Bambu Mossô para a sua decoração de ambientes

O bambu mossô, conhecido cientificamente pelo nome Phyllostachys pubescens, é uma planta herbácea rizomatosa, da família das gramíneas, de colmos grossos e entrenós mais curtos que o conhecido bambu. Originário da China, veio para o Brasil na época da colonização. Hoje é comum encontrá-lo nas mais diversas regiões do país, o que justifica e ilustra sua adaptação aos mais variados climas.

Pode ser cultivado em qualquer região do Brasil inclusive nos Estados mais ao Sul com invernos mais rigorosos, pois tolera bem baixas temperaturas. A melhor época para seu plantio é o inverno.

 Conheça mais sobre o bambu mossô

Diferente da maior parte dos bambus, essa espécie não forma touceiras. É largamente usado em projetos paisagísticos de residências, condomínios, empreendimentos corporativos e até escritórios, desde que sejam respeitadas as condições de microclima e insolação de preferência do mossô.Pode ser cultivado direto no solo, em canteiros ou em vasos.

O formato sinuoso do caule desta espécie não é natural. É obtido por meio de uma técnica artesanal. Presume-se que tudo tenha começado em função do próprio porte da planta, que na natureza chega a atingir entre 10 e 20 metros de altura. Para obter uma planta de menor porte, foi desenvolvida uma técnica para flexionar o caule do bambu-mossô e, assim, reduzir seu tamanho. Suas folhas são pequeninas e delicadas com coloração verde escura. Suas flores não ocorrem em nosso país.

 

Já em canteiros, caso a muda tenha mais de dois metros de altura, convém colocar um tutor ou sarrafo, amarrando com um cordão para manter a planta no lugar, mas sem apertar demais para não danificar o colmo (um tipo de caule, a parte compreendida entre os nós do bambu).

Pode também ser cultivado em vasos grandes, mais largos que fundos. O melhor material é o cimento, que tem peso suficiente para que a planta não tombe, mas nada impede de usar vasos de outros materiais.

Como característica oriental, o bambu mossô tem um efeito relaxante sobre as pessoas, e é muito  fácil encontrá-lo em clínicas de repouso, estética, recantos de meditação e similares.

O ideal é que ele seja cultivado a sol pleno, mas o bambu-mossô também pode ser cultivado em ambientes internos, próximo a uma grande janela ou à porta de vidro da sala, por exemplo, onde receba bastante luminosidade natural.

Recomenda-se solo fértil e com boa drenagem. Não exagerar na quantidade nem na freqüência de regas. Em média, regar uma vez por semana é suficiente.

A título de curiosidade, os brotos do bambu servem de alimento na cozinha oriental, principalmente os desta espécie. O prato se chama take-no-kô e é facilmente preparado após duas fervuras com trocas da água. Após a segunda fervura, elimina-se a água, quando poderá receber o tempero a gosto ou a base de shoyu.

 

 

Henrique Vital Valentim

Henrique Vital  é colaborador do Viva Decora e paisagista dedicado a melhorar a vida das pessoas utilizando elementos presentes na natureza que nos cerca.