Guia completo: como escolher o piso ideal para cada ambiente do seu projeto

Escolher piso para um apartamento pode ser uma tarefa bastante complexa mesmo para arquitetos e designers de interiores.

A variedade quase infinita de tipos de materiais, acabamentos, cores e formatos pode dificultar qual piso escolher, então é importante que a decisão do profissional esteja pautada em critérios que vão além da estética e do custo.

Como escolher piso: piso laminado

Como escolher piso: piso laminado

Listamos aqui algumas dicas valiosas na hora de como escolher piso para um apartamento.

Mas antes de começarmos, confira nosso post sobre como calcular metro quadrado para piso e livre-se dessa dor de cabeça.

11 tipos de piso indicados para projetos residenciais e comerciais

 

  1. cerâmica
  2. porcelanato
  3. cimento queimado
  4. ladrilho hidráulico
  5. mármore
  6. granito
  7. laminado de madeira
  8. assoalho de madeira
  9. piso vinílico
  10. mármore
  11. granito

Confira 11 dicas para acertar na escolha do piso ideal para seu projeto

 

 1 – Avaliar o ambiente

 

como-escolher-piso-avaliacao-do-ambiente

Como escolher piso: Avalie o ambiente

Primeiramente deve ser avaliada a finalidade do local onde será instalado o piso.

Ambientes residenciais costumam ter maior variedade de produtos de piso, já que detém menos tráfego e menores cargas do que ambientes comerciais, possibilitando uma grande diversidade de pisos.

Além do uso, outra questão a se avaliar para uma correta especificação é se o ambiente é interno ou externo.

Ambientes internos devem ter especificações diferentes de ambientes externos devido a questões relacionadas com resistência à umidade, capacidade anti-derrapante e outros.

Ambientes internos também necessitam de pisos com características diversas dependendo do seu uso.

Devido à grande incidência de água nesses ambientes, banheiros, cozinhas e áreas de serviço devem ter pisos com características semelhantes aos pisos para área externa, garantindo a durabilidade do material e a segurança.

Assim, avaliar as características de uso do ambiente é o primeiro passo para que se possa decidir qual piso escolher.

2 – Checar a porosidade e resistência do piso

 

como-ecolher-piso-tabela-de-abrasao

Como escolher piso: índice PEI

A porosidade do piso é uma característica que está diretamente relacionada à sua resistência.

A porosidade diz respeito à capacidade de absorção de água do material.

Materiais cerâmicos porosos, por exemplo, apresentam nível de absorção de água maior que 10%, enquanto materiais do tipo grês absorvem de 0,5 a 3%.

A permeabilidade de um piso interfere em outras propriedades do material, como sua resistência às cargas e ao desgaste.

Dessa forma, quanto mais impermeável, mais resistente é o revestimento.

Outra característica fundamental para a escolha de um revestimento de piso é a resistência à abrasão, ou seja, o desgaste que o material suporta diante do tráfego de pessoas e do contato com objetos.

O índice de resistência dos materiais geralmente é fornecido pelos fabricantes dos produtos.

Se você optar por um piso cerâmico ou porcelanato, por exemplo, pode verificar o índice PEI (Porcelain Enamel Institute) do material, escala adotada pela indústria que varia de 0 a 5, sendo 5 o nível mais resistente.

Pisos externos, por exemplo, exigem PEI mais elevado.

Para pisos laminados de madeira, a resistência ao desgaste é dada por uma tabela que apresenta os índices AC2 a AC5, sendo o AC2 o menos resistente e o AC5 o mais resistente.

como-escolher-piso-classe-piso-laminado

Como escolher piso: classe de pisos laminados

3 – Temperatura do piso

 

omo-escolher-piso-temperatura

Como escolher piso: temperatura

A temperatura do piso está relacionada com a sensação do toque.

Pisos frios

 

Os pisos frios conferem sensação de frescor e transmitem a sensação de diminuir a temperatura do ambiente.

Entre os tipos de piso que se enquadram nessa categoria estão a cerâmica, porcelanato, cimento queimado, ladrilho hidráulico, mármore, granito e superfícies resinadas.

Apesar das semelhanças, também existem muitas diferenças entre porcelanato e cerâmica. Saiba quais são em nosso post.

Já os pisos quentes possuem temperatura mais constante e permitem pouca passagem de calor, já que o mesmo fica retido na superfície, o que permite um equilíbrio maior entre a temperatura da pele e do material.

Pisos quentes

 

Entre os pisos quentes estão os laminados e assoalhos de madeira, pisos vinílicos, de bambu, entre outros.

Os pisos quentes são bastante utilizados por conferirem mais aconchego aos ambientes, já que transmitem sensação de bem-estar.

Esse tipo de piso é muito recomendado para ambientes que pedem mais comodidade e conforto, como quartos e salas.

Os pisos frios, devido à durabilidade e praticidade, são utilizados principalmente em ambientes externos e em áreas mais úmidas, que tem contato mais recorrente com a água, como cozinhas e banheiros.

No entanto, são pisos muito utilizados também em áreas comuns da casa, como salas, halls e quartos, principalmente pela variação de acabamentos disponíveis no mercado.

4 – Limpeza e manutenção

 

como-escolher-piso-limpeza

Como escolher piso: limpeza e manutenção

Limpeza e manutenção também são itens determinantes na escolha do piso de um apartamento.

Cada material tem a sua especificidade, e é importante que os cuidados de limpeza e manutenção estejam de acordo com a rotina e possibilidades do cliente.

Geralmente os pisos quentes demandam um pouco mais de cuidado em sua conservação.

Para os laminados e vinílicos é recomendável utilizar na limpeza um aspirador de pó e um pano úmido torcido, com algum produto próprio para a limpeza desse tipo de piso.

Para os demais pisos quentes, recomenda-se não utilizar materiais cortantes ou abrasivos, cera, enceradeiras elétricas, esponja de aço ou lixa.

Os pisos frios, como porcelanatos e pisos cerâmicos podem ser lavados com água em abundância, o que muitas vezes é visto como uma vantagem desse tipo de revestimento, principalmente para áreas que tem muito uso.

A frequência de limpeza também deve ser avaliada para que não entre em conflito com o estilo de vida do morador.

Pisos claros “revelam” mais facilmente a sujeira, por isso demandam mais cuidado na limpeza.

5 – Capacidade Antiderrapante

 

como-escolher-piso-capacidade-antiderrapante

Como escolher piso: piso antiderrapante

Outra característica a ser avaliada na escolha do piso é a resistência a derrapagens oferecida pelo material.

Pisos em declive ou em áreas sujeitas à água ou gorduras, como banheiros, piscinas e cozinhas, devem ser especificados com o maior cuidado possível visando a segurança dos usuários.

O índice que mede a capacidade antiderrapante de um piso é denominado coeficiente de atrito.

Quanto maior o coeficiente de atrito, mais áspera será a superfície, e maior a sua capacidade antiderrapante. Ao mesmo tempo, mais difícil será a limpeza desse material.

Portanto, recomenda-se a utilização de peças com coeficiente de atrito próximo ao limite estabelecido em norma:

  • menor ou igual a 0,4 para instalações comuns;
  • entre 0,4 e 0,7 em áreas onde se requer resistência a derrapagens;
  • em locais com alto risco por serem escorregadios, como rampas, banheiros e áreas externas, coeficiente maior ou igual a 0,7.

6 – Instalação

 

como-escolher-piso-instalacao

Como escolher piso: instalação

A instalação do piso varia conforme o tipo de material escolhido, e pode ser também um fator determinante na escolha.

Alguns modelos de piso permitem a instalação pelo próprio morador, é o caso dos vinílicos auto-adesivos, facilmente aplicáveis sobre o piso existente (desde que a superfície esteja totalmente nivelada).

Outros pisos demandam mão de obra especializada e podem levar mais tempo na instalação, principalmente aqueles que exigem assentamento sobre contrapiso, como porcelanatos, cerâmicas, granitos e outros.

Em termos de instalação, levam vantagem os pisos laminados e o vinílico por apresentarem instalação muito limpa e rápida, por sistemas de encaixe, das placas, cola ou adesivo.

Também é importante considerar que o tipo de instalação influenciará diretamente no preço final do produto, portanto além de mensurar o custo do material, a mão-de-obra da instalação também deve ser contabilizada.

Confira também 5 dicas de aplicações criativas de revestimento que você nunca imaginou!

7 – Pisos naturais: granito ou mármore?

 

Como escolher piso: pisos naturais

Materiais naturais como granitos e mármores tem como principal vantagem o apelo estético do projeto, já que em sua maioria são considerados materiais mais nobres que materiais sintéticos.

Porém, o custo desses materiais costuma ser maior, assim como a mão de obra de instalação também é mais onerosa.

O granito, bastante conhecido e muito utilizado em pisos de cozinhas e banheiros, é um material natural que se destaca pela resistência e durabilidade.

Além disso, apresenta facilidade de limpeza, já que pode ser higienizado com água e produtos específicos, sem muito trabalho.

Existem no mercado brasileiro vários tipos de granito de diferentes cores e desenhos, sendo característica do material uma superfície bastante granulada e irregular.

Já o mármore é um tipo de piso mais sofisticado, utilizado principalmente para proporcionar requinte e elegância ao ambiente.

Apesar de mais nobre, o mármore é um material mais poroso que o granito, por isso também menos resistente.

O uso do mármore em piso é recomendado em áreas de menor incidência de água, pois por se tratar de um material poroso, mancha com facilidade.

8 – Pisos para pet

 

como-escolher-piso-piso-para-pet

Como escolher piso: pisos para pet

A presença de um animal de estimação pode interferir na escolha do piso de um apartamento, visando a durabilidade do produto e a qualidade de vida do pet.

Os pisos lisos são os menos indicados para a situação, pois exigem maior esforço físico do animal para se deslocar (as unhas e garras dos animais não são porosas).

Assim, superfícies polidas como mármores e outras pedras naturais, ou mesmo porcelanatos polidos, devem ser evitados.

Pisos de madeira, por exemplo, apresentam superfície menos rígida para o andar e deitar de cães e gatos.

No entanto, determinados tipos de madeira, poderão facilmente apresentar riscos ocasionados pelas unhas do animal.

Em ambientes com grande número de animais, como clínicas veterinárias e canis, o piso de madeira deve ser evitado pois o material pode acumular pragas, como pulgas e carrapatos com mais facilidade.

Outra questão muito importante é a facilidade de limpeza do material e a resistência à manchas, visto que o produto terá contato constante com urina e dejetos.

Um piso bastante indicado para os donos de pet é o piso vinílico, material resistente a arranhões, antiderrapante e que oferece conforto.

Além disso, é muito prático na limpeza e manutenção.

9 – Saiba qual o melhor piso para apartamento pequeno

 

como-escolher-piso-piso-apartamento-pequeno

Como escolher piso: piso para apartamento pequeno

No caso de apartamentos pequenos, pode-se buscar uma solução de piso que proporcione a sensação de amplitude ao espaço.

Nesse sentido, uma boa estratégia é utilizar o mesmo piso em todos os ambientes, integrando os espaços sem demarcar cada cômodo.

Outro recurso é utilizar um piso em tom claro, que também proporcionará o efeito de amplitude.

Porcelanatos e pisos vinílicos são grandes aliados em apartamentos pequenos, pois podem ser utilizados também em áreas como cozinha, banheiro e área de serviço.

No caso do piso vinílico, a absorção de som é maior, evitando perturbações com ruído.

Além disso, é um material mais térmico que o porcelanato, oferecendo um ambiente com clima agradável em todas as estações do ano.

10 – Pisos para apartamento alugados

 

como-escolher-piso-apartamentos-alugados

Como escolher piso: piso para apartamentos alugados

Nem sempre é possível trocar o piso de imóveis alugados pois muitos proprietários impossibilitam reformas e mudanças em seu aspecto original.

Nesses casos, se o revestimento existente não é adequado ou não agrada esteticamente aos inquilinos, pode-se recorrer a soluções alternativas, como instalar pisos elevados ou elementos removíveis que não desconfigurem a situação existente.

Além do piso vinílico, que pode ser aplicado por cima dos pisos já existentes sem necessidade de quebra-quebra, podem ser utilizados deques de madeira, placas laminadas e outros materiais fáceis de colocar e retirar.

Dessa forma consegue-se expressar a identidade do morador sem prejudicar o proprietário do apartamento.

11 – Piso que não faz barulho

 

como-escolher-piso-piso-que-nao-faz-barulho

Como escolher piso: piso que não faz barulho

Uma grande preocupação de quem mora em apartamento é a questão do barulho.

Todos querem ter liberdade dentro de casa, sem receber reclamações dos vizinhos por andarem de sapatos ou mesmo porque a criança está brincando, portanto, escolher um piso que não faz barulho é fundamental.

A escolha adequada do piso pode favorecer essa situação.

Os materiais de piso apresentam características diferenciadas em relação à propagação do som.

Quanto menor for o contato do piso com o contrapiso, menor será o ruído transmitido. Por isso, pisos suspensos são considerados os mais silenciosos.

Nesse caso, os pisos vinílicos, por serem macios, apresentam melhor isolamento acústico e amenizam os ruídos, bem como os pisos laminados, que possuem mantas acústicas que isolam o contrapiso e o barulho.

Agora que você já sabe qual piso utilizar em cada área do seu projeto, que tal aprender como divulgá-lo melhor?

Confira o Ciclo do Encantamento, conteúdo desenvolvido especialmente para arquitetos e designers que querem dar um UP na carreira:

Este post foi escrito pela Duratex, a maior produtora de painéis de madeira industrializada do Hemisfério Sul.