A charmosa arquitetura francesa e sua importância para o Brasil

A França tem uma das arquiteturas mais encantadoras e charmosas do mundo.

Seus castelos despertam a nossa imaginação por nos lembrarem dos grandes clássicos do cinema e da literatura. Já o estilo gótico, originário no país, chama a atenção devido a grandeza de suas obras e os famosos vitrais e gárgulas.

A arquitetura barroca também teve seu destaque na França, e é o estilo presente em uma das suas obras mais famosas: o Castelo de Versalhes. E como falar do país sem lembrar da sua construção mais famosa, a Torre Eiffel?

Sem dúvida, a França trouxe muitas contribuições para a arquitetura mundial e uma muito especial para o Brasil. Ficou curioso para saber qual é?

Neste artigo, vamos falar sobre a história da arquitetura francesa, seus principais estilos e obras e mostrar a sua influência em terras brasileiras. Boa leitura!

Gosta de história da arquitetura? Aproveite para ler também:

História da arquitetura da França

 

Arquitetura francesa antiga

 

A França surgiu a partir da região da Gália, que se expandiu pela Europa com o comando de Clóvis por volta do século V.

Com a sua morte, o reino foi dividido entre seus 4 herdeiros, que continuaram a guerrear em busca da conquista de novos territórios.

Um reflexo de todas as batalhas que aconteceram na Europa durante a Idade Média foi o desenvolvimento da arquitetura medieval. Ela contou com os estilos bizantino, românico e gótico, que teve origem na França.

O nascimento da arquitetura gótica na França

 

A arquitetura gótica nasceu na França durante a Idade Média como uma evolução da arquitetura românica.

Uma das características mais marcantes do estilo é a altura de suas obras, possibilitada pela criação do arcobotante. Essa nova estrutura também permitiu que as paredes das construções fossem mais finas, diferentes do estilo românico.

O estilo gótico também incorporou os vitrais, as gárgulas, os florões e as rosáceas.

Uma das obras mais importantes da época é a Catedral de Chartres. Ela é a segunda igreja em estilo gótico da Europa.

arquitetura-francesa-Catedral-de-Chartres

Arquitetura Francesa: Catedral de Chartres

Sua construção começou em 1145 e marcou o ápice da arquitetura gótica na França.

Após um incêndio, ocorrido em 1194, a maior parte da catedral precisou ser reformada. 80% dos vitrais mantiveram-se intactos, e são eles os elementos que mais chamam a atenção dos visitantes.

É possível observar neles passagens bíblicas, a vida de alguns santos, cenas do cotidiano dos fiéis e até mesmo símbolos do zodíaco.

Obras da arquitetura gótica francesa

 

  • Catedral de Notre Dame
arquitetura-francesa-catedral-de-notre-dame

Arquitetura Francesa: Catedral de Notre Dame

  • Abadia de Saint Denis
arquitetura-francesa-abadia-de-saint-denis

Arquitetura Francesa: Abadia de Saint Denis

  • Catedral de Amiens
arquitetura-francesa-catedral-de-amiens

Arquitetura Francesa: Catedral de Amiens

  • Catedral de Reims
arquitetura-francesa-Catedral-de-Reims

Arquitetura Francesa: Catedral de Reims

Arquitetura francesa clássica

 

Arquitetura renascentista francesa

 

A arquitetura renascentista francesa foi um reflexo das guerras envolvendo franceses e italianos durante os primeiros anos do século XVI. Além de obras de arte, a França também importou as ideias arquitetônicas do país.

A arquitetura renascentista é marcada pela ruptura das artes clássicas (greco, romana) e o surgimento de um estilo próprio dos arquitetos e artesãos Europeus.
Algumas características desse estilo são:
    • Temas religiosos, mitológicos e da natureza
    • Uso de arcos, abóbodas, cúpulas e colunas
    • Busca da perfeição e da beleza
    • Preocupação com a proporção

    Várias obras renascentistas foram construídas na França nesse período, com destaque para os castelos do Vale do Loire.

    Trata-se de uma localidade criada pelos reis da França para mostrar ao mundo e ao seu povo o poder do país.

    Algumas obras ali misturavam elementos renascentistas com a arquitetura gótica. Um exemplo é o Castelo de Chabord.

    arquitetura-francesa-castelo-chambord

    Arquitetura Francesa: Castelo de Chambord

    O Castelo de Amboise foi o local onde Leonardo da Vinci passou seus últimos anos.

    arquitetura-francesa-Castelo-de-Amboise

    Arquitetura Francesa: Castelo de Amboise

    Hoje a região é um local turístico. Além de andar pelos belos jardins, os visitantes podem visitar os castelos e até mesmo hospedar-se em alguns deles.

    Estima-se que existam cerca de 300 castelos na região. Outros exemplos de obras no Vale do Loire são o Castelo de Chenonceau, a Fortaleza Real de Chion e o Castelo D’azay Le Rideau.

    arquitetura-francesa-castelo-de-Chenonceau

    Arquitetura Francesa: Castelo de Chenonceau

    arquitetura-francesa-Fortaleza-Real-de-Chinon

    Arquitetura Francesa: Fortaleza Real de Chinon

    arquitetura-francesa-D'azay-Le-Rideau

    Arquitetura Francesa: Castelo D’azay Le Rideau

    Outra obra da arquitetura francesa que não podemos deixar de citar é o famoso Palácio do Louvre.

    A primeira edificação, construída onde hoje está o museu, foi erguida em 1190 para funcionar como uma fortaleza contra povos invasores. Nos reinados seguintes, ele foi transformado em um palácio e nos dias atuais é um complexo de prédios voltado à cultura.

    O Palácio do Louvre tem um formato quase retangular e é dividido em 3 alas. No centro, está a entrada principal do museu, a Pirâmide de Vidro. A estrutura, inaugurada em 1988, foi projetada pelo arquiteto I. M. Pei.

    arquitetura-francesa-museu-do-louvre

    Arquitetura Francesa: Museu do Louvre

    Arquitetura barroca francesa

     

    Assim como a arquitetura renascentista, a arquitetura barroca francesa também foi influenciada pela Itália.

    O reinado de Luís XIV foi o mais longo da história da França (1643-1715) e contribui significativamente para a presença desse estilo arquitetônico no país.

    Foi durante esse período a expansão do Palácio de Versalhes, local onde ele viveu até o fim de sua vida.

    arquitetura-francesa-palacio-de-versalhes

    Arquitetura Francesa: Palácio de Versalhes

    Antes de ser a residência do rei, o local era um pavilhão de caça de sua família. Coube ao arquiteto Louis Le Vau começar esse projeto de reforma do edifício já existente. Após a sua morte, o arquiteto Jules Hardouin-Mansart deu continuidade ao projeto.

    O Salão dos Espelhos, a sala mais famosa do Palácio, representa bem o estilo barroco francês. Mármore, pedra policromada, bronze, espelhos e estuque dourado são alguns dos elementos presentes no local.

    arquitetura-francesa-palacio-de-versalhes-salao-dos-espelhos

    Arquitetura Francesa: Palácio de Versalhes – Salão dos espelhos

    Em relação a arquitetura religiosa barroca francesa, a principal inovação foi a introdução da cúpula ou cúpula sobre a nave central.

    Obras da arquitetura barroca francesa

     

    • Castelo de Vaux le Vicomte
    arquitetura-francesa-castelo-de-vaux-le-vicomte

    Arquitetura Francesa: Castelo de Vaux le Vicomte

    • Igreja Val de Grace
    arquitetura-francesa-igreja-Val-de-Grace

    Arquitetura Francesa: Igreja Val de Grace

    O estilo provençal

     

    Quando falamos da arquitetura francesa clássica, um dos maiores legados deixados foi o estilo provençal.

    Com a construção do Palácio de Versalhes, a França tornou-se referência mundial em sofistação entre os séxulos XVI e XVII.

    O estilo favorito da realeza francesa era o Rocaille, conhecido popularmente como estilo Luiz XV. Ele era caracterizado pela riqueza de detalhes, ornamentos rebuscados e folheados a ouro.

    Os camponeses que moravam na região da Provence, no Sul da França, começaram a tentar imitar esse tipo de decoração em suas casas.

    Como os recursos eram bem mais escassos que os do rei, os artesãos, ao fazerem os móveis, escondiam os defeitos da madeira com gesso e cola.

    Com o tempo, essa mistura se desgastava e os móveis ficavam com a aparência envelhecida. Hoje, esse estilo é conhecido como provençal.

    Muito elegante e charmoso, ele é aplicado em móveis e objetos.

    arquitetura-francesa-estilo-provencal

    Sala de jantar decorada no estilo provençal

    A arquitetura francesa na Idade Moderna

     

    Em 1804, Napoleão tornou-se imperador da França. Entre as medidas para mostrar seu poder diante do povo, esteve a construção de grandes monumentos. Um deles foi o Arco do Triunfo.

    arquitetura-francesa-arco-do-triunfo

    Arquitetura Francesa: Arco do Triunfo

    Em 1889, o governo Francês anunciou uma competição de design arquitetônico para uma obra que seria construída no Campo de Marte. Entre 100 projetos, o escolhido foi a Torre Eiffel, criado pelo engenheiro Alexandre Gustave Eiffel.

    Não só a arte do engenheiro moderno, mas também o século da Indústria e Ciência em que estamos vivendo, e para o qual foi preparado o caminho pelo grande movimento científico do século XVIII e pela Revolução de 1789, para a qual este monumento será construído como uma expressão de gratidão da França

    – Gustave Eiffel

    Ela foi inaugurada em 31 de março de 1889 durante as comemorações do centenário da Revolução Francesa. A obra também serviu de entrada para a Exposição Universal de 1889.

    arquitetura-francesa-torre-eiffel

    Arquitetura Francesa: Torre Eiffel

    Influência francesa na arquitetura brasileira

     

    A influência francesa na arquitetura do Brasil começou no período colonial. A cidade do Rio de Janeiro foi fundada por Estácio de Sá, em 1565, e aconteceu a partir da expulsão dos franceses que já moravam na região há dez anos.

    Mesmo depois desse período, a cidade continuou recebendo a influência da França ao longo dos séculos.

    O Copacabana Palace, por exemplo, é um projeto do arquiteto Francês Joseph Gire, que se inspirou em dois famosos hotéis da Riviera Francesa. Sua inauguração foi em 1923.

    arquitetura-francesa-copacabana-palace

    Arquitetura francesa: Copacabana Palace

    Em 1816, o Brasil recebeu um grupo chamado Missão Artística Francesa. Ele era composto por pintores, arquitetos, escultores, gravadores de peças, mecânicos, ferreiros, entre outros profissionais.

    O motivo da vinda do grupo não é muito claro. Uma das versões é que o ministro António de Araújo e Azevedo teve a ideia de chamá-los para que o Brasil incorporasse características da civilização francesa, considerada exemplo para ele.

    Outra teoria é que os próprios Franceses ofereceram esse “serviço” diante da situação política problemática que ocorria em Portugal.

    Os artistas seguiam o estilo neoclássico em seus projetos. O movimento teve influência nas artes, na educação, na arquitetura e outras áreas relacionadas.

    Um dos integrantes desse grupo foi o arquiteto Grandjean de Montigny. Ele projetou a Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro. O prédio foi demolido em 1930, onde hoje se encontra o Museu Nacional de Belas Artes. Seu frontão foi transportado para o Jardim Botânico nos anos 40.

    Arquitetura-Francesa-Academia-Imperial-de-Belas-Artes

    Arquitetura Francesa: Academia Imperial de Belas Artes (frontão)

    Outra obra do arquiteto é o edifício da Rua do Comércio, que hoje abriga a fundação Casa França-Brasil.

    arquitetura-francesa-edificio-da-praca-do-comercio

    Arquitetura Francesa: Edifício da Praça do Comércio

    Lembra que falamos no começo do texto que a França trouxe uma grande contribuição para a arquitetura brasileira? Mesmo que Grandjean de Montigny não tenha projetado tantas obras no Brasil, seu nome ficou marcado em nossa história: ele foi o primeiro professor de arquitetura do país.

    Além do Rio de Janeiro, Cidades como São Paulo e Curitiba também têm obras inspiradas na arquitetura francesa.

    • Palácio das Indústrias, em São Paulo
    arquitetura-francesa-palacio-das-industrias

    Arquitetura Francesa: Palácio das Indústrias

    • Catedral na Praça Tiradentes, em Curitiba
    Arquitetura-Francesa-Catedral-na-Praca-Tiradentes

    Arquitetura Francesa: Catedral na Praça Tiradentes

    • Catedral da Sé
    arquitetura-francesa-catedral-da-se

    Arquitetura Francesa: Catedral da Sé

    A história da arquitetura francesa é muito interessante, não é mesmo? E já que estamos falando em história, aproveite também para conferir a evolução do Design de Interiores, desde a idade da Pedra até hoje:

    banner-cta-infografico-historia-do-design