As 8 principais dúvidas sobre o jardim vertical natural

Já falei sobre as 2 tendências europeias de Jardim Vertical que estão ganhando força no Brasil, e desta vez quero tratar especificamente sobre o jardim vertical natural. Por mais que já seja uma realidade em projetos dos mais variados tipos, no dia a dia da Vertical Garden ainda vejo pessoas com muitas dúvidas sobre o tema. Isso vale tanto para o consumidor final, que deseja ter um jardim vertical natural em sua casa ou local de trabalho, quanto para profissionais como arquitetos, paisagistas, decoradores, entre outros que, de um jeito ou de outro, podem se deparar com o assunto.

Confira abaixo as 8 principais dúvidas sobre o jardim vertical natural:

1 – O que preciso de infraestrutura para implantar um jardim vertical com segurança?

 

jardim-vertical-natural

jardim vertical natural

Não é preciso muito para se construir um jardim vertical natural. Eles podem ser aplicados em qualquer superfície vertical externa e, em alguns casos específicos, em superfícies internas, desde que haja uma ótima iluminação e ventilação natural. Em síntese, é preciso comportar três requisitos: um ponto de água, um ponto de dreno ou ralo próximo e um ponto de energia.

O ponto de água serve para fazer a irrigação automatizada e adubação. O ponto de dreno ou ralo é fundamental para receber o restante da água que, naturalmente, acaba não sendo aproveitado pelo sistema. E o ponto de energia serve para instalar o sistema computadorizado inteligente, como, por exemplo, um timer que aciona a irrigação de acordo com a programação diária.

2 – Qual é o melhor tipo de jardim vertical para ambientes externos e internos?

 

jardim-vertical-natural-externo-e-interno

jardim vertical natural: externo e interno

Se a intenção for instalar um jardim vertical em uma área externa, o mais recomendado é o jardim natural porque oferece tudo o que a planta precisa. Para se desenvolver de forma saudável, um jardim natural precisa de circulação de ar, iluminação solar, esse é o habitat ideal para a planta crescer forte. Porém, em alguns casos muito específicos, é possível colocar uma parede verde em ambiente interno, desde que exista o mínimo de luz e circulação de ar.

Para ambientes fechados, como empresas, recepções de hotel e shopping center, o mais adequado é um jardim vertical preservado, artificial ou moss, uma vez que não precisam de iluminação e água. Outro caso em que se aconselha o uso de jardim preservado, artificial ou moss é quando uma obra está finalizada e não é possível puxar um ponto de irrigação, um dreno e nem um ponto de energia.

Veja também: Roberto Burle Marx: o jovem pintor que se tornou paisagista

3 – Atualmente, qual é o melhor sistema de jardim vertical natural?

 

jardim-vertical-natural-ambientes-externos

jardim vertical natural: ambientes externos

No passado, o principal sistema de jardim vertical natural era o pote meia-lua, aquele que pendura na parede. Depois, teve bloco de cerâmica, bloco de cimento, onde se faz uma alvenaria para colocar o jardim vertical. Mas, isso acabou caindo em desuso porque as plantas não conseguiam se desenvolver, acabavam morrendo, gerava manutenção extra, troca e automaticamente gerava um custo pós-obra. Dessa maneira, criou-se um falso conceito de que jardim vertical dava manutenção.

Atualmente, o jardim natural com mantas é a técnica mais recomendada, pois possibilita o melhor desenvolvimento das plantas, enraizamento, além de permitir a fertirrigação, ou seja, a adubação por meio da água. Nesse sistema conseguimos manter a planta saudável sem terra e sem substrato.

4 – Como é feita a instalação de uma parede verde?

 

jardim-vertical-natural-parede-verde

jardim vertical natural: parede verde

A instalação é feita de uma forma limpa, rápida e prática. Importante: a parede não precisa de nenhuma estrutura adicional, tampouco estar impermeabilizada. A estrutura básica do jardim natural se divide em afastadores metálicos, placas modulares impermeáveis e manta de alta densidade.

Os afastadores com 4 cm de espessura garantem a distância das placas em relação à parede, evitando qualquer risco de umidade. As placas modulares são impermeáveis e totalmente recicláveis; não propagam chamas, são flexíveis e não deformam. A fixação é realizada por meio de buchas e parafusos especiais. Acima das placas, coloca-se uma dupla camada de mantas de alta densidade, são grampeadas e formam bolsas, onde se coloca a muda. Os materiais que compõem a estrutura tem garantia de 2 anos, e o tempo mínimo de duração dessas peças é de 5 anos.

5 – E a manutenção de um jardim vertical natural, como é realizada?

 

A manutenção é parte importante para que se tenha um jardim vertical natural bonito e saudável. Nesse processo é feita a poda, retirada de folhas amarelas e eventual troca de algumas espécies. Os profissionais também cuidam da adubação, quando será feita a reposição dos nutrientes das plantas, bem como o controle das pragas.

A periodicidade depende do tipo do jardim e sua localização, e pode variar em intervalos mensais, bimestrais ou trimestrais. Normalmente, a garantia do jardim é de 30 dias (plantas) e 90 dias para o sistema de irrigação. O custo médio é de R$ 25 o metro quadrado.

6 – Posso regar o jardim manualmente?

 

Não, esse processo deve ser automatizado, a tecnologia é fundamental para o desenvolvimento do jardim vertical. Sem irrigação automatizada, um jardim natural não vai se desenvolver e acaba não sobrevivendo. Para se ter uma ideia, dependendo do painel, o disparo de água acontece até dez vezes por dia, portanto, não dá para depender que alguém fique regando o jardim com essa frequência em um mesmo dia. É praticamente impossível.

7 – Qual é o tempo de vida de um jardim vertical?

 

Não existe um tempo determinado, tudo vai depender da manutenção. Abrir mão dos cuidados básicos com certeza compromete não só a qualidade como também a beleza do jardim vertical. A médio prazo, as plantas terão problemas irreversíveis e precisarão ser substituídas. Além de gerar custo adicional, não é ecologicamente correto. O objetivo do jardim vertical é que as plantas se desenvolvam plenamente e não sejam trocadas.

8 – Quais são os benefícios de contar com um jardim vertical natural?

 

São inúmeros os benefícios ao instalar o jardim vertical natural em um projeto. O primeiro ponto que vale ser destacado é a contribuição energética para o espaço e seu entorno. O verde auxilia em manter um ar mais puro e saudável, pois retém impurezas e poluentes que estão na atmosfera. Além disso, exercem um papel importante no conforto térmico, já que protegem contra a alta temperatura e ajuda a manter o clima ameno durante o frio do inverno.

Um segundo item diz respeito à beleza natural. As plantas são uma riqueza proporcionada pela natureza, e caem bem em diferentes tipos de ambientes. Tudo combina com plantas, que dão um aspecto de vida, principalmente em áreas urbanas, com muito concreto. Protegem fachadas, formando uma barreira contra a chuva, o vento, a incidência exagerada do Sol e ruídos.

Um outro ponto interessante é que o jardim vertical hoje está regulamentado como uma opção viável de compensação ambiental. Por último, mas não menos importante, está o dinamismo do jardim vertical natural. É desenvolvido sob medida, conforme as necessidades (e desejos) do cliente, tem opções de estilos, uma ampla gama de vegetações e composições capaz de agradar aos padrões estéticos mais exigentes. E, quando necessário, pode ser retirado da parede sem causar qualquer dano.

Como especialista em jardim vertical (e apaixonado pelas paredes verdes) espero ter ajudado a tirar dúvidas e trazer mais informação e conhecimento a quem deseja saber mais sobre o jardim vertical natural. 

Esse post foi escrito por Bruno Watanabe, diretor da Vertical Garden, empresa certificada pelo GBC Brasil.