Tipos de Fundação: Veja 6 Exemplos Essenciais na Construção Civil

Fundação da obra é uma estrutura feita no início da construção que tem como objetivo transmitir as cargas de uma edificação para o solo.

Toda obra começa com uma fundação, e erros nessa etapa podem ser graves e irreversíveis!!!!!

O responsável pela definição dos tipos de fundação é o projetista, que inclui essas informações no projeto estrutural. Mas todo arquiteto também deve saber qual fundação é ideal para cada tipo de solo, afinal essa estrutura pode determinar todo o projeto arquitetônico.

Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Não se preocupe, no post de hoje, vamos mostrar como saber qual tipo de fundação usar e os 6 tipos mais executados na construção civil. Acompanhe!

O que é fundação da obra?

Fundação da obra é uma estrutura feita no início da construção que tem como objetivo transmitir as cargas de uma edificação para o solo.

Tipos de fundação para casas: o que é fundação

Tipos de fundação para casas: o que é fundação?

Os diferentes tipos de fundação servem para apoiar a casa no terreno de forma segura e eficaz. Os elementos presentes na fundação são responsáveis por receber todas as cargas da edificação, como o peso do prédio e as condições climáticas do local, e passá-las ao solo com segurança.

Veja também: Taxa de Ocupação e Coeficiente de Aproveitamento – Veja Como Calcular e Realize Seus Projetos Dentro das Normas

Como saber qual tipo de fundação usar?

Quem define os tipos de fundação é o projetista responsável pelo cálculo estrutural. Essa decisão é muito importante e deve ter a participação do proprietário e do arquiteto, já que envolve custos, prazos e influencia diretamente o projeto arquitetônico.

Mas, afinal, como saber qual tipo de fundação usar? Via de regra, escolher a fundação é uma decisão que envolve 3 fatores:

  • carga do imóvel
  • nível do lençol freático
  • geotécnica do solo

Para fazer essa análise dos tipos de fundação, o projetista precisa seguir a norma NBR-15.992 que dita os números mínimos de sondagens a serem realizadas conforme a topografia do local.

Outra análise feita na escolha dos tipos de fundação é quais são as fundações usadas nas edificações vizinhas. Essas informações ajudam a entender melhor o funcionamento do solo na região.

Veja também: Como Calcular Concreto Para Lajes, Vigas e Pilares – Tudo Que Você Precisa Saber

Quais são os tipos de fundação?

Existem basicamente dois tipos de fundação: as superficiais e a profundas. Vamos entender um pouco mais sobre elas:

Fundações superficiais

As fundações superficiais, ou rasas, são tipos de fundação que não excedem os 3 metros de profundidade. Elas têm baixo custo de execução, pois consomem pouco material e demandam menos maquinário.

Veja os tipos de fundação superficiais mais comuns:

Sapatas: esse tipo de fundação é recomendado para solos com boa capacidade de carga superficial e que absorvem as tensões geradas pela carga da edificação sem demandar uma área de contato com o solo tão grande.

As sapatas são utilizadas para qualquer tipo de obra e as principais vantagens são a simplicidade na execução e custo interessante. A opção da sapata flexível permite aumentar significativamente a área da base sem aumentar a altura, porém, nesse caso, os custos com a armadura são maiores.

Tipos de fundação para casas: sapata (foto: Escola Engenharia)

Tipos de fundação para casas: sapata (foto: Escola Engenharia)

Blocos de fundação: os blocos são elementos de concreto não armados e funcionam com o mesmo princípio das sapatas: a área de contato com o solo superficial é responsável por absorver todas as tensões oriundas da edificação.

Em geral, esse é um dos tipos de fundação utilizado em obras de pequeno e médio porte. Os blocos de fundação também demandam de uma capacidade de carga superficial do solo para que não se tornem muito caros.

Tipos de fundação para casa: blocos de fundação (foto: Engenheiro de Custos)

Tipos de fundação para casas: blocos de fundação (foto: Engenheiro de Custos)

Grelhas: pouco difundido no Brasil, esse tipo de fundação é um conjunto de vigas que interligam todos ou grande parte dos pilares de uma edificação e tem a função de distribuir linearmente as tensões desses pilares no solo.

Sua execução é consideravelmente complicada, pois demanda de uma armadura pesada, e não traz tantos benefícios econômicos e, tão pouco, construtivos. Devido a esses motivos, não costuma ser utilizada no Brasil.

Radier: o radier é considerado um tipo de fundação barato, recomendado para solos com pouca capacidade de suporte superficial. Com sua grande área de contato com o solo, o radier é capaz de distribuir de maneira muito mais eficaz as tensões da edificação.

Esse tipo de fundação tem sido muito utilizada para obras em alvenaria estrutural, pois o comportamento com as cargas linearmente distribuídas é muito melhor do que para cargas concentradas no caso de pilares, por exemplo. Sem contar a possibilidade da protensão que pode aumentar ainda mais as suas funções estruturais.

Tipos de fundação: radier de concreto armado (foto: Mapa da Obra)

Tipos de fundação para casas: radier de concreto armado (foto: Mapa da Obra)

Veja também: Viga Baldrame – Entenda Por Que Ela é Essencial na Sua Obra

Fundações profundas

As fundações profundas são aquelas que excedem os 3 metros de profundidade. Elas causam maior movimentação do solo e exigem mais maquinário porque precisam chegar a camadas mais profundas.

Veja os tipos de fundação profundas mais comuns:

Estaca: a estaca pode ser encontrada em diversas variações de madeira, metálica e concreto. Esse tipo de fundação recebe a carga diretamente ou em conjunto (com várias estacas), distribuindo as tensões através de sua ponta e do atrito lateral, que é o responsável por absorver a maior parte dessas tensões.

Esse tipo de fundação é recomendado para solos onde não se tem a capacidade de suporte tão grande em praticamente nenhuma das camadas, pois como é possível a cravação de vários metros do solo e, como já dito, a utilização de várias estacas ao mesmo tempo, é possível garantir com muito mais facilidade a estabilidade da edificação.

As estacas podem ser executadas cravando uma estaca pré-moldada no solo ou escavando o solo para uma posterior concretagem.

Ao usar esse tipo de fundação, é preciso observar algumas questões importantes como a vizinhança. Algumas técnicas de execução de estacas podem causar muitas vibrações nas edificações vizinhas, trazendo um certo desconforto ou até mesmo danos que podem acarretar em grandes prejuízos.

Como a grande demanda de estaca exige equipamentos específicos é importante identificar as empresas disponíveis. O local da obra também deve ser analisado, pois pode impossibilitar o acesso desses equipamentos.

Tipos de fundação: estacas (foto: APL)

Tipos de fundação para casas: estacas (foto: APL)

Tubulões: Os tubulões são recomendados para solos que são mais resistentes em camadas mais profundas funcionando assim como as estacas. Eles absorvem as trações por atrito lateral e por sua base, que pode ser (ou não) alargada. Quando se busca o solo mais resistente, em geral é feito o alargamento da base de modo a aumentar a área de contato com o solo dispensando, muitas vezes, a necessidade de se alcançar cotas mais profundas.

Tipos de fundação: tubulão (foto: Total Construção)

Tipos de fundação para casas: tubulão (foto: Total Construção)

Entender sobre os tipos de fundação é essencial para garantir a segurança da edificação. Aproveite para conferir mais dicas que vão facilitar suas obras:00