Luz direta ou indireta? O que é melhor para iluminação de escritório?

Em dúvida de como fazer a iluminação para escritório? Que tal saber um pouco mais sobre sistemas de iluminação corporativa lendo este artigo?

Vamos esclarecer como funciona, além de definir quais são os prós e contras de cada solução. Vamos abordar sobre luz direta, indireta, semi-direta e semi-indireta.

Iluminação para Escritório

 

iluminacao-para-escritorio

iluminação para escritório

Mais que funcional, a iluminação corporativa tem uma importante função de influenciar na arquitetura e também no desempenho do ambiente.

Isso acontece porque os sistemas de iluminação na arquitetura corporativa levam em consideração diversos aspectos, como o fato de que os colaboradores passam a maior parte do seu dia a dia dentro do ambiente de trabalho.

Sendo assim, é essencial que se tenha uma iluminação adequada e confortável durante a permanência no local e onde as tarefas diárias precisam ser realizadas com eficiência.

É preciso que haja um bom projeto luminotécnico que seja, sobretudo funcional e confortável. Pois, muitas vezes o desempenho dos funcionários pode estar intimamente ligado a esses detalhes.

O estudo da iluminação tem tido grandes avanços nos campos dos projetos arquitetônicos e de interiores, e por isso ele se faz necessário principalmente nos ambientes corporativos, no qual as pessoas passam um longo período contínuo de horas, desenvolvendo muitas vezes atividades que requerem muita atenção visual.

E para o desenvolvimento do projeto, devemos sempre nos imaginar na posição do usuário como quais suas necessidades, quais possíveis dificuldades, visualizando exatamente o que ele precisa.

Veja mais sobre a arquitetura corporativa, a área que veio reestruturar os tradicionais escritórios.

Sistemas de iluminação corporativa

 

1 – Iluminação Geral

 

iluminacao-para-escritorio-iluminacao-geral-corporativa

iluminação para escritório: iluminação geral corporativa

O sistema de iluminação geral do ambiente de trabalho deve ter entre 300 e 500 lúmens. O nível de iluminância de 500 lúmens deve ser garantido sobre os planos de trabalho. Já nas áreas de circulação e periféricas pode se trabalhar com níveis mais baixos.

A luz deve ser “firme”. É importante sistemas sem flicker, que é a rápida oscilação que ocorre em leds que não possuem filtro para estabilizar possíveis poluições da rede.

O melhor posicionamento é sempre por cima. É importante, também, manter as luzes brilhantes fora do campo de visão do trabalhador para evitar o ofuscamento.

Todas as luminárias devem possuir controle ótico, ou seja, ter aleta ou acrílico difusor.

Para iluminação pontual direcionada à papéis ou teclado, é aconselhável a utilização de luminárias de mesa, com luz fraca, e que, de modo algum, seja projetada luz sobre o monitor.

Outro cuidado que deve ser tomado é com possíveis contrastes acentuados entre as iluminações da tela e a exterior, pois provoca cansaço visual.

Quer aprender mais sobre iluminação? Inscreva-se já no curso gratuito de Lighting Design:

curso-light-design

Normas da iluminação geral

 

As regras para a iluminação geral dos locais de trabalho estabelecem que deve haver iluminação adequada em todas as áreas de trabalho, natural ou artificial, apropriada à natureza da atividade. Determina, ainda, que a iluminação geral deve ser uniformemente difusa e distribuída, o que tem provocado erros de interpretação por parte dos profissionais de iluminação.

É importante observar que não existe a obrigatoriedade de toda a iluminação necessária ser suprida pela iluminação geral, podendo ser empregada uma iluminação complementar no campo de trabalho.

A norma diz que a iluminação geral deve ser, uniformemente difusa e distribuída, e que, portanto, é preciso colocar 500 lux em toda a sala.  Porém não necessariamente a luz geral deva ser a única fonte de iluminação do local.

A NBR 8995-1 aponta requisitos importantes da iluminação para escritório, no qual o principal é que os usuários possam desempenhar suas tarefas visuais de modo eficiente, com conforto e segurança.

Para essa análise, utilizaremos quatro sistemas de iluminação direta, indireta, semi-direta e semi indireta, aplicados ao ambiente de trabalho.

Confira também:

2 – Iluminação direta

 

iluminacao-escritorio-iluminacao-direta

iluminação escritório: iluminação direta

A iluminação direta é quando o fluxo luminoso emitido é totalmente dirigido sobre a superfície a iluminar.

Este tipo de iluminação no ambiente corporativo evita que haja grandes perdas devido a absorção pelo teto e pelas paredes. No entanto, pode produzir grandes sombras no local.

A iluminação direta é recomendada quando se precisa de uma iluminação mais focada, ou de destaque para algum local ou espaço, já que atividades mais específicas como laboratoriais necessitam de luz mais direcionada de maior precisão e concentração.

3- Iluminação indireta

 

iluminacao-escritorio-iluminacao-indireta

iluminação escritório: iluminação indireta

Neste tipo de iluminação 90 a 100% do fluxo emitido é dirigido para o teto. A iluminação indireta não possui um foco dirigido para iluminar.

Assim, ilumina o ambiente corporativo como um todo, podendo funcionar muito bem como uma luz de ambientação.

Na iluminação indireta sua luz é direcionada para o teto e é absorvida antes de ser refletida. Só depois que ela é refletida de forma uniforme iluminando os outros cantos do local.

A iluminação principal com luz indireta deve atender a funcionalidade da área de trabalho, sendo utilizada em salas de reunião, escritórios, bancadas de produção.

Seu foco principalmente está na visibilidade e no conforto visual que proporciona no local.

Já nos setores sociais no ambiente corporativo, como as salas de espera, recepção e ambientes de convívio e integração, é recomendado a utilizamos de uma iluminação indireta de temperatura de cor mais quente, pois é através da luz quente que se cria uma atmosfera mais aconchegante e confortável para momentos de maior descontração.

Clique aqui para ver modelos incríveis de luminárias de luz direta para escritório.

4 – Iluminação semi-direta

 

iluminacao-escritorio-iluminacao-semi-direta

iluminação escritório: iluminação semi-direta

Na iluminação semi-direta, a maior parte do fluxo é dirigido para iluminar a superfície de 60 a 90%, dirigindo-se o restante em outras direções.

A disposição das lâmpadas no ambiente corporativo com a iluminação semi-direta minimiza as áreas de sombra e ofuscamento, podendo valorizar um objeto decorativo ou ainda um espaço que necessite de maior iluminação, como por exemplo, um espaço de leitura.

A iluminação semi-direta mais indicada para estações de trabalho seriam as luminárias pendentes, que direcionam a luz com maior intensidade na angulação necessária.

5 – Iluminação semi-indireta

 

iluminacao-escritorio-iluminacao-semi-indireta

iluminação escritório: iluminação semi-indireta

Aqui cerca de 60 a 90% do fluxo é dirigido para o teto. Este processo de iluminação proporciona ao escritório uma luz mais agradável.

No entanto, a desvantagem é se dá pelo baixo rendimento luminoso, devido às elevadas perdas por absorção no teto e nas paredes.

Confira também como fazer a iluminação de outros ambientes:

Um bom projeto de iluminação no ambiente corporativo é essencial, pois além de ser funcional, ele pode colaborar de diversas formas com o desempenho da empresa.

Seja de forma direta, para um ambiente mais produtivo e funcional, ou seja de forma indireta, criando um local de trabalho harmônico, confortável e agradável.

Para saber mais sobre conceitos luminotécnicos, confira o curso gratuito de Light Design no Viva Decora PRO Academy.

Esse conteúdo foi desenvolvido pela Ilunato, loja virtual de iluminação e decoração criada para atender profissionais. Conheça e se surpreenda com o nosso programa de especificadores parceiros.