Conheça o paisagismo de tirar o fôlego do Parque da Independência

O Parque da Independência fica localizado no Ipiranga, bairro da cidade de São Paulo.

Com uma área de 161.300 m², ele reúne o Museu do Ipiranga, o Monumento à Independência do Brasil e a Casa do Grito.

Além de abrigar um dos museus mais importantes do Brasil, o Parque da Independência se destaca pelo seu belo paisagismo, que foi inspirado em um famoso jardim da França.

Quer descobrir qual é? No post de hoje, vamos contar a história do local e mostrar como chegar no Parque da Independência. Acompanhe!

Parque da Independência do Ipiranga: História

A história do Parque da Independência começa em 1822. Foi na Colina do Ipiranga, junto ao Riacho do Ipiranga, que D. Pedro I proclamou a Independência do Brasil.

Com a constituição de 1891, toda aquela região passou a ser de posse do governo estadual. Durante vários anos, ela passou por mudanças de valor simbólico e histórico.

O Museu do Ipiranga foi inaugurado em 1895 como um Museu de História Natural e Monumento em homenagem à Independência do Brasil.

No Centenário da Independência, em 1922, reforçou-se o caráter patriótico do Museu. Foram criados novos acervos e a decoração interna do espaço foi refeita com pinturas e esculturas apresentando a História do Brasil.

Uma curiosidade é que o nome oficial do Museu do Parque da Independência é Museu Paulista. Desde 1963, ele está vinculado à Universidade de São Paulo (USP) como um centro de pesquisa e ensino no campo de história.

Parque da Independência: jardim e fachada do Museu do Ipiranga

Parque da Independência: jardim e fachada do Museu do Ipiranga

Em 1922 também foi inaugurado o Monumento à Independência do Brasil, feito por Ettore Ximenes e Manfredo Manfredi.

A obra, esculpida em granito e bronze, foi oficialmente finalizada 4 anos após a sua inauguração.

Em 1953, foi construída uma cripta no interior do monumento para abrigar os restos mortais de Dom Pedro I e de suas duas esposas, as imperatrizes D. Leopoldina de Habsburgo e D. Amélia de Leuchtenberg.

Parque da Independência: Monumento à Independência do Brasil

Parque da Independência: monumento à Independência do Brasil

Parque da Independência: Monumento à Independência do Brasil - Detalhes

Parque da Independência: monumento à Independência do Brasil – detalhes

O Parque da Independência também abriga a Casa do Grito.

O imóvel, tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico (CONDEPHAAT), está na região do Parque da Independência desde a época do grito da Independência de D. Pedro I.

Inclusive, é possível vê-la no famoso quadro “Independência ou Morte” (1888), de Pedro Américo.

Parque da Independência: Quadro Independência ou Morte, de Pedro Américo (1888)

Parque da Independência: quadro Independência ou Morte, de Pedro Américo (1888)

Construída originalmente em pau-a-pique, essa obra da arquitetura colonial brasileira recebeu alguns materiais incorporados ao longo de sua história, como alvenaria e até mesmo uma pequena intervenção em concreto.

A famosa casa do Parque da Independência foi desapropriada em 1936 e permaneceu semiabandonada até 1955.

Foi quando começaram uma série de restaurações para deixá-la o mais próxima possível da representação do quadro de Pedro Américo.

Parque da Independência: Casa do Grito

Parque da Independência: Casa do Grito

Em 1969, abriu-se um processo para integrar esses três bens culturais ao patrimônio histórico com a criação do Parque da Independência.

O Parque da Independência foi inaugurado oficialmente em 1989 e é um bem cultural tombado pelo CONDEPHAAT.

Veja também: Quinta da Boa Vista – conheça o parque que ajuda a contar a história do Brasil

Parque da Independência: arquitetura e paisagismo

É impossível ir ao Parque da Independência e não se impressionar com o seu belo jardim, que liga o Monumento à Independência do Brasil ao Museu do Ipiranga.

O jardim do Parque da Independência foi inaugurado em 1909, 14 anos após a inauguração do Museu do Ipiranga.

O prefeito da época, Antônio Prado, adorava plantas e contratou o paisagista belga Arsenius Puttemans para criar o paisagismo do local.

Parque da Independência: Tela de 1912 retrata o jardim do Parque da Independência (autor: Augustin Salina y Teruel)

Parque da Independência: tela de 1912 retrata o jardim do Parque da Independência (autor: Augustin Salina y Teruel)

Parque da Independência: vista aérea

Parque da Independência: vista aérea

O Jardim do Parque da Independência foi inspirado no Jardim de Versalhes, na França. Ele foi desenhado aos moldes da Neorenascença, com um perfil estilístico revivalista.

Parque da Independência: Jardim de Versalhes, inspiração para o Jardim do Parque da Independência

Parque da Independência: Jardim de Versalhes, inspiração para o Jardim do Parque da Independência

É possível observar no Jardim do Parque da Independência elementos clássicos dos jardins franceses, como chafariz, lago, fontes e estátuas.

Devido a processos de restauro realizados pela FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP), os chafarizes ainda preservam as características arquitetônicas do projeto original.

Além de inspirar-se no paisagismo francês, a monumentalidade do Jardim do Parque da Independência traz uma memória imperial dos tempos da proclamação da República.

Parque da Independência: detalhes do jardim

Parque da Independência: detalhes do jardim

Parque da Independência: Chafariz

Parque da Independência: chafariz

O Museu do Ipiranga também chama a atenção pela sua beleza e monumentalidade. Mas, afinal, quem está por trás desse projeto tão importante da arquitetura brasileira?

Os responsáveis pelo grande museu do Parque da Independência são os italianos Tommaso Gaudenzio Bezzi e Luigi Pucci. O primeiro fez o projeto arquitetônico e o segundo o executou.

Naquele período, era muito comum que arquitetos e mestres de obras estrangeiros, principalmente italianos, participassem de grandes obras em São Paulo.

O museu do Parque da Independência tem 123 metros de comprimento e 16 metros de profundidade. Seu estilo arquitetônico é eclético e foi baseado em um palácio renascentista.

A técnica de construção usada foi a de alvenaria de tijolos cerâmicos, uma novidade para a época.

Devido ao excelente gerenciamento de obra de Luigi Pucci, o Museu do Ipiranga ficou pronto em um prazo relativamente curto – foram 6 anos de obra.

Parque da Independência: Museu do Ipiranga em construção (foto: site oficial do Museu)

Parque da Independência: Museu do Ipiranga em construção (foto: site oficial do Museu)

Um dos destaques da arquitetura do Museu do Ipiranga é a sua escadaria do hall de entrada, que representa o Rio Tietê, ponto de partida dos Bandeirantes rumo ao interior do país.

Parque da Independência: Escadaria

Parque da Independência: escadaria

Museu do Ipiranga: acervo e reforma

O Museu do Ipiranga ajuda a contar a história do Brasil por meio de um acervo cheio de peças raras.

São mais de 400.000 mil unidades, entre objetos, iconografia e documentação textual, do século 17 até meados do século 20.

Entre os destaques, estão estátuas dos heróis bandeirantes e a representação de D. Pedro I como herói da Independência. Também há fotografias da família real e mobiliário do período colonial.

Em 2013, o Parque da Independência viu o Museu do Ipiranga ser fechado para reformas. A previsão é que ele seja reaberto em 2022, ano do bicentenário da Independência do Brasil.

Parque da Independência: reforma no Museu do Ipiranga

Parque da Independência: reforma no Museu do Ipiranga

A expectativa é que a capacidade de visitantes seja triplicada de 300 mil para 900 mil pessoas/ano.

O projeto de restauração é de autoria do escritório H+F Arquitetos com curadoria da USP.

Parque da Independência: projeto 3D da nova fachada (foto: escritório H+F Arquitetos)

Parque da Independência: projeto 3D da nova fachada (foto: escritório H+F Arquitetos )

Parque da Independência: projeto 3D do novo hall de entrada com escada rolante (foto: escritório H+F Arquiteto)

Parque da Independência: projeto 3D do novo hall de entrada com escada rolante (foto: escritório H+F Arquiteto)

Parque da Independência: corte do projeto do novo Museu do Ipiranga (foto: escritório H+F Arquiteto)

Parque da Independência: corte do projeto do novo Museu do Ipiranga (foto: escritório H+F Arquiteto)

Toda a beleza da área verde do Parque da Independência 

Além de todas suas obras históricas e o jardim, o Parque da Independência se destaca pela sua área verde com uma flora extensa.

Estudos identificaram 160 espécies arbóreas no Parque da Independência. Desse total, 81 (51%) são árvores nativas da cidade de São Paulo.

Um dado alarmante acende o alerta para a preservação do bosque do Parque da Independência: aponta-se que 18 das espécies existentes ali estão registradas na linha vermelha de espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza.

Por isso, é fundamental garantir que a ação de alguns visitantes, como descarte de sacolas plásticas e embalagens, não prejudique o bosque do Parque da Independência.

Como chegar no Parque da Independência?

Ficou curioso para conhecer o Parque da Independência? Veja como chegar:

Metrô – Linha 2-Verde – Estação Alto do Ipiranga

Ônibus elétrico – 4113-10 – Praça da República / Gentil de Moura

Endereço: Av. Nazareth, s/nº – Ipiranga

Funcionamento: 5h às 20h (fecha às 21h durante o horário de verão)

Telefone: (11) 2273-7250

E aí, gostou de conhecer a história do Parque da Independência? Aproveite para conferir também: A história da arquitetura no Brasil mais completa que você já viu! Dos povos indígenas até aos dias de hoje