O que é Sapata? Conheça os 4 Tipos Mais Usados em Obras no Brasil

Sapata é um tipo de fundação superficial, feita de concreto armado, dimensionada para que a carga dos pilares seja transferida para o solo por meio de suas bases, que podem ser quadradas, retangulares ou trapezoidais.

Trata-se de uma das fundações mais usadas no Brasil, já que oferece bastante segurança, é de fácil execução e adapta-se bem ao solo argiloso.

A escolha do melhor tipo de sapata é feita no projeto estrutural, mas é importante que arquitetos também tenham conhecimento sobre assunto, não é mesmo? Pensando nisso, no post de hoje vamos mostrar quais são os tipos de sapatas mais usadas em construção. Boa leitura!

O que é fundação?

Antes de explicarmos o que é sapata de concreto, é importante relembrar qual é o conceito de fundação. Trata-se de uma estrutura feita no início da construção que tem como objetivo transmitir as cargas de uma edificação para o solo.

Os diferentes tipos de fundação servem para apoiar a casa no terreno de forma segura e eficaz. Os elementos presentes na fundação são responsáveis por receber todas as cargas da edificação como as paredes, janelas e coberturas, além das condições climáticas do local. O objetivo da fundação é transmitir todo esse peso ao solo com segurança.

Sapata: o que é fundação (foto: cec.com.br)

Sapata: o que é fundação (foto: cec.com.br)

Veja também: Concreto Usinado – Vale a Pena Usar em Obras Pequenas? Descubra!

O que é sapata na construção civil?

Sapata é um tipo de fundação superficial, feita de concreto armado, dimensionada para que a carga dos pilares seja transferida para o solo por meio de suas bases, que podem ser quadradas, retangulares ou trapezoidais.

O que é sapata? (foto: Clique Arquitetura)

O que é sapata? (foto: Clique Arquitetura)

Esse tipo de fundação é rasa e tem capacidade de carga baixa e média. Mas o que isso significa? Quer dizer que a sapata tem uma profundidade de escavação inferior a 3 metros. Diante desse contexto, a carga é transmitida ao solo pelas pressões distribuídas sob a base da fundação.

Ela é indicada para qualquer tipo de obra em áreas de solo estável e de alta resistência em suas camadas superficiais.

Veja também: Como Calcular Concreto Para Lajes, Vigas e Pilares – Tudo Que Você Precisa Saber

Quando usar uma sapata na construção? 

A escolha da sapata para a fundação depende de alguns fatores e a resistência do solo é o principal. É necessário que as primeiras camadas do terreno sejam bem resistentes, já que estamos falando de uma fundação superficial.

De modo geral, as sapatas são usadas em solos argilosos (que são predominantes no Brasil). Para descobrir qual é o tipo de solo do terreno, é importante contar com a ajuda de empresas especializadas que realizam essa análise.

Agora que você já sabe o que é sapata na construção civil e quando usá-la em seu projeto, veja os tipos mais comuns em obras.

Quais são os tipos de sapata usadas em fundações?

 

Sapata isolada

Essa sapata de concreto é a mais usada em construções (e também a mais simples). Ela é dimensionada para suportar a carga de apenas um pilar ou coluna. Sendo assim, o peso da edificação é transmitido por meio desses elementos que, por sua vez, transferem a carga para as sapatas distribuírem ao solo.

Em relação ao formato, o retangular é o mais comum, mas a sapata isolada também pode ser quadrada, circular, entre outros moldes.

Sapata isolada (foto: Tecnosilbr)

Sapata isolada em obra (foto: Tecnosilbr)

As sapatas isoladas são ligadas por um baldrame que, além de conectar as bases, distribui melhor o peso da fundação. Os tipos mais comuns de armações de aço para as sapatas isoladas são o radier e o gaiola.

Sapata isolada: perspectiva - planta - vista lateral (foto: utilizandobim)

Sapata isolada: perspectiva – planta – vista lateral (foto: utilizandobim)

Sapata corrida

A sapata corrida é usada para suportar o peso de elementos contínuos que têm cargas distribuídas de forma linear. Podemos citar como exemplo muros, paredes e outras estruturas com efeito alongado. Diante desse contexto, ela distribui o peso por uma faixa maior de terreno.

Em geral, ela é feita com concreto ciclópico (concreto e pedras de mão). Sobre seu formato, a sapata corrida é fina em relação ao seu comprimento e, por isso, pouco rígida.

Devido a essa característica, há a possibilidade do surgimento de deformações ao longo de sua extensão e, consequentemente, fissuras ou trincas em paredes comportadas. Para evitar esse problema, recomenda-se aumentar a rigidez da sapata corrida.

Sapata corrida (foto: Directiva Engenharia)

Sapata corrida em obra (foto: Directiva Engenharia)

Casas e edificações de baixa altura, galpões, muro de divisa e de arrimo, paredes de reservatórios e piscinas são alguns exemplos de obras em que a sapata corrida é utilizada.

Vale destacar que, como trata-se de uma fundação rasa, sua escavação costuma ser feita à mão. Ou seja: o uso de máquinas e equipamentos especiais pode ser dispensado.

Sapata corrida perspectivada (foto: utilizandobim)

Sapata corrida perspectivada (foto: utilizandobim)

Sapata associada

Chamada também de radier parcial, a sapata associada tem um conceito simples: trata-se de duas sapatas associadas que distribuem o peso de 2 pilares ao mesmo tempo.

Geralmente, ela é usada quando duas sapatas isoladas ficariam muito próximas por falta de espaço ou opção do projeto estrutural. Nesse caso, essa sapata de fundação é utilizada para evitar que as bases não fiquem sobrepostas e atrapalhem a construção.

Sapata associada (foto: Directiva Engenharia)

Sapata associada em obra (foto: Directiva Engenharia)

É importante reforçar que o ideal é priorizar as sapatas isoladas, ou seja, uma para cada pilar de estrutura, pois o cuidado da execução da sapata associada deve ser maior ainda. O motivo é que ela irá receber a carga não só de um, mas de dois pilares, por isso deve ser usada com precaução.

Sapata associada: perspectivada (foto: utilizandobim)

Sapata associada perspectivada (foto: utilizandobim)

Sapata com viga alavanca/viga de equilíbrio

A sapata com viga alavanca (ou equilíbrio) é usada quando um pilar fica desalinhado com o centro da fundação e as cargas que chegam desse pilar não são distribuídas corretamente para o solo. Isso pode acontecer quando a sapata está perto da divisa de um terreno ou devido a algum obstáculo.

É aí que entra o uso da sapata de concreto com viga alavanca. Nessa situação, é criada uma viga entre duas sapatas, conforme o exemplo abaixo. Essa carga adicional mantém o equilíbrio de toda a estrutura.

Sapata alavanca: planta - vista lateral (foto: utilizandobim)

Sapata alavanca: planta – vista lateral (foto: utilizandobim)

Gostou de aprender mais sobre os tipos de sapatas? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais.