Cidades inteligentes: a tecnologia como solução de problemas urbanos!

A criação de cidades inteligentes é um assunto que desperta cada vez mais o interesse do governo e da população.

É evidente, principalmente nas grandes metrópoles, que algo deve ser feito para a melhoria da qualidade de vida, de serviços públicos e da sustentabilidade.

Além do planejamento urbano, é necessário investir em soluções tecnológicas que possam ser aceitas e utilizadas pelos moradores de cada cidade.

Neste artigo, vamos explicar o conceito de cidades inteligentes, sua importância e mostrar alguns exemplos de sucesso no Brasil e no mundo. Boa leitura!

Se você se interessa por cidades planejadas, leia também: Muito mais que Brasília! Conheça as mais belas cidades planejadas no Brasil

O que são cidades inteligentes?

 

As cidades inteligentes, ou Smart Cities, são aquelas que utilizam a tecnologia para promover o bem-estar dos moradores, o crescimento econômico e, ao mesmo tempo, melhorar a sustentabilidade.

Mas engana-se quem pensa que a única preocupação é o desenvolvimento tecnológico. Essas ações podem acontecer em vários setores como planejamento urbano, habitação social, energia, mobilidade urbana, coleta de lixo, controle da poluição do ar, entre outros.

cidade-inteligente-exemplo-de-imagem

Cidades Inteligentes

Apesar de ser uma estratégia relativamente recente, o conceito de cidades inteligentes já faz parte do planejamento de localidades do mundo todo.

De acordo com o estudo The World Population Prospects: The 2017 Revision, a população mundial chegará a 8,6 bilhões em 2030.

O crescimento populacional exige que as autoridades pensem na estruturação das cidades para oferecer qualidade de vida e evitar problemas sociais e econômicos.

De acordo com o Cities in Motion Index, do IESE Business School na Espanha, 9 variáveis podem indicar o nível de inteligência de uma cidade. São elas:

  • Capital humano
  • Coesão social
  • Economia
  • Meio ambiente
  • Governança
  • Planejamento urbano
  • Alcance internacional
  • Tecnologia
  • Mobilidade e transporte

Mas como as cidades inteligentes são criadas? Existem duas formas: a primeira é investir em cidades planejadas e incluir em seu planejamento prévio tecnologias e ações sustentáveis.

A segunda é reavaliar os processos das cidades já existentes e identificar as melhorias que podem ser realizadas de acordo com as necessidades dos moradores e do local.

Ao longo do artigo, vamos mostrar alguns exemplos dos dois casos em cidades do Brasil e do mundo.

Cidades inteligentes no mundo

 

Songdo (Coreia do Sul)

 

Songdo é uma das maiores referências quando falamos de cidades inteligentes. Ela foi planejada pensado totalmente na tecnologia e sustentabilidade.

cidades-inteligentes-songdo-Coreia-do-sul

Cidades inteligentes: Songdo (Coreia do Sul)

Seus edifícios são conectados a sistemas que possibilitam o monitoramento da energia e alarmes de incêndio, reduzindo o custo com manutenção e otimizando o uso.

Outro exemplo de inovação é o pneumático, um sistema localizado em todos os apartamentos. Os resíduos jogados ali vão direto para a central de coleta de lixo.

Dessa forma, caminhões não precisam circular pelas ruas. Além disso, os detritos são utilizados para abastecer incineradores que geram energia para a cidade.

Confira no vídeo mais detalhes sobre o planejamento de Songdo:

Barcelona (Espanha)

 

Assim como Songdo, a cidade espanhola também investe na gestão de resíduos. Escotilhas foram espalhadas pelo local e recolhem o lixo de hora em hora durante os 7 dias da semana.

Esse material viaja até 70 km/h em uma tubulação que fica a 5 metros da superfície. Ao chegar no centro de coleta, o lixo é separado entre material reciclável e orgânico. Esse último é transformado em combustível para gerar eletricidade.

cidades-inteligentes-barcelona

Cidades inteligentes: Barcelona

Copenhague (Dinamarca)

 

A capital dinamarquesa tem uma das políticas urbanas mais avançadas do mundo, com destaque para a sustentabilidade.

A cidade tem 400 km de ciclovias, a mais movimentada tem cerca de 40 mil passagens de ciclistas por dia. Um dado muito interessante é que, na zona central, há mais bicicletas do que habitantes.

Além disso, estima-se que 63% do parlamento dinamarquês pedale todos os dias para o trabalho.

Essa preocupação com a emissão de poluentes existe porque a cidade tem uma meta ousada: até 2025, Copenhague quer ser a primeira capital do mundo neutra em carbono.

cidades-inteligentes-copenhague

Cidades inteligentes: Copenhague

Cidades inteligentes no Brasil

 

As cidades inteligentes no Brasil estão avançando aos poucos. No ranking das 165 principais Smart Cities do mundo, divulgado pelo IESE Bussiness School, ocupamos 6 posições.

Cidades brasileiras no ranking de Smart Cities do IESE Business School

 

  • São Paulo (116ª)
  • Rio de Janeiro (126ª)
  • Curitiba (135ª)
  • Brasília (138ª)
  • Salvador (147ª)
  • Belo Horizonte (151ª)

São Paulo se destaca pelos investimentos em mobilidade urbana, com a criação de mais ciclofaixas e corredores de ônibus.

Curitiba, por sua vez, inovou com a criação do Ecoelétrico, uma frota de carros elétricos que prestam serviços públicos. Desde a sua implantação, em 2014, a cidade poupou a emissão de 12.264 quilogramas de gás carbônico na atmosfera.

Já Salvador, a única cidade do Nordeste no ranking, investe na tecnologia para melhorar a mobilidade urbana e a produção de energia.

Além da criação de um aplicativo para os passageiros de ônibus, o governo local investe na inteligência da coisas (IoT) para monitorar a iluminação de locais públicos. Dessa forma, existe uma redução no consumo de energia e mais rapidez na manutenção de equipamentos.

Além das localidades que estão no ranking, outras cidades inteligentes no Brasil se destacam pelo uso da tecnologia para a resolução de problemas. Conheça algumas delas.

Croatá Laguna EcoPark: A cidade inteligente no Ceará voltada para a habitação social 

 

A primeira cidade inteligente voltada para a habitação social no mundo está sendo construída em Croatá, São Gonçalo do Amarante (CE).

Trata-se de um projeto do grupo italiano Planet Idea criado para moradores de baixa renda, que poderão contar com uma infraestrutura tecnológica avançada.

A cidade se baseia em 4 pilares:

  • Arquitetura
  • Meio Ambiente
  • Tecnologia
  • Inclusão Social
cidades-inteligentes-croata-Laguna-EcoPark

Cidades Inteligentes: Projeto Croata Laguna EcoPark

cidades-inteligentes-croata-laguna-ecopark

Cidades Inteligentes: Croata Laguna EcoPark – Projeto de residência

A cidade vai contar com coleta de lixo inteligente, wi-fi liberado em todas as áreas institucionais e piso intertravado (que deixa a água da chuva correr para o solo).

Ela também vai contar com sistemas de reaproveitamento da água, irrigação automatizada de acordo com o clima, fiação elétrica subterrânea e locais que produzem energia cinética — gerada por movimentos do corpo.

Em relação ao transporte, serão implantados sistemas de bike sharing e compartilhamento de carros.

A área residencial vai contar com 23 hectares para abrigar entre 20 mil e 25 mil pessoas.

Projeto de cidade inteligente em Búzios inova consumo de energia

 

A cidade de Armação dos Búzios, no Rio de Janeiro, está usando a tecnologia para otimizar o consumo e a produção de energia.

Em parceria com a empresa Ampla, o governo implantou 60 lâmpadas LED controladas remotamente na região da Lagoa da Usina. A expectativa é que haja uma redução no consumo de energia de até 80%.

Outra ação realizada pelo município foi a inclusão de medidores inteligentes em 222 domicílios, que permitem que a população controle melhor os gastos de energia.

Além disso, moradores podem gerar energia com painéis solares e “vendê-la” de volta a Ampla, ganhando o abatimento na conta de luz. Esses painéis também foram colocados em escolas com o objetivo de gerar economia para as instituições.

cidades-inteligentes-escola-buzios

Cidades inteligentes: painéis solares em escolas

Livros sobre cidades inteligentes

 

Cidades sustentáveis, cidades inteligentes – Carlos Leite de Souza

 

Se você quer saber mais sobre a criação e desenvolvimento de cidades inteligentes, o livro “Cidades sustentáveis, cidades inteligentes”, escrito por Carlos Leite de Souza, é uma ótima fonte de estudo.

cidades-inteligentes-cidades-sustentaveis-cidades-inteligentes

Cidades inteligentes: Cidades sustentáveis, cidades inteligentes

Na obra, o autor fala sobre a importância da sustentabilidade nas cidades e destaca todos os desafios enfrentados em um projeto de cidade inteligente, passando por questões ambientais, mobilidade, segurança, exclusão, oportunidades e governança.

Carlos Leite também apresenta os principais conceitos de urbanismo sustentável e dá alguns exemplos de iniciativas bem-sucedidas.

Construindo Cidades Inteligentes – André Marcelo Panhan, Leonardo de Souza Mendes e Gean Davis Breda

 

cidades-inteligentes-construindo-cidades-inteligentes

Cidades Inteligentes: Construindo Cidades Inteligentes

Nessa obra, os autores explicam a diferença entre as cidades construídas no modelo tradicional e as smart cities. Além disso, eles mostram quais são os elementos necessários para o desenvolvimento tecnológico e apresentam um novo conceito, a Cidade nas Nuvens — totalmente conectada à internet.

Gostar de ler sobre arquitetura, urbanismo e áreas relacionadas? Confira também:

O planejamento de cidades exige muito conhecimento em gestão de projetos. Que tal aproveitar para expandir seu conhecimento sobre o assunto? É só baixar o nosso e-book: