada em Uberlândia, a igreja é a sede da Paróquia do Divino Espírito Santo.

Esse foi literalmente um projeto comunitário e feito a centenas de mãos.

Isso porque os moradores da região insistiram bastante para participar de todo o projeto, desde a concepção até a construção em si, porque eles desejavam que o senso de comunidade da cidade fosse respeitado e que um dos principais pontos de convivência fosse feito baseado nessa premissa de convivência.

Lina Bo Bardi esteve várias vezes em Uberlândia para se certificar que tudo na obra estava correndo bem e auxiliando todas as pessoas que estavam participando da construção.

De tão participativa que a cidade era, foi criado até um “conselho de construção” para garantir que tudo sairia conforme o planejado. O projeto de Lina Bo Bardi demorou 5 anos para se concretizar e a igreja foi inaugurada em 1981.

Feita em forma circular, a igreja lembra um Panteão Romano, deixando claro as origens de Lina Bo Bardi e seu estilo peculiar. Ainda hoje a cultura da convivência é preservada e constantemente pessoas se reúnem aos arredores da igreja para confraternizar.

Lina Bo Bardi: inspiração Panteão

Lina Bo Bardi: inspiração Panteão

Lina Bo Bardi: Igreja Divino Espirito Santo do Cerrado (vista aérea)

Lina Bo Bardi: Igreja Divino Espirito Santo do Cerrado (vista aérea)

Lina Bo Bardi: Igreja Divino Espirito Santo do Cerrado (interior)

Lina Bo Bardi: Igreja Divino Espirito Santo do Cerrado (interior)

Endereço e horários da Igreja Divino Espírito Santo do Serrado

 

Endereço: Av. dos Mógnos, 355 – Jaraguá, Uberlândia – MG

Telefone: 34 3238 2211

6) Teatro Oficina

 

Lina Bo Bardi: Teatro Oficina

Lina Bo Bardi: Teatro Oficina

Foi uma das últimas obras de Lina Bo Bardi, já na década de 90. O teatro foi construído na década de 60 e era um pólo de efervescência cultural na cidade de São Paulo.

Foi lá que nasceu o famoso Tropicalismo, movimento tão importante na história brasileira, que influenciou músicos, escritores e toda uma juventude.

Entretanto, em 1966 houve um incêndio que acabou alterando para sempre a arquitetura do lugar.

Antes era um teatro onde tinha um palco no centro com plateia dos dois lados. Após a tragédia a estrutura foi alterada para um palco com uma roda giratória grande.

Na década de 1990 o teatro sofreu outra alteração, mais um dos projetos de Lina Bo Bardi que encantaria a todos.

Usando o MASP como inspiração, Lina Bo Bardi transformou a antiga arquitetura em um teatro pista, com paredes de vidro e amplo local de passagem entre as fileiras e andares. Atualmente o teatro recebe várias peças, filmes, séries e exposições.

Lina Bo Bardi: Teatro Oficina (interior)

Lina Bo Bardi: Teatro Oficina (interior)

Lina Bo Bardi: Teatro Oficina (área externa)

Lina Bo Bardi: Teatro Oficina (área externa)

Endereço e telefone do Teatro Oficina

 

Endereço: Rua Jaceguai, 520 – Bela Vista, São Paulo – SP

Telefone: 11 3104 0678

Se você ficou fascinado por essas obras e quer conhecer ainda mais a fundo essa pessoa e profissional extraordinária, separamos 6 livros para saciar seu desejo.

6 livros sobre Lina Bo Bardi e suas obras

 

  • Entre Arquiteturas e Cenografias – a Arquitetura Lina Bo Bardi e o Teatro
  • Lina Bo Bardi 100
  • Ordem e Origem Em Lina Bo Bardi
  • Lina Bo Bardi
  • Cidadela da Liberdade
  • Concreto e Cristal: o Acervo do Masp Nos Cavaletes de Lina Bo Bardi

Veja também: 7 livros que todo arquiteto deveria ler

Instituto Lina Bo Bardi

 

Instituto Lina Bo Bardi

Instituto Lina Bo Bardi

Claro que não poderíamos deixar de mencionar o Instituto Lina Bo Bardi, que foi criado na década de 1990 para preservar toda essa história magnífica de uma das maiores mulheres que o Brasil já teve.

Mesmo nascendo na Itália. Lina Bo Bardi teve um papel essencial na arquitetura moderna brasileira e até hoje podemos observar a influência de suas obras.

O Instituto fica localizado na Casa de Vidro, antiga casa da arquiteta Lina Bo Bardi e que já mencionamos aqui no texto. Diversas obras, curiosidades da vida e fatos do cotidiano estão preservados e somente quem vai ao local possui acesso a tais raridades.

Infelizmente, ainda não é um dos grandes pontos turísticos da cidade, mas se você ama arte, arquitetura, design de interiores ou é simplesmente apaixonado por histórias inspiradoras, você deve fazer uma visita ao local.

O endereço, telefone e horário de funcionamento do Instituto Lina Bo Bardi já indicamos para você aqui na página. Hoje o local conta com exposições de vídeos, palestras, conferências, cursos e muitas outras atividades para preservar o nome de Lina Bo Bardi e incentivar a cultura local e italiana.

Para que mantenhamos Lina Bo Bardi e sua arte e bravura sempre na nossa mente, algumas frases dela que marcaram a eternidade.

Frases de Lina Bo Bardi para você se inspirar

 

“Foi então, enquanto as bombas demoliam sem piedade a obra e a obra do homem, que compreendemos que a casa deve ser para a vida do homem, deve servir, deve consolar; e não mostrar, numa exibição teatral, as vaidades inúteis do espírito humano…”

“Eu não tenho escritório. Trabalho resolvendo os problemas de projeto à noite, quando todo mundo dorme, quando o telefone não toca, e tudo é silêncio. Depois eu monto um escritório com os engenheiros, os técnicos e os operários no próprio canteiro.”

“A finalidade da casa é a de proporcionar uma vida conveniente e confortável, e seria um erro valorizar demais um resultado exclusivamente decorativo.”

“Há um gosto de vitória e encanto na condição de ser simples. Não é preciso muito para ser muito.”

“A produção em massa, que hoje deve ser tida em consideração como a base para a arquitetura moderna, existe na própria Natureza e, intuitivamente, no trabalho popular.”

“Portanto, se a gente acreditar que tudo o que é velho deve ser conservado, a cidade vira um museu de cacarecos. Em um trabalho de restauração arquitetônica é preciso criar e fazer uma seleção rigorosa do passado. O resultado é o que chamamos de presente histórico”

Conheça também a trajetória de outros arquitetos importantes na história:

  • A gente tem que sonhar, se não as coisas não acontecem: Oscar Niemeyer;

Gostou? Assim como Lina Bo Bardi, você também pode ser um arquiteto de sucesso. Conheça o Ciclo do Encantamento, material desenvolvido para arquitetos e designers que querem dar um UP na carreira: