Gosta de luz natural? Saiba como a iluminação zenital pode transformar um ambiente

A iluminação pode contribuir de muitas formas para um ambiente, tanto na questão estética como funcional.

Conhecer os vários tipos de lâmpadas e cálculos luminotécnicos é importante, mas você já conhece o conceito de iluminação zenital?

Trata-se de uma forma de criar ambientes confortáveis e belos usando a luz natural. Para conseguir um bom resultado, é importante conhecer todas as opções do mercado e suas indicações.

Ainda tem dúvida sobre como criar uma iluminação zenital? Não se preocupe, neste artigo, vamos explicar com detalhes como ela funciona. Acompanhe!

Veja mais dicas sobre iluminação:

O que é iluminação zenital?

 

Iluminação zenital

Iluminação zenital

Iluminação zenital é a entrada de luz natural em um ambiente por meio de pequenos ou grandes aberturas na cobertura.

Ela é indicada para ambientes comerciais e residências com ambientes amplos.

A luz zenital pode ser utilizada tanto por motivos estéticos ou para lidar com alguma limitação do ambiente, como a impossibilidade de abrir janelas.

Esse é o caso de alguns ambientes como museus, shoppings, fábricas, entre outros.

Iluminação zenital: vantagens

 

A principal vantagem da iluminação zenital é o uso da luz natural. Além de proporcionar um ambiente aconchegante, ela também pode trazer a economia de energia elétrica e, consequentemente, redução dos custos.

Outra vantagem é que alguns tipos de iluminação zenital também proporcionam uma ventilação natural ao ambiente, renovando o ar e evitando o uso de ventilador ou ar condicionado.

Iluminação zenital: desvantagens

 

A  iluminação zenital pode oferecer dificuldades na hora da limpeza, já que a pessoa precisa alcançar o teto para limpar a claraboia.

Esse elemento também pode esquentar o ambiente, mas isso depende de vários fatores como a dimensão da abertura, a região, a orientação solar do imóvel e até mesmo a pintura e revestimento do ambiente.

Cuidados ao criar a iluminação zenital

 

Antes de começar um projeto de iluminação zenital, é importante ter em mente os conceitos de orientação solar.

Além disso, outro cuidado que deve ser tomado é em relação ao tamanho da abertura para a entrada dos raios solares.

Abertura voltada para a iluminação: até 15% da área do piso do ambiente
Abertura voltada para ventilação: até 8% da área do piso

Mas fique atento, pois essa porcentagem pode ser maior. Lembre-se que a intensidade de raios solares muda de acordo com a região do Brasil.

Por isso, é fundamental fazer uma análise do local e escolher também o tipo de material certo de acordo com cada ambiente.

7 tipos de iluminação zenital

 

1- Claraboia

 

Iluminação zenital: claraboia

Iluminação zenital: claraboia

O termo claraboia é utilizado para definir a abertura feito no teto para a entrada da luz solar. Geralmente ela é feita por meio de estruturas transparentes, chamadas de domos.

Esse objeto é comercializado em 3 formatos: quadrado, circular e triangular. Feito de acrílico e policarbonato, é possível comprá-lo pronto em lojas especializadas.

Já se a ideia é fazer uma claraboia de vidro, é necessário solicitar uma insfraestrutura sob medida para o ambiente.

2- Shed

 

Iluminação zenital: shed

Iluminação zenital: shed

Esse tipo de iluminação zenital exige que o telhado tenha o formato de dentes de serra, com inclinação e verticalidade envidraçadas.

Para que ele dê o resultado esperado, é necessário que as aberturas sejam direcionadas para o sul. Dessa forma, a radiação solar direta é evitada, fornecendo uma iluminação indireta.

Ela costuma ser utilizada em fábricas e galpões.

Para facilitar a iluminação e ventilação é indicado o uso de caixilhos.

3- Claraboia tubular

 

Iluminação zenital: claraboia tubular

Iluminação zenital: claraboia tubular

A claraboia tubular é um tubo que conecta o telhado com o teto do ambiente. Dessa forma, a luz natural entra no local criando uma iluminação direta.

 

4- Cúpula

 

Iluminação zenital: cúpula

Iluminação zenital: cúpula

As cúpulas já são utilizadas na arquitetura há séculos para auxiliar a entrada da luz natural em grande ambientes. Elas costumam ser utilizadas em ambientes comerciais e proporcionam um grande alcance de iluminação.

Devido a intensidade da sua luminância, é importante que ela seja posicionada de forma que não cause desconforto térmico.

5- Átrio

 

Iluminação zenital: Átrio

Iluminação zenital: Átrio

O átrio é utilizado em locais altos e tem o formato piramidal. Geralmente é instalado no centro do ambiente, distribuindo a luz de forma harmoniosa.

Sua estrutura é triangular, o que permite a melhor distribuição da luz zenital. É comum em edifícios comerciais e residências.

6- Lanternim

 

Iluminação zenital: Lanternim

Iluminação zenital: Lanternim

O lanternim é um dos tipos de iluminação zenital mais indicados, pois promove maior circulação e ventilação natural.

Ele se caracteriza por apresentar duas faces opostas. Seu melhor desempenho acontece quando as aberturas são orientadas no sentido Norte-Sul.

7- Telhas translúcidas

 

Iluminação zenital: telhas translúcidas

Iluminação zenital: telhas translúcidas

Uma opção simples de luz zenital é a telha translúcida. Geralmente elas são feitas sob medida e podem ser de policarbonato, vidro e fibras de acrílico. Algumas pessoas utilizam até mesmo garrafa pet – uma alternativa mais artesanal.

Uma área coberta com telhas translúcidas apresenta maior aquecimento, por isso é importante dosar o seu uso de acordo com a necessidade.

A iluminação zenital é apenas uma das opções para iluminar um ambiente. Quer saber mais sobre o assunto? Conheça nosso curso e aprenda, com dicas práticas, a fazer um projeto de iluminação incrível:

curso-light-design