Inspire-se com a arquitetura moderna e acolhedora da Praça das Artes

A Praça das Artes surpreende quem passa pelo Vale do Anhangabaú, a Avenida São João e a Rua Conselheiro Crispiniano, no centro da cidade de São Paulo.

Trata-se de um Complexo Educacional que funciona como um anexo do Teatro Municipal.

A Praça das Artes tem um vão que liga essas três ruas, além de outras características que ajudaram a mudar a cara daquela região.

Quer conhecer mais sobre a obra? Neste artigo, trouxemos 5 curiosidades sobre a Praça das Artes e contamos um pouco da sua história. Acompanhe!

Conheça outras obras famosas na cidade de São Paulo:

Praça das artes: projeto

A Praça das Artes foi inaugurada em 2012 e levou seis anos para ser construída.

O projeto é fruto da parceria de dois escritórios de arquitetura, o Brasil Arquitetura e o Marcos Cartum Arquitetos Associados.

O projeto da Praça das Artes foi solicitado pela Secretaria Municipal da Cultura, que tinha como objetivo criar um espaço dedicado a apresentação e estudos de músicos e bailarinos.

Praça das Artes: Fachada

Praça das Artes: Fachada

Praça das Artes: Planta do Térreo

Praça das Artes: Planta do Térreo

Praça das Artes: Planta do 1º Pavimento

Praça das Artes: Planta do 1º Pavimento

A Praça das Artes veio para solucionar um problema antigo do Teatro Municipal, que fica logo à frente do local. Durante décadas os artistas que se apresentavam lá não tinha um lugar dedicado aos ensaios.

Diante dessa realidade, eles ocupavam diversos locais na cidade, como os baixos do Viaduto do Chá, a Galeria Olido e a Rua Vergueiro – mais afastados do Teatro Municipal.

Praça das Artes: A restauração do Conservatório Dramático e Musical

Além das construção da Praça das Artes, também foi feito um trabalho de restauração da sede do antigo Conservatório Dramático e Musical, conhecido como Edifício Centenário.

Praça das Artes: Conservatório Dramático e Musical

Praça das Artes: Conservatório Dramático e Musical

A sede do Antigo Conservatório Dramático de São Paulo é um importante marco histórico e arquitetônico da cidade. Ele abriga uma rara sala de recitais, que há décadas estava inutilizada.

Inaugurada em 1886, a obra foi construída para abrigar um importante salão de concertos dedicado à música erudita e também eventos. Durante vários anos, o edifício foi palco de muitos concertos, cassinos, saraus, encontros literários e até eventos particulares.

Foi só em 1906 que o prédio começou a abrigar oficialmente o Conservatório Dramático de São Paulo. O grupo, que até então funcionava em uma casa alugada na rua Brigadeiro Tobias, precisou sair do local devido à venda do imóvel.

Foi assim que o Conservatório transferiu-se para o novo endereço e teve um grande crescimento, tornando-se referência no ensino da arte musical em São Paulo, sendo até mesmo comparado aos conservatórios espalhado pela Europa e EUA.

Com o passar dos anos e devido a vários problemas, o prédio foi acumulando dívidas até ficar abandonado e deteriorado. O projeto da Praça das Artes trouxe vida para o espaço, resgatando toda a beleza e arte dos tempos áureos.

Praça das Artes - Conservatório Dramático e Musical - Espaço de Exposição no Térreo

Praça das Artes – Conservatório Dramático e Musical – Espaço de Exposição no Térreo

Praça das Artes: Conservatório Dramático e Musical - Auditório

Praça das Artes: Conservatório Dramático e Musical – Auditório

A Praça das Artes ainda conta com outros prédios que abrigam o corpo artístico do Municipal, como a Orquestra Sinfônica Municipal, Orquestra Experimental de Repertório, Balé da Cidade, Coral Lírico, Coral Paulistano, Quarteto de Cordas, Escolas Municipais de Música e de Dança, o Museu do Teatro e o Centro de Documentação Artística.

Além disso, na Praça das Artes também há um estacionamento subterrâneo e áreas de convivência.

Todos esses espaços são divididos em 3 blocos na Praça das Artes: o prédio dos Corpos Artísticos, o prédio das Escolas e a sala do Conservatório.

O auditório do conservatório da Praça das Artes é lindo, não é mesmo? Aprenda a definir a acústica e iluminação de um projeto de auditório

Praça das Artes: características

Um dos principais desafios dos arquitetos Marcelo Ferraz, Francisco Fanucci e Marcus Cartum no projeto da Praça das Artes foi criar vários espaços mesmo com as limitações do terreno, cercado de áreas degradadas.

É interessante observar como a Praça das Artes consegue abraçar o entorno, criando um espaço que conseguiu se inserir perfeitamente no centro da cidade.

A relação com os prédios históricos ao redor é muito harmoniosa, já que a Praça das Artes não oculta os edifícios e nem é apagada por eles.

Praça das Artes: Harmonia com o entorno

Praça das Artes: Harmonia com o entorno

Praça das Artes: Edifício em Harmonia com o Conservatório Dramático e Musical

Praça das Artes: Edifício em Harmonia com o Conservatório Dramático e Musical

Outro destaque da Praça das Artes é o longo vão, que interliga três ruas da região. O espaço, além de facilitar a locomoção, oferece à população a oportunidade de interagir com um ambiente de arte e tranquilidade em meio ao caos da área.

Praça das Artes: Vão

Praça das Artes: Vão

O concreto aparente foi escolhido para o projeto da Praça das Artes por ser um material que dá personalidade à obra, além de possibilitar a criação de grandes vãos. Além disso, ele também exige pouca manutenção.

Outra característica marcante da Praça das Artes são suas janelas de vidro, de vários tamanhos e distribuídas de forma irregular pelos edifícios.

Além de oferecer uma ótima iluminação zenital, as janelas tornam os ambientes de aula da Praça das Artes menos opressivos e isolados, permitindo que os alunos tenham um contato constante com o lado de fora (e vice e versa).

O vidro também aparece com destaque na Praça das Artes, como na cobertura da escadaria externa.

Praça das Artes: Janelas

Praça das Artes: Janelas

Praça das Artes: Vista de uma das janelas

Praça das Artes: Vista de uma das janelas

Praça das Artes: Escada no lado externo

Praça das Artes: Escada no lado externo

Praça das Artes: Detalhe das Escadas

Praça das Artes: Detalhe das escadas

O interior da Praça das Artes mistura a madeira, o concreto bruto e materiais coloridos, que remetem ao clima artístico do local.

Praça das Artes: Interior com materiais coloridos

Praça das Artes: Interior com materiais coloridos

Praça das Artes: Sala de ensaios

Praça das Artes: Sala de ensaios

Veja também: Entenda o que é proporção áurea e porque ela mudou a história da arquitetura

5 curiosidades sobre a Praça das Artes

1 – A Praça das Artes recebeu duas importantes premiações de arquitetura: o Prêmio APCA de Melhor Obra de Arquitetura de 2012 e Edifício do Ano do Icon Awards, em 2013. Em 2014, a Praça das Artes também foi finalista dos “Projetos Impressionantes das Américas”, da Mies Crown Hall Americas Prize.

2 – Já imaginou fazer um evento para os seus clientes na Praça das Artes ou no Teatro Municipal? Pois saiba que isso é possível! É só preencher um formulário de solicitação no site do complexo.

3 – A população pode conferir apresentações gratuitas nos finais de semana na Praça das Artes. Para saber as datas, é só ficar de olho na programação no site.

4- Como você pode imaginar, os projetos de acústica da Praça das Artes exigiram muita técnica e conhecimento dos profissionais. O sistema de isolamento de ruído aéreo desenvolvido pelas equipes chegou a ser testado fora do Brasil.

5- O prédio do Conservatório foi fundado oficialmente em 15 de outubro de 1906. Ele foi a primeira escola superior do gênero na cidade de São Paulo. Entre seus ex-alunos famosos está o musicólogo e escritor Mário de Andrade, que também deu aula no local.

Praça das Artes: Mário de Andrade, ex-aluno ilustre do Conservatório

Praça das Artes: Mário de Andrade, ex-aluno ilustre do Conservatório

Aproveite para ver mais obras incríveis como a Praça das Artes: A história da arquitetura no Brasil mais completa que você já viu! Dos povos indígenas até aos dias de hoje.