9 tipos de clientes que todo arquiteto tem que lidar

Responda rápido: o que é mais estressante pra você?

A – Ficar até tarde fazendo uma maquete eletrônica
B – Não ter inspiração para começar um projeto
C – Lidar com o cliente

Com certeza, a maioria que está lendo esse texto votou na opção C.

O relacionamento com o cliente é um dos maiores desafios para um arquiteto. A visão que as pessoas têm da arquitetura nem sempre corresponde à realidade, o que pode trazer muita dificuldade para o profissional.

Para superar essa situação é necessário entender os tipos de personalidades de clientes.

Parece difícil? Não se preocupe, neste artigo, trouxemos os 9 tipos de clientes de arquitetura e como lidar com eles. Acompanhe!

Confira nossas dicas para atrair clientes:

Tipos de clientes e como lidar com eles

 

1- Os parentes e amigos

 

Esses tipos de clientes costumam ser os primeiros de muitos arquitetos e designers de interiores. Ainda na faculdade, os estudantes começam a receber seus primeiros contatos de parentes (ou amigos) para fazer projetos mais simples e, na maioria das vezes, de graça.

Mas essa situação também pode se repetir com um arquiteto depois que ele já atua no mercado. Sempre tem um primo que vai casar ou uma tia que precisa reformar a cozinha, não é mesmo?

Como lidar: se você ainda é estudante, fazer projetos de graça ou cobrando um valor simbólico é uma forma de começar a entender a rotina da profissão. Provavelmente, vão existir alguns erros nesses primeiros projetos, afinal, você está começando. Então, aproveite para praticar e melhorar seu portfólio.

Já se você é um profissional, é preciso levar em consideração alguns pontos.

É claro que seu parente ou amigo vai querer aquele belo desconto. A questão é: vale a pena diminuir seu preço? Lembre-se que você vai comprometer o tempo de outros projetos e, caso tenha um escritório, pode precisar mobilizar sua equipe.

Não há problema em querer ajudar uma pessoa que você tem consideração, o importante é tomar cuidado para que o projeto não traga prejuízo e nem dor de cabeça.

2- O que não paga

 

Sempre tem aquele tipo de cliente que conversa com o arquiteto, pede um pré-projeto e depois de ver o trabalho pronto, desiste do serviço.

Ou aqueles que contratam o profissional, mas sempre atrasa os pagamentos ou pior: não pagam. Essa situação é muito desagradável e pode trazer sérios problemas financeiros para o seu negócio.

Como lidar: todo projeto criativo deve envolver remuneração. É claro que muitos clientes não estarão dispostos a pagar por um pré-projeto, mas cabe a você analisar se vale a pena correr o risco de não ser pago.

Em relação aos clientes que contratam o projeto e atrasam os pagamentos, o indicado é ter uma conversa pessoalmente ou por telefone. Escute as justificativas e proponha alternativas, como o parcelamento do valor.

Caso o problema não seja resolvido, infelizmente, o próximo passo é acionar a justiça — e esperar muito para que algo seja feito.

Mas essa situação pode ser evitada com algumas precauções. A primeira delas é apresentar um contrato logo nas primeiras conversas e serviços prestados.

Outra dica é procurar entender se o cliente tem noção dos custos do projeto. Muitas vezes, não fica claro para ele toda a despesa necessária nesse tipo de serviço. Certifique-se de que ele leu o contrato e está ciente do valor total do investimento.

3- O que se intromete em tudo

 

Quando falamos de tipos de clientes, esse é um dos que dá mais dor de cabeça. Ele muda o que está na planta, fica opinando no trabalho dos funcionários da obra, usa os materiais que você não indicou, derruba e levanta parede por conta própria, entre outras atitudes que fogem do seu controle.

Como lidar: demita o cliente! Pode parecer uma atitude radical, mas perceba que, a partir do momento que o seu projeto foi todo modificado, ele não é mais seu.

Caso ocorra algum problema mais grave na obra, você não deve se responsabilizar. Para evitar mais dores de cabeça, tenha uma conversa franca com o cliente, compare seu projeto original com o que está sendo feito e proponha a finalização da parceria.

4- O que não sabe o que quer

 

Fazer um projeto para esse tipo de cliente é um desafio porque ele não dá um direcionamento para o arquiteto.

Mesmo que isso possa parecer bom, já que o profissional tem mais liberdade para trabalhar, em algum momento pode trazer problemas. Imagine a seguinte situação: durante a obra, o cliente vê que uma parede foi derrubada e não ficou do jeito que ele esperava.

Ele vai ficar insatisfeito com o seu trabalho e pode até compartilhar uma reclamação nas redes sociais, prejudicando sua imagem.

Como lidar: alguns tipos de clientes não opinam por medo, timidez, por não entender sobre reforma ou simplesmente por achar que você deve conduzir tudo sozinho.

Cabe ao arquiteto colocar em ação o seu lado terapeuta e tentar entender qual é o caso. Para ajudá-lo a ter uma visão melhor do projeto, abuse dos programas de maquetes eletrônicas.

5- O que quer ser atendido em qualquer horário

 

Com a popularização do WhatsApp, Messenger e outros tipos de aplicativos de conversa instantânea, ficou muito mais prático se comunicar. Um dos reflexos dessa nova realidade é que as pessoas parecem estar sempre disponíveis para conversar, o que não é verdade.

Esse tipo de cliente é aquele que manda mensagem a qualquer hora e dia de semana.

É aquele que vai fazer as compras da obra no domingo de manhã e te manda mensagem para tirar uma dúvida sobre revestimento.

É aquele que costumam dar uma “passadinha” no escritório a qualquer hora do dia, sem se preocupar se você está ocupado naquele momento.

E aí, como resolver?

Como lidar: não responda as mensagens e nem atenda as ligações. Em alguns casos, o cliente vai perceber que você não pode falar naquele momento e parar de incomodar.

Mas também pode acontecer o pior: ele vai cobrar por ver que você está online. Aí cabe a sinceridade: explique que você só atende em horário comercial e que assim que estiver no escritório, vai tirar a sua dúvida.

Já que estamos falando sobre atendimento ao cliente, aproveite para baixar nosso e-book e ver mais dicas:

Atendimento ao Cliente

6- O apressado

 

Esse é um dos tipos de clientes que está presente em várias profissões. Ele quer tudo pra ontem e fica te cobrando toda hora.

Como lidar: deixe claro para ele que se o projeto é urgente, você precisa cobrar um valor maior. Justifique que a urgência vai fazer com que você deixe de atender outros clientes ou vai exigir que a sua equipe fique concentrada em um único projeto.

Se a obra realmente for urgente, ele vai topar arcar com esse custo. Se não, ele vai deixar de cobrar prazos mais curtos.

7- O que só quer uma ideia, não um projeto

 

Infelizmente, muitos clientes acham que entrar em contato com um arquiteto só para “ter umas ideias” é algo justo. Mas nós sabemos quantos anos de leitura, projetos e maquetes foram necessários para você conseguir ter uma ideia que, para ele, é algo simples.

Como lidar: cobre um valor justo pela sua consultoria, que pague o tempo que você vai deixar de se dedicar aos seus projetos em andamento. Se o cliente se recusar, informe que não será possível conversar com ele.

É claro que muitos profissionais costumam dar essa consultoria de graça e essa é uma decisão bem pessoal. Nesse caso, cabe avaliar caso a caso para tomar a melhor decisão.

8- Os órgãos públicos

 

Passar em uma licitação pública é uma grande conquista para um escritório de arquitetura. Mas esse também pode ser um dos tipos de clientes mais difíceis.

O problema não é a formalidade ou questões estéticas do projeto, e sim a burocracia. Você terá que lidar com diversas questões regulatórias e administrativas e sempre haverá uma lei ou norma para dificultar o andamento da obra.

Como lidar: Tenha uma equipe preparada para lidar com todas as questões burocráticas e muita, muita paciência.

9- O admirador da arquitetura

 

Esse tipo de cliente é aquele que vai aparecer com uma foto de uma obra do Oscar NiemeyerLe Corbusier, Mies van der Rohe ou outro grande arquiteto e pedir algo parecido. Ele é grande admirador da arquitetura e espera que a sua casa vire uma obra de arte.

Como lidar: A primeira coisa a fazer é explicar alguns conceitos básicos da arquitetura. Mostre que, nem sempre, é possível transformar uma casa ou cômodo em algo esteticamente extraordinário.

O ponto positivo desse tipo de cliente é que, provavelmente, ele entende um pouco mais sobre a arquitetura e vai trazer ideias interessantes para o projeto.

Gostou de conhecer mais sobre os tipos de personalidades de clientes? Aproveite para conhecer nosso curso gratuito no Viva Decora Pro Academy e conquiste mais projetos:

curso ciclo do encantamento