Você sabe a diferença entre planejamento urbano e desenho urbano? Entenda já!

Desenho urbano: desenho urbano de Curitiba

Desenho urbano: desenho urbano de Curitiba

Falar sobre planejamento urbano é abordar uma série de processos, estudos e até mesmo áreas diferentes. Todo esse detalhamento é essencial, afinal, estamos falando do bem-estar e segurança de toda a população.

Entre as etapas do projeto, está o desenho urbano. Trata-se de uma atividade que gera muitas dúvidas entre estudantes e até mesmo profissionais.

Isso é comum, afinal, até mesmo entre estudiosos não existe um consenso sobre o que é o desenho urbano, em qual estágio do projeto ele surge, entre outras questões.

E você, está perdido sobre o assunto? Não se preocupe! Neste artigo, trouxemos um panorama geral sobre o desenho urbano. Acompanhe!

Leia mais sobre projetos e cidades:

O que é desenho urbano?

 

Desenho urbano, explicando de forma simples, é um campo de conhecimento multidisciplinar que aborda as áreas de urbanismo, paisagismo e arquitetura.

Ele é diretamente ligado ao planejamento urbano e consiste em 4 atividades básicas:

  • Análise visual da área urbana
  • Percepção do meio ambiente
  • Identificação do comportamento ambiental
  • Composição da morfologia urbana

De forma geral, podemos dizer que o desenho urbano é um estudo que busca a harmonia entre o espaço construído e as interações humanas.

São com as informações levantadas nesse estudo que é possível identificar qual será a relação das edificações com o espaço livre da cidade.

Além disso, ele permite identificar quais são as atividades econômicas do local, o uso social, a relação com o ambiente natural, entre outras características importantes.

Diante desse contexto, sem dúvida, o desenho urbano pode ser considerado um instrumento essencial para a realização de um planejamento urbano.

Pensar no planejamento das cidades é uma questão cada vez mais urgente. Entenda porque as cidades planejadas no mundo são decisivas para o futuro da humanidade.

Desenho urbano: origem

 

Esse conceito surgiu a partir da década de 60, mas para começar a entendê-lo precisamos voltar ao final dos anos 40.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, vários países começaram a reconstruir suas cidades investindo na construção de vários conjuntos habitacionais. Esse processo ficou conhecido como planejamento urbano modernista.

A Unité d’Habitation de Marseille, de Le Corbusier, é um exemplo.

Desenho Urbano: Unité d’Habitation de Marseille

Desenho Urbano: Unité d’Habitation de Marseille

Mas a partir da década de 60, especialistas em arquitetura e urbanismo começaram a criticar a forma como esse planejamento urbano pós-guerra havia sido feito.

Foi então que algumas construções começaram a ser derrubadas, principalmente em áreas de baixa renda.

Foi nesse período que a jornalista norte-americana Jane Jacobs escreveu o livro “Death and Life of Great American Cities”, que tornou-se referência para várias teorias urbanísticas.

Na obra, ela destaca que o planejamento urbano modernista rejeita a cidade e não favorece o bem-estar da comunidade.

Ela estabeleceu vários parâmetros para o desenvolvimento de cidades que, até hoje, são considerados importantes para vários urbanistas.

Foi a partir daí que o modelo de intervenção urbana nos EUA e Europa mudou.

Houve a necessidade de encontrar o meio termo entre a criação de edifícios e obras no geral (arquitetura) e o planejamento urbano, com suas questões sócios-econômicas. Diante desse contexto, nasceu o desenho urbano.

Se interessa por planejamento urbano? Conheça as mais belas cidades planejadas no Brasil.

Qual a diferença entre planejamento urbano e desenho urbano?

 

Todos sabemos a importância do planejamento urbano e dos projetos arquitetônicos, mas, afinal, onde entra o desenho urbano?

Note que, enquanto o planejamento urbano foca no crescimento das cidades e organização dos espaços, os projetos de arquitetura pensam na criação das edificações.

Percebe que falta alguma coisa aí? E como fica a definição do traçado das ruas, bairros, malhas viárias, questões relacionadas ao solo e ao meio ambiente?

É aí que o desenho urbano entra. Ele ajuda a organizar todos os elementos e oferece segurança, praticidade e bem-estar aos habitantes do local.

Diante desse contexto, nos últimos anos, grandes cidades estão mudando seu desenho urbano com o objetivo de organizar o trânsito ou facilitar a mobilidade urbana.

Um exemplo é a cidade de São Paulo. A Rua Joel Carlos Borges, próxima da estação de trem Berrini, tinha as calçadas muito estreitas. Esse desenho prejudicava a locomoção dos usuários do trem, colocando em risco a sua segurança.

Para solucionar o problema, a rua recebeu duas faixas verdes laterais.

Desenho urbano: Rua Joel Carlos Borges (São Paulo)

Desenho urbano: Rua Joel Carlos Borges (São Paulo)

Outro exemplo é a cidade de Buenos Aires, que incluiu uma rotatória para diminuir a quantidade de acidentes.

Desenho urbano: inclusão de rotatória em Buenos Aires

Desenho urbano: inclusão de rotatória em Buenos Aires

Além disso, o desenho urbano pode ser usado com um instrumento para minimizar impactos negativos causados no meio ambiente físico, cultural e natural.

Ele ajuda a identificar de que forma novos elementos devem ser incluídos naquele determinado espaço urbano sem ameaçar a sua integridade.

Como você pode perceber, ele é uma parte fundamental do planejamento urbano, tanto que vários estudiosos consideram os dois interdependentes.

Tipos de desenho urbano

 

Agora que você aprendeu o que é desenho urbano, vamos aprofundar um pouco mais o assunto e mostrar quais são os tipos de desenho urbano. As definições a seguir são do livro “Urban Design: typology of procedures and products” (2005), de Jon Lang:

1- Desenho Urbano “total”

 

É quando uma única equipe controla todo o projeto. Não é muito comum no Brasil.

2 – Desenho Urbano “all of a piece”

 

Nesse tipo de desenho urbano, uma equipe cria um plano geral que orienta a ação dos empreendedores que desejam construir na cidade.

3 – Desenho urbano “piece by piece”

 

A produção das edificações é feita a partir de centenas ou milhares de decisões individuais, que devem obedecer um conjunto de normas gerais. Dessa forma, a construção de edificações é controlada por zoneamentos, incentivos e penalidades.

4- Desenho Urbano “plug-in”

 

Segue o conceito da arquitetura urbana, que é um conjunto de ações pontuais com o objetivo de incentivar o desenvolvimento sustentável das cidades.

Como o aumento populacional e o avanço de soluções tecnológicas, veremos cada vez mais cidades preocupadas com o desenho urbano. Por isso, fique atento, pois ela pode tornar-se uma excelente área da arquitetura para atuação nos próximos anos.

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe com seus amigos nas redes sociais!