Casa Milà: Confira 4 Curiosidades Incríveis Sobre a Obra de Gaudí

A Casa Milà é uma das obras mais famosas do arquiteto catalão Antoni Gaudí.

Ela também é conhecida por La Pedrera (A Pedreira), um apelido pejorativo que surgiu na época da sua inauguração.

Mas com o passar dos anos, a Casa Milà passou a ser vista com outros olhos e hoje é considerada não apenas uma obra arquitetônica, e sim uma verdadeira obra de arte.

Casa Milá: fachada (foto: Pinterest)

Casa Milá: fachada (foto: Pinterest)

Casa Milà: Antoni Gaudí

Casa Milà: Antoni Gaudí

Para os mais críticos, a exclusiva preocupação estética de Gaudí e a pouca funcionalidade do espaço tornam a Casa Milà menos atraente.

Mas independentemente das opiniões contra ou a favor, o fato é que ela marcou a história da arquitetura.

Quer descobrir onde fica a Casa Milà e toda sua história? No post de hoje, vamos explicar a sua origem e mostrar 4 curiosidades sobre ela. Acompanhe!

Casa Milà: História

A Casa Milà foi construída entre os anos 1905 e 1907. Essa obra icônica foi projetada por Antoni Gaudí para Roser Segimon e seu marido, Pere Milà.

O local escolhido para a Casa Milà foi a Paseo de Gracia, na época, a avenida mais importante da cidade e o endereço mais procurado pela burguesia para morar.

Casa Milá Roser Segimon e Pere Milà, primeiros proprietários da Casa Milà

Casa Milá: Roser Segimon e Pere Milà, primeiros proprietários da Casa Milà

O casal escolheu o piso principal da Casa Milà para morar e alugou o restante do espaço, que foi dividido em 20 apartamentos.

Antes de falecer, em 1964, Roser Segimon vendeu a Casa Milà a uma imobiliária. Tempos depois, um outro arquiteto transformou o último andar, que era usado como lavanderia, em mais apartamentos para alugar.

Em 1984, a Unesco declarou a Casa Milà Patrimônio Mundial. Quatro anos depois, o terraço foi aberto para o público.

Desde 2013, a Casa Milà é de propriedade da Caixa Catalunya Foundation, um banco local.

O atual proprietário abriu algumas partes da Casa Milà para visitação do público, entre eles um dos apartamentos e o sotão. Lá acontecem diversas exposições e eventos culturais.

Agora que você já sabe onde fica a Casa Milà e conheceu um pouco mais sobre a sua história, vamos mostrar com detalhes a sua extraordinária arquitetura!

Casa Milà: Arquitetura

A arquitetura da Casa Milà trouxe o modernismo para as ruas catalãs. Além das formas inovadoras para a época, Antoni Gaudí criou também uma versão espanhola do Art Nouveau.

A Casa Milà é dividida em nove níveis: subsolo, piso térreo, mezanino, piso principal, quatro andares superiores e ático.

O interessante é que cada pedaço de pedra, concreto ou ferro presente na Casa Milà parece uma verdadeira obra de arte.

A fachada é feita de pedra esculpida e talhada e traz uma das características mais marcantes da obra: não existem linhas retas. As varandas são feitas de ferro forjado e lembram formas vegetais.

Você sabia que a fachada escultural da Casa Milà só foi possível porque ela não tem função estrutural?

Vigas de aço com a mesma curvatura apoiam seu peso e a anexam à estrutura, o que deu liberdade para Gaudí criar as formas marcantes.

Casa Milá: detalhes da fachada (foto: Pinterest)

Casa Milà: detalhes da fachada (foto: Pinterest)

Entrando na Casa Milà, é possível observar um dos pátios internos do edifício. O material usado é o mesmo da fachada.

Casa Milá: entrada vista de dentro

Casa Milà: entrada vista de dentro

Casa Milá: escada (foto: Turbopass)

Casa Milà: escada (foto: Turbopass)

Os espaços internos da Casa Milà são independentemente estruturados por abóbadas que descarregam em pilares de tijolos. Essa estrutura permitiu que Gaudí criasse plantas livres e uma configuração orgânica.

As metáforas de elementos da natureza, o átrio descoberto e o uso das cores criam uma atmosfera surrealista no ambiente.

Casa Milà: vista do pátio principal (foto: Pinterest)

Casa Milà: vista do pátio principal (foto: Pinterest)

Casa Milá: detalhes das janelas (foto: Hello Jet Lag)

Casa Milà: detalhes das janelas (foto: Hello Jet Lag)

A Casa Milà tem uma réplica de apartamento de uma família burguesa de Barcelona do princípio do século XX. A decoração é no estilo Art Decó.

É possível observar os cantos sem linhas retas sob um ângulo diferente.

Casa Milà: quarto estilo Art Decó (foto: Wikipédia)

Casa Milà: quarto estilo Art Decó (foto: Wikipédia)

Casa Milà: corredor (foto: plone.ufrgs.br)

Casa Milà: corredor (foto: plone.ufrgs.br)

O telhado da Casa Milà tem uma estrutura composta por 270 arcos parabólicos de tijolos de alturas variadas.

As torres de ventilação e chaminés localizadas no terraço foram esculpidas por Gaudí em um formato de guerreiros surrealistas.

Uma curiosidade é que, nas noites de verão, o telhado da Casa Milà recebe recitais de música abertos ao público.

As chaminés foram criadas com um acabamento de trencadís, um tipo de mosaico espanhol.

Casa Milà: vista aérea (foto: Pinterest)

Casa Milà: vista aérea (foto: Pinterest)

Casa Milà: topo (foto: Hello Jet Lag)

Casa Milà: topo (foto: Hello Jet Lag)

Casa Milà: guerreiros surrealistas na chaminé (foto: Pinterest)

Casa Milà: guerreiros surrealistas na chaminé (foto: Pinterest)

Casa Milà: chaminé com acabamento de trencadís, um tipo de mosaico espanhol (foto: Pinterest)

Casa Milà: chaminé com acabamento de trencadís, um tipo de mosaico espanhol (foto: Pinterest)

4 curiosidades surpreendentes sobre a Casa Milà

Agora que você já sabe mais sobre a arquitetura da Casa Milà, descubra 4 curiosidades impressionantes:

1- Foi a última casa construída por Antoni Gaudí

A Casa Milà foi a última obra residêncial de Gaudí, que depois passou a se dedicar totalmente ao Templo Expiatório da Sagrada Família.

O projeto, iniciado em 1882, foi assumido por ele no ano seguinte. A previsão é que a obra seja finalizada em 2026.

2- Existe uma pessoa morando lá!

Já imaginou morar em uma das obras arquitetônicas mais famosas do mundo? Essa é a realidade de Ana Viladominu, moradora da Casa Milà desde os anos 80.

Gaudí tinha ideias muito claras e uma personalidade muito forte, que é preciso respeitar para poder morar aqui

– Ana Viladominu, única moradora da Casa Milà (fonte: Estadão)

Casa Milá: Ana Viladominu é única moradora do local (foto: Gazeta do Povo)

Casa Milá: Ana Viladominu é única moradora do local (foto: Gazeta do Povo)

3- Casa inovadora

Não foi somente a estética da Casa Milà que trouxe inovação para o modernismo Catalão.

A obra foi uma das primeiras da cidade com garagem no subsolo. As 16 vagas podiam ser usadas para parar veículos ou carruagens.

Outras inovações da Casa Milà foram o elevador e encanamento para água corrente, que eram novidades na época.

4- Cinco usos diferentes

Assim como o Edifício Copan, a Casa Milà é um edifício histórico com cinco usos diferentes: comercial, administrativo, social, cultural, turístico e residencial.

Sem dúvida, a Casa Milà é um edifício polêmico e encantador, que contribuiu diretamente para o movimento modernista e o modernismo como um todo.

Gosta de conhecer obras que mudaram a história da arquitetura? Veja também: