Museu do Amanhã: 3 curiosidades sobre o projeto que transformou o Rio de Janeiro

Um projeto de museu, muitas vezes, representa mais do que um local de arte e cultura.

Essa obras podem transformar cidades e mudar totalmente a relação com o entorno. Um exemplo é o Museu do Amanhã, localizado no Rio de Janeiro (RJ).

O museu de ciências interativo faz parte de um projeto de revitalização que trouxe para o Brasil um projeto de um dos melhores arquitetos do mundo.

Quer saber mais sobre ele? Nesse artigo, vamos mostrar a história, curiosidades e fotos do incrível Museu do Amanhã. Boa leitura!

Conheça outros museus icônicos:

Museu do Amanhã: História

 

O Museu do Amanhã do Rio de Janeiro foi inaugurado no dia 17 de dezembro de 2015.

Ele fica localizado na Praça Mauá, na zona portuária da cidade.

O projeto do Museu do Amanhã foi concebido pela Fundação Roberto Marinho em parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro.

Museu do Amanhã: entrada

Museu do Amanhã: entrada

Museu do Amanhã: parte externa

Museu do Amanhã: fundos

Museu do Amanhã: vista aérea

Museu do Amanhã: vista aérea

Museu do Amanhã: Praça Mauá

Museu do Amanhã: Praça Mauá

Com o custo total de cerca de 230 milhões de reais, o Museu do Amanhã do Rio de Janeiro fez parte do projeto de revitalização urbana chamado Porto Maravilha.

Também estão inclusos no projeto a construção do Museu de Arte do Rio, o AquaRio, a implantação do VLT e o desenvolvimento imobiliário no local.

Uma das mudanças necessárias na região também foi a demolição do Elevado da Perimetral.

Museu do Amanhã: demolição da perimetral

Museu do Amanhã: demolição da perimetral

O Museu do Amanhã do Rio de Janeiro é um museu de ciências interativo, que usa a tecnologia para trazer uma reflexão muito importante: afinal, qual o futuro do planeta terra?

A exposição fixa é dividida em 5 espaços que respondem as seguintes questões: De onde viemos? Quem somos? Onde estamos? Para onde vamos? Como queremos ir?

30 especialistas brasileiros e internacionais são os responsáveis pelo conteúdo exibido no Museu do Amanhã, que é atualizado a partir de dados e análises científicas de instituições do mundo todo.

Museu do Amanhã: Arquitetura

 

O projeto arquitetônico do Museu do Amanhã é de autoria de Santiago Calatrava em parceria com o escritório local Ruy Rezende Arquitetura.

Museu do Amanhã: Santiago Calatrava

Museu do Amanhã: Santiago Calatrava

Santiago Calatrava se inspirou nas Bromélias do Jardim Botânico do Rio de Janeiro para o projeto do Museu do Amanhã.

O prédio tem 15 mil metros quadrados de área construída, 20 metros de altura e 330 metros de comprimento.

Além de ser uma obra de incrível beleza arquitetônica, o Museu do Amanhã também se destaca pela arquitetura sustentável.

O projeto tem a certificação LEED (Liderança em Energia e Projeto Ambiental), concedida pelo Green Building Council (USGBC).

Um exemplo de sustentabilidade do Museu do Amanhã é que a água do mar é armazenada em reservatórios e tratada para ser utilizada no ar condicionado e no espelho d’água que circula o edifício.

Museu do Amanhã: Espelho D'água

Museu do Amanhã: Espelho D’água

Outro exemplo de sustentabilidade é a cobertura do Museu do Amanhã, que é feita de aletas cobertas com painéis fotovoltaicos.

Elas se movimentam de acordo com a direção dos raios solares, e são capazes de captar 250 KWh/ano, o que representa entre 7% e 9% da energia total utilizada pelo Museu do Amanhã.

Museu do Amanhã: Aletas

Museu do Amanhã: Aletas

Falando mais sobre a concepção do projeto do Museu do Amanhã, um dos principais desafios de Santiago Calatrava e da engenharia foi a localização da obra, que é cercada pelo mar.

Foi necessário reforçar o píer, inserindo estacas metálicas com tratamento especial anticorrosivo e estacas-raiz, capazes de atingir grandes profundidades em busca de solo firme ou rochoso.

Entre os materiais usados na construção do Museu do Amanhã está o aço, o cimento e o vidro.

Museu do Amanhã: construção

Museu do Amanhã: construção

Museu do Amanhã: Baía de Guanabara

Museu do Amanhã: Baía de Guanabara

Sobre o interior do Museu do Amanhã, no térreo estão o saguão de entrada, o pavilhão de exposições temporárias, o auditório e o restaurante.

O ingresso dos visitantes às áreas da exposição fixa, localizado no primeiro andar, é feito por rampas laterais.

A geometria do interior do Museu do Amanhã é assimétrica, cheia de belas curvas que encantam os olhos dos visitantes.

As janelas, que privilegiam a iluminação zenital, foram concebidas a fim de enquadrar pontos turísticos da região, como o mosteiro de São Bento e o morro da Conceição.

Museu do Amanhã: janela

Museu do Amanhã: janela

Museu do Amanhã: globo terrestre na entrada

Museu do Amanhã: globo terrestre na entrada

Museu do Amanhã: escada

Museu do Amanhã: escada

Museu do Amanhã: curvas

Museu do Amanhã: curvas

Números da construção do Museu do Amanhã

 

  • 3.800 m² em 908 peças de vidro
  • 55 mil toneladas de concreto estrutural
  • 4.300 toneladas de estruturas metálicas para a cobertura
  • 76 mil litros de tinta
  • 1.200 funcionários no pico das obras
  • 338 metros de comprimento (de um balanço a outro)
  • 20 metros de altura
  • 34,6 mil metros quadrados área do terreno/ 15 mil m² de área construída
  • 6 mil m² de jardim
  • 30 mil metros de pilares submersos suportam o peso do edifício
  • 5.492 placas voltaicas foram instaladas para captação de energia solar

Fonte: site do Museu do Amanhã

Como comprar ingresso para o Museu do Amanhã?

 

O Museu do Amanhã fica aberto de Terça a Domingo, das 10h às 18h.

O ingresso para o Museu do Amanhã pode ser adquirido pelo site do museu ou pela bilheteria, mas devido à grande procura o ideal é que seja comprado antecipadamente.

3 curiosidades sobre o Museu do Amanhã

 

1- Ganhador do “Oscar dos Museus”

 

Em 2018, o Museu do Amanhã ganhou o Leading Culture Destinations Awards, considerado o Oscar dos Museus.

O prêmio britânico considerou o Museu do Amanhã a melhor instituição cultural para a promoção do soft power, um termo inglês que descreve a habilidade de influenciar pessoas sem o uso da força.

2- Paisagismo especial

 

Museu do Amanhã: Paisagismo

Museu do Amanhã: Paisagismo

O paisagismo do Museu do Amanhã foi feito pelo escritório do maior paisagista brasileiro, já falecido, Roberto Burle Marx.

Ele traz espécies nativas e de restiga. A seleção de materiais também seguiu critérios de sustentabilidade, com preferência para aqueles reciclados, de baixa toxicidade, alta durabilidade, produzidos próximos ao local da obra e com uso de madeira certificada FSC.

3- Integração com o entorno

 

O projeto do Museu do Amanhã teve uma restrição de altura de 20 metros. O motivo? Não prejudicar a visão dos prédios históricos que ficam ao redor do edifício, como o Mosteiro de São Bento e o edifício a Noite, o primeiro arranha-céu da cidade.

E aí, deu vontade de comprar um ingresso para o Museu do Amanhã do RJ? Se você gosta de museus, aproveite para ler também: Conheça os projetos de arquitetura de museu mais inspiradores do mundo!