Como fazer o controle financeiro do seu escritório de arquitetura e da sua vida pessoal

Já passou pela sua cabeça o medo de que o seu escritório de arquitetura possa fechar ou ter problemas financeiros? Ou talvez você já tenha pensado que não vai conseguir sobreviver só da arquitetura?  Como está o controle financeiro do seu escritório de arquitetura e da sua vida pessoal?

Acredite, esse sentimento é bastante comum, não só no ramo da arquitetura, mas muitos profissionais acabam tendo o mesmo pensamento. Contudo, mais importante do que pensar nisso é focar no que você pode fazer para mudar essa situação.

Sendo assim, o primeiro passo é planejar suas finanças tanto pessoais quanto da sua empresa. Isso soa tão óbvio, não é mesmo? Mas aprender a lidar com as finanças nem passa pela cabeça de muitos profissionais e esse mau planejamento pode até fazer você “pagar para trabalhar”.

Ainda que muitos novos empreendedores não deem a devida atenção para isso, ter um controle financeiro estável e bem feito é um passo essencial para pequenas empresas crescerem e ganharem mercado.

Se você já tem um planejamento financeiro e controla suas finanças adequadamente, melhor ainda, mas sempre é possível aprimorar alguns pontos. Confira nossas dicas e tenha sucesso no seu negócio!

11 dicas de como controlar o financeiro do seu escritório de arquitetura e da sua vida pessoal

 

Sustentabilidade na vida financeira

 

controle-financeiro-escritorio-de-arquitetura-sustentabilidade-financeira

controle financeiro do seu escritório de arquitetura: sustentabilidade financeira

No que você pensa quando falam de sustentabilidade? Em recursos que podem ser usados sem se esgotar ou causar prejuízos tende ser a resposta mais comum. Na vida financeira, o conceito segue essa mesma linha.

Para ter um bom planejamento e finanças sustentáveis, é essencial saber quanto se ganha, quais são as despesas e qual é o lucro real. E como eu falei antes, sem este planejamento, você pode acabar “pagando para trabalhar”.

Mas o que isso significa? Pagar para trabalhar significa esgotar todos os seus recursos numa velocidade ainda mais rápida do que simplesmente ficar parado. É melhor ter um projeto que te traz prejuízo ou projeto nenhum?

Separe suas finanças pessoais das finanças da empresa

 

controle-financeiro-escritorio-de-arquitetura-financas-pessoais-e-financas-da-empresa

controle financeiro do seu escritório de arquitetura: finanças pessoais x finanças da empresa

Para algumas pessoas esse não é um pensamento óbvio, por isso é fundamental ressaltar, sempre mantenha suas finanças pessoais separadas das da empresa! Ainda mais quando se é um profissional autônomo.

Uma ideia que pode ajudar nisso é providenciar um cartão de crédito exclusivamente corporativo e colocar todas as despesas do seu negócio nele. Isso te ajudará a saber quanto, em que você está gastando e manter as finanças da empresa sob controle.

Outra dica é utilizar um software de gestão financeira. Existem boas opções no mercado, alguns até mesmo com versões gratuitas (até certo limite de uso) e podem ser avaliados por um período antes de decidir definitivamente pela compra.

Reveja suas escolhas

 

Comece colocando no papel suas despesas e verifique se são todas realmente necessárias. Algumas despesas que temos no escritório não têm real serventia para o funcionamento do negócio.

Você provavelmente deve ter algumas despesas que se encaixam nessa categoria. Se você tiver um escritório de arquitetura organizado, essa tarefa se tornará muito mais fácil.

Liste tudo o que você gasta e compare se a despesa é necessária ou se é apenas desejada. E, depois de finalizar essa lista, a melhor solução pode ser criar uma nova lista com as alternativas mais baratas para cada despesa. Economize!

Tenha atenção ao fluxo de caixa

 

controle-financeiro-escritorio-de-arquitetura-fluxo-de-caixa

controle financeiro do seu escritório de arquitetura: fluxo de caixa

Monitorar com frequência o fluxo de caixa da empresa é fundamental para manter as finanças em dia. Você deve ter o registro de toda entrada e saída da empresa.

É imprescindível criar o hábito de analisar o fluxo de caixa, semanalmente, no mínimo. Assim, será possível verificar se os pagamentos previstos foram feitos e se os recebimentos estão de acordo com as projeções e não ficar perdido no fim do mês.

No mais, ao avaliar seu fluxo de caixa, você saberá se sua empresa realmente está dando lucro, se é preciso cortar custos e qual é o melhor momento para pensar em investimentos.

Faça um bom controle de despesas e gastos

 

Para conseguir estabelecer o controle financeiro de um escritório é necessário saber o quanto de dinheiro está entrando e o quanto está saindo.

Somente desta maneira é possível saber se ao final do mês você ficará no vermelho ou não e onde estão sendo gastos os seus recursos.

Veja também: como cobrar projeto de arquitetura e garantir seu lucro

Mantenha o planejamento do escritório sempre atualizado

 

Esse planejamento envolve desde o controle de gastos e a criação da reserva para eventualidades até o posicionamento de mercado da empresa.

É através da elaboração e análise do planejamento que você irá direcionar os seus investimentos e o foco do seu trabalho.

Trace uma meta financeira e fique de olho nos resultados

 

controle-financeiro-escritorio-de-arquitetura-metas-financeiras

controle financeiro do seu escritório de arquitetura: tenha metas financeiras

É primordial que você tenha uma meta financeira clara. Pode ser diminuir os custos, aumentar seu lucro em 15% ou alguma outra meta do tipo. Seja qual for o seu objetivo, é essencial é ter metas.

Se você resolveu baixar os gastos em 10%, por exemplo, faça um plano para alcançar esse objetivo. E verifique se as atitudes tomadas são coerentes com o que você quer alcançar.

Veja nossas dicas de como definir objetivos financeiros – e o que fazer para alcançá-los.

Veja onde é possível cortar custos ou reduzir despesas

 

Um negócio financeiramente saudável deve produzir lucro. Se, analisando o fluxo de caixa da empresa, você perceber que as saídas são maiores que as entradas, fique atento!

Isso pode não parecer um problema agora, mas no futuro será. Reduzir despesas e cortar custos será preciso.

Comece os cortes por aquilo que não é essencial, ou seja, que não afetará drasticamente as operações do seu negócio nem compromete seus resultados.

Mantenha a qualidade do serviço

 

controle-financeiro-escritorio-de-arquitetura-qualidade-do-servico

controle financeiro do seu escritório de arquitetura: mantenha a qualidade do seu serviço

Nunca abra mão da qualidade do seu projeto por mais que você precise economizar. Esse tipo de atitude a longo prazo poderá manchar sua imagem e piorar sua posição no mercado. Então, não tente economizar da forma errada.

Tenha uma boa reserva

 

Uma crise econômica pode diminuir consideravelmente seus clientes ou algum outro fator externo pode contribuir para a diminuição de trabalho. Ninguém está a salvo deste cenário.

E com menos pessoas recorrendo aos seus serviços, menos dinheiro entra no escritório. Porém, as contas continuam chegando.

Contar com um fundo de caixa para emergências é muito importante para os negócios, pois é essa reserva que te ajudará a custear a sua empresa nos momentos de crise e dificuldades.

Evite atrasos

 

controle-financeiro-escritorio-de-arquitetura-evite-atrasos

controle financeiro do seu escritório de arquitetura: evite atrasos

Muitos empreendedores perdem o equilíbrio das finanças por pagarem as contas em atraso. Perder as datas de vencimento é uma péssima ideia, além da multa por atraso, é possível que você ainda tenha que lidar com juros e outras taxas que podem sair caras para sua empresa.

Organizando suas finanças pessoais e a do seu escritório de arquitetura

 

Manter as finanças saudáveis não é nenhum bicho de sete cabeças, com um pouco de dedicação e empenho, você conseguirá fazer seu negócio prosperar sem medo.

Ademais, é fundamental lembrar do princípio da Entidade, que vem lá da Contabilidade. Segundo este princípio, o patrimônio da entidade (sua empresa) jamais deverá se confundir com o patrimônio particular (finanças pessoais).

Sendo assim, nada de misturar sua vida financeira com o seu negócio, essa combinação não costuma trazer bons resultados, muito pelo contrário.