Como decorar casas com o estilo oriental

Um apartamento com referências da cultura japonesa. Esse foi o desafio encarado e executado de forma leve, temática e sofisticada pela designer de interiores Kely Carvalho. A profissional, que atua em Brasília e tem seu nome no hall de grandes mostras da Capital, projetou um espaço que traz um pouco de uma cultura fascinante e cheia de significados. É um convite para uma viagem intrigante e inspiradora.

Veja como decorar casas com o estilo oriental

Kely Carvalho investiu na mistura de cores, sendo que o vermelho, cor típica da tradicional cultura japonesa, se destaca em todos os ambientes do apartamento, ao lado do bege, branco e marrom, que aparece também em tons diferentes na madeira dos móveis, moldura de portas e rodapés. As composições foram pensadas de forma a contribuir com harmonia na proposta de um projeto que mistura duas culturas diferentes, a brasileira e a japonesa.

 

Para as salas, duas no total, integradas, Kely optou pelo uso de cores nos detalhes. Como o vermelho é muito usado no Japão, por estar ligado às tradições budistas e divindades xintoístas, ele marca presença em muitas peças, seja nos quadros usados, nas almofadas das cadeiras, no banco de madeira ou nos bibelôs também com referências japonesas.

 

Outro ambiente do apartamento que ganhou toques da cultura oriental foi o jardim de inverno projetado pela designer com bonsais, lanternas japonesas e pedras brancas, que na cultura do país, representam a família. Destaque ainda para o caminho estilo Tobiishi, com peças em madeira e que deixam o apartamento com mais características do Japão, uma vez que lá, os jardins trazem toda uma simbologia mística e são considerados sagrados e ideais para práticas de desenvolvimento da espiritualidade, meditação e reflexão. Para complementar o espaço conceitual, cortinas de bambu, material também muito usado no oriente para fabricação de acessórios decorativos e que simboliza a resiliência.

 

O mobiliário do apartamento também merece uma atenção especial. A madeira se faz muito presente na proposta da designer, que optou por duas cadeiras com design clássico e característico do Japão, bem como por adega, bancos e mesas de apoio do mesmo material, mas em cores diferentes. A adega do espaço, fica em uma área que pode ser fechada por uma cortina e fica visível somente quando essa for a vontade de seus usuários.

 

As cortinas do projeto são de tecido em uma clara demonstração das misturas culturais e de estilos presentes em todo o espaço. A iluminação, embutida no teto, foi idealizada em madeira pintada de branco, em mais uma referência ao estilo japonês, trazendo para o projeto a sensação de acolhimento.

Kely Carvalho é colaboradora da Revista Viva Decora e designer de interiores atuante em Brasília.