Piso Elevado: Veja Quando Usar + Dicas de Especificação

Piso elevado é um tipo de piso, geralmente usado em ambientes corporativos e salas técnicas, formado por placas posicionadas sobre pedestais que criam um vão entre o contrapiso e o piso. Ele permite o armazenamento de cabos, fiações e instalações hidráulicas.

Trata-se de uma solução que permite um melhor aproveitamento do espaço, preserva equipamentos, facilita a manutenção, entre outras vantagens. Se você quer aprender mais sobre o material, fique ligado(a). No post de hoje, vamos mostrar com mais detalhes como fazer piso elevado e quando usá-lo no projeto. Acompanhe!

O que é piso elevado?

Piso elevado é um tipo de piso, geralmente usado em ambientes corporativos e salas técnicas, formado por placas posicionadas sobre pedestais que criam um vão entre o contrapiso e o piso. Ele permite o armazenamento de cabos, fiações e instalações hidráulicas.

O que é piso elevado (foto: Pisoag)

O que é piso elevado (foto: Pisoag)

Os pisos elevados são acoplados diretamente na laje ou no contrapiso por meio de suportes, sendo os de aço ou os termoplásticos (polipropileno) os mais usados.

Trata-se de uma solução que oferece várias vantagens como:

  • flexibilidade no uso do espaço;
  • facilidade de manutenção;
  • organização do ambiente;
  • rapidez na instalação;
  • acesso rápido à fiações e instalações;
  • modernização do ambiente.

A NBR 11802:1991 fixa as condições exigíveis para os pisos elevados no que se refere à sua adequação para o uso.

Quais são os tipos de piso elevado?

Os pisos elevados são divididos em duas categorias. Começando pela primeira, ela é formada basicamente por três componentes: placa, base e cruzeta. A junção dos dois últimos forma o pedestal responsável pela elevação e apoio do piso.

Ele pode ser fabricado de diversas alturas para atender as necessidades de cada cliente. Esse tipo de piso elevado é indicado para salas comerciais, áreas de escritórios e salas técnicas.

Piso elevado em ardósia (foto: Blog Marelli)

Piso elevado em ardósia (foto: Blog Marelli)

Sobre a segunda categoria de piso elevado, ela é indicada para ambientes em que a carga que ficará na superfície é ainda maior. Essa situação pode acontecer em salas técnicas com equipamentos mais pesados, por exemplo.

Nesse caso, além do pedestal, utiliza-se também longarinas que serão parafusadas em todo perímetro do piso elevado. Esse material ajuda a trazer mais resistência e apoio para as placas.

Piso elevado: quais são os materiais utilizados?

A escolha dos materiais usados no piso elevado vai depender da altura necessária para o vão e da intensidade do tráfego no ambiente. Os pisos elevados de ardósia e de granito se destacam, mas existem outros acabamentos que também são usados.

Veja os tipos mais comuns:

  • piso elevado de concreto;
  • piso elevado mineral;
  • piso elevado em aço;
  • piso elevado monolítico;
  • piso elevado termoplástico;
  • piso elevado com carpete em placas;
  • piso elevado com porcelanato;
  • piso elevado com granito.

Quando usar piso elevado em um projeto?

 

Salas técnicas

O piso elevado oferece várias vantagens para data centers e outros tipos de salas técnicas. Ele permite que os cabeamentos fiquem acomodados sob o piso da melhor forma sem prejudicar o funcionamento dos equipamentos.

Vale destacar que o espaço livre gerado para instalação dos cabos no piso elevado é essencial para o bom funcionamento das máquinas. Com a circulação de ar mais livre entre os equipamentos, evita-se danos gerados pelo aumento da temperatura.

Piso elevado em sala técnica (foto: Ariostes)

Piso elevado em sala técnica (foto: Ariostes)

Além disso, é comum que ambientes como data centers precisem atualizar os equipamentos devido a atualizações de tecnologia, não é mesmo? Diante desse contexto, o piso elevado é uma solução valiosa, pois permite mudanças de forma rápida e prática.

Áreas corporativas

Ninguém gosta de trabalhar em um local cheio de fios e máquinas espalhadas pelo chão, não é mesmo? Pensando nisso, os benefícios do piso elevado também podem ser aproveitados em escritórios.

Cada vez mais as empresas estão escolhendo essa solução para a organização dos cabos de uma forma segura e flexível. Além de facilitar a manutenção, o piso elevado em ambientes corporativos traz uma estética moderna e melhora a aparência do local.

Sala de reunião em escritório com fiação embutida no piso elevado (foto: Carina Tobias - Interiores)

Sala de reunião em escritório com fiação embutida no piso elevado (foto: Carina Tobias – Interiores)

Outra vantagem é que o piso elevado é removível com facilidade, ou seja: caso o escritório seja reformado ou até mesmo mude para outro local, é possível retirar as placas e colocá-las novamente sem dificuldade.

Veja também: Arquitetura corporativa – veja mais sobre a área que veio reestruturar os tradicionais escritórios

Área externa

O piso elevado em áreas externas tem como objetivo facilitar a instalação e acesso às tubulações hidráulicas. O vão também pode ser aproveitado para captar água da chuva e reutilizá-la de várias formas como na irrigação do jardim, lavagem do piso, descarga sanitária, entre outras.

Piso elevado em área externa - detalhes (foto: Concresteel)

Piso elevado em área externa – detalhes (foto: Concresteel)

Outra vantagem do piso elevado em áreas externas é que ele contribui para o conforto térmico e acústico da edificação. Caso seja instalado na laje, ele ainda reduz o consumo do ar condicionado e permite a criação de uma nova área de lazer em um espaço, até então, sem uso.

Em relação à placa, o indicado é usar materiais antiderrapantes como concreto, granito, porcelanato ou pisos ecológicos.

Como fazer piso elevado?

A especificação do piso elevado exige atenção aos detalhes, por isso fique atento(a) nas próximas dicas para não perder nada.

Quando falamos sobre como fazer piso elevado, o primeiro passo é determinar qual o tipo de cabeamento passará abaixo da superfície. Dessa forma, é possível definir a altura necessária dos pedestais.

Ambientes como centros de processamento de dados e salas de controle, por exemplo, podem exigir vãos maiores em função da infraestrutura necessária no entrepiso.

Piso elevado em área externa com jardim (foto: Sienge)

Piso elevado em área externa com jardim (foto: Sienge)

Também é importante analisar qual o tipo de tráfego do ambiente e o que será instalado sobre ele (máquinas, equipamentos, móveis, entre outros). As dimensões das placas são escolhidas de acordo com essa análise e os cálculos dos engenheiros de obra devem indicar qual resistência o material deve fornecer.

Outra etapa da especificação do piso elevado é a definição do revestimento. Vale lembrar que nem todo acabamento pode ser usado nesse tipo de piso, então deixe claro para o cliente quais serão as possibilidades.

Qual o preço do piso elevado?

O piso elevado pode ter altura, acabamento e materiais diferentes de acordo com a sua aplicação. Em relação ao preço, o valor médio cobrado por profissionais gira em torno de R$ 215,00/m².

Escritório com piso elevado revestido com placas vinílicas e placas de carpete (foto: Sabrina Carneiro)

Escritório com piso elevado revestido com placas vinílicas e de carpete (foto: Sabrina Carneiro)

Você já usou piso elevado em algum projeto? Compartilhe com a gente nos comentários!