Lustres para o quarto transmitem requinte e sofisticação

A iluminação gera a ambiência de um quarto, logo é um detalhe de extrema importância quando do projeto deste. Neste ambiente passamos nossas horas mais agradáveis relativas ao relaxamento, recuperação das energias, intimidade… a luz dá o tom!

Dedique atenção a este detalhe, invista no lustre ideal. Não somente por ser um elemento que visualmente influencia muito na decoração, mas pela eficiência deste na produção da atmosfera que se quer.

É por isso que, muitas vezes, um quarto pode ter mais de uma opção de iluminação, além da natural, obviamente. Por que às vezes queremos a luz direta (a que nos permite ver com clareza, a usada mais corriqueiramente), mas também requisitamos em alguns momentos um efeito de luz mais difuso, menos “eficaz”, a famosa meia-luz.

As opções para a luz direta em geral são spots, embutidos ou não, com lâmpadas fluorescentes ou de LED, no teto ou nas paredes (arandelas). Já sancas ou recortes feitos nas paredes que contenham mangueiras de luz podem ser estratégias de luz difusa.

Mas nada disso deve substituir o efeito que um belo lustre pode dar ao ambiente (quarto requer charme, gente! Caprichemos). E o lustre também pode desencadear tanto luz direta quanto luz dissipada, dependerá de sua constituição, material, formato, dimensão, e ainda o tipo de lâmpada que requisita.

Pendentes dos mais diversos nós encontramos hoje no mercado, dos românticos com cristais aos mais geométricos, com acabamentos em inox ou cores intensas. Ou com madeira como matéria-prima, ou acrílico… enfim, não tem fim! A diversidade é realmente grande.

O seu estilo e a sensação que a peça te traz é o que determina. Mas importante, veja a peça montada e ligada na loja antes de levar pra casa, assim tem uma ideia melhor de como ele ficará após instalada. Peça ajuda ao vendedor, mas se puder solicite o acompanhamento de um profissional da área (faça um projeto lumino-técnico, aí sim irá arrasar na escolha do lustre do seu quarto).

 

Marina Arruda  é colaboradora da Revista Viva Decora, designer de interiores e designer gráfica, com formação em personal organizer. Mestrado em Comunicação e Semiótica, tendo realizado pesquisa que aborda as relações entre sujeito-objeto e corpo-mente-ambiente, relacionando áreas como design e cognição.