Descubra 10 curiosidades incríveis sobre o Coliseu de Roma

O Coliseu de Roma, na Itália, é uma das obras mais emblemáticas da história.

Ele reflete todo o poder de Roma no período da sua construção, em 80 d.C, quando o império romano era o centro do mundo.

A primeira curiosidade sobre o Coliseu de Roma é que seu nome (em italiano: Colosseo), só foi dado ao famoso anfiteatro centenas de anos após sua inauguração.

O nome original do Coliseu é Anfiteatro Flaviano e, segundo historiadores, a nova identidade foi inspirada no Colosso de Nero, uma estátua de bronze de 35 metros que ficava ao lado da obra.

Quer descobrir mais curiosidades sobre o Coliseu de Roma? No post de hoje, vamos contar sua história e detalhes da sua arquitetura. Acompanhe!

A fantástica história do Coliseu de Roma

A construção do Coliseu de Roma começou em 72 d.C, no governo do Imperador Vespasiano. Ela só foi concluída em 80 d.C, no regime do seu sucessor e herdeiro, Tito.

Algumas modificações foram feitas no Coliseu de Roma durante o reinado de Domiciano.

Os três imperadores pertenceram à dinastia flaviana e, por esse motivo, o Coliseu de Roma também é conhecido como Anfiteatro Flaviano (em latim: Amphitheatrum Flavium; em italiano: Anfiteatro Flavio).

Coliseu de Roma: fachada

Coliseu de Roma: fachada

A área onde o Coliseu de Roma foi construído, anteriormente, foi devastada pelo Grande Incêndio de Roma em 64 d.C. Uma das versões sobre o famoso acontecimento é que o responsável por ele foi o Imperador da época, Nero.

Após a tragédia, Nero construiu uma área de lazer pessoal no território, com um Palácio de Ouro, uma estátua de si mesmo e um grande lago.

Mas em 70, com o objetivo de conquistar o apoio dos romanos com uma política de pão e circo, o Imperador Vespasiano decidiu demolir o palácio de Nero e criar o Coliseu de Roma.

Coliseu de Roma: Imperador Vespasiano, o responsável pela construção do anfiteatro

Coliseu de Roma: Imperador Vespasiano, o responsável pela construção do anfiteatro

A ideia era criar uma arena para entretenimento da população, com espetáculos de gladiadores, execuções e outros eventos que os romanos consideravam como diversão.

Vespasiano conquistou dois feitos com a construção do Coliseu de Roma: agradar o povo e estabelecer um símbolo do seu poder no coração da cidade.

Mas ele não conseguiu ver o Coliseu de Roma pronto, falecendo antes da conclusão da obra. Tito foi o responsável por realizar os jogos inaugurais do anfiteatro, em 80.

Qual era a finalidade do Coliseu de Roma?

O Coliseu de Roma foi criado para receber vários espetáculos, mas o combate entre gladiadores foi o que marcou sua história.

Outro tipo de “entretenimento” oferecido à população no Coliseu de Roma era a caça de animais selvagens, que eram importados da África.

Os animais mais utilizados eram os grandes felinos como leões, leopardos e panteras. Eles podiam ser inseridos a qualquer momento nos combates por meio de uma esquema de elevadores que surgiam em algum ponto da arena.

Coliseu de Roma: animação retrata uma batalha de gladiadores

Coliseu de Roma: animação retrata uma batalha de gladiadores

Alguns relatos da Igreja Católica afirmam que cristãos foram martirizados no Coliseu de Roma, sendo lançados aos leões. Mas não existem provas conclusivas de que, de fato, ocorreram as mortes.

A arquitetura de tirar o fôlego do Coliseu de Roma

Sem dúvida, a arquitetura e engenharia do Coliseu de Roma são uma das mais emblemáticas da história da humanidade. Infelizmente, não há o registro oficial do arquiteto e engenheiro responsáveis pela obra.

A icônica fachada do Coliseu de Roma é composta de arcadas decoradas com colunas dóricas, jônicas e coríntias, de acordo com o pavimento em que estavam.

Coliseu de Roma: detalhe da fachada destruída

Coliseu de Roma: detalhe da fachada destruída

Como o Coliseu de Roma tinha 3 andares (posteriormente mais um foi incluído no reinado de Alexandre Severo e Gordiano III), as colunas serviam para diferenciá-los.

Cada um desses pisos tinham 80 arcos, com cerca de 7 metros de altura cada.

Coliseu de Roma: arcos da fachada

Coliseu de Roma: arcos da fachada

Diferente de outros anfiteatros romanos, o Coliseu de Roma não estava inserido em uma zona de encosta ou enterrado em algum local.

Ao invés disso, ele tinha um “anel” artificial de rocha à sua volta para garantir sustentação. Essa substrutura também servia como ornamento ao Coliseu de Roma e condicionador da entrada dos espectadores.

As escadas que levavam a população às arquibancadas também serviam de sustentação para os assentos. Os estádios modernos utilizam essa mesma configuração.

Coliseu de Roma: interior com subsolo descoberto

Coliseu de Roma: interior com subsolo descoberto

Coliseu de Roma: subsolo da arena

Coliseu de Roma: subsolo da arena

Os materiais usados na construção do Coliseu de Roma foram:

  • mármore
  • pedra travertina
  • ladrinho
  • tufo (pedra calcária com grandes poros)

Veja também: Arquitetura italiana – descubra porque ela é a mais influente da história

Coliseu de Roma: 10 curiosidades de cair o queixo

Agora que você já conheceu a história do anfiteatro mais famoso do mundo, confira 10 curiosidades sobre o Coliseu de Roma:

1- Magnitude incrível

O Coliseu de Roma tem 45 metros de altura. A arena media 87,5 m por 55 m e tinha um piso de madeira, sob o qual ficava um nível subterrâneo com celas e jaulas que tinha acesso direto para a arena.

Durante o período de grandes batalhas, o Coliseu de Roma abrigava entre 50 e 80 mil pessoas.

Coliseu de Roma: vista aérea

Coliseu de Roma: vista aérea

2- Diversão gratuita

A população de Roma não pagava para entrar no Coliseu de Roma, um dos motivos que explicam o sucesso de seus eventos.

3- Primeiro anfiteatro de Roma

A arquitetura romana é conhecida pelos seus belos anfiteatros, e o Coliseu de Roma foi o primeiro a ser construído em Roma. Hoje ele é o maior anfiteatro do mundo.

4- Divisão das arquibancadas

Os dois primeiros setores do Coliseu de Roma eram destinados aos imperadores, senadores e elite de Roma, que tinham uma visão privilegiada da arena.

No terceiro setor ficavam os plebeus livres e no último, as mulheres livres e escravos.

Coliseu de Roma: arquibancadas

Coliseu de Roma: arquibancadas

Coliseu de Roma: corredores e arena descobertos

Coliseu de Roma: corredores e arena descobertos

5- Corredores preservados

Alguns corredores que levavam às arquibancadas continuam preservados no Coliseu de Roma. Eles foram projetados para dividir o acesso entre elite e plebeus.

6- Ameaça natural

Uma das curiosidades em relação ao Coliseu de Roma é o que aconteceu para que ele fosse desmoronando ao longo do tempo.

O fato é que a obra enfrentou vários terremotos. Historiadores estimam que o primeiro grande tremor aconteceu entre 523 e 526.

Na primeira metade do século 9, outro terremoto destruiu as colunas do piso superior e, em 1231, a fachada externa do Coliseu de Roma caiu com mais um abalo sísmico.

7- Batalhas navais no Coliseu de Roma

Uma das curiosidades mais incríveis do Coliseu de Roma é que ele foi palco de simulações épicas de batalhas navais. O registro de um desses eventos foi feito pelo poeta Marcial no ano 80 d.C.

O documentário Reescrevendo a História: O Coliseu, da Discovery Civilization, traz um estudo que mostra de que forma os romanos podem ter projetado esse feito no Coliseu de Roma.

Coliseu de Roma: simulação de como seriam as batalhas navais na Arena

Coliseu de Roma: simulação de como seriam as batalhas navais na arena

8- A atração turística mais visitada do mundo

Em 2018, o site especializado em viagens “Trip Advisor” divulgou uma lista com os destinos mais visitados do mundo e o Coliseu de Roma ficou em primeiro lugar.

De acordo com a diretora do parque Arqueológico, Alfonsina Russo, foram mais de 7,4 milhões de visitantes em 2018, 5,7% a mais do que no ano anterior.

Coliseu de Roma: turistas conhecendo os corredores

Coliseu de Roma: turistas conhecendo os corredores

9- Vandalismo de brasileiro

Em 2018, um jovem brasileiro de 17 anos foi denunciado na Itália por ter gravado a inicial do seu nome em uma das paredes do Coliseu de Roma.

Mas ele não foi o primeiro a cometer o ato. No ano anterior, 4 estrangeiros (da Austrália, da Alemanha, do Equador e da França) também tentaram deixar suas marcas no interior do Coliseu de Roma.

10- Saques durante a Idade Média

Você sabia que a famosa Basílica de São Pedro, no Vaticano, tem peças de mármore retiradas do Coliseu de Roma?

Durante a Idade Média, aconteceram muitos saques de mármore e bronze no Coliseu de Roma com o objetivo de ornamentar igrejas e monumentos católicos.

E aí, gostou de conhecer as curiosidades sobre o Coliseu de Roma? Então, compartilhe com seus amigos nas redes sociais!