Conheça Vilanova Artigas, o grande arquiteto por trás da FAU e do Estádio do Morumbi

João Batista Vilanova Artigas foi um intelectual, militante político e professor brasileiro. De acordo com o jornal The Guardian, ele foi, sem dúvida, um dos gigantes da modernidade.

Os arquitetos e futuros arquitetos do Brasil costumam se identificar com algumas das figuras mais importantes do setor como Vilanova Artigas, um ícone da arquitetura moderna. Seja nas casas, nos escritórios ou nos apartamentos em Curitiba, as marcas de Vilanova sempre estão presentes.

Como arquiteto, Vilanova Artigas pertenceu a um movimento conhecido por Escola Paulista. Seu interesse pelo desenho marcaria as suas obras. Mas foi como formador de novos profissionais que sua atuação na arquitetura se destacaria.

Carlo Scarpa também era um excelente formador de profissionais. Conheça a trajetória deste ilustre arquiteto e professor em nosso post.

Vilanova Artigas

Vilanova Artigas

Arquitetura é construção e arte.

– Vilanova Artigas.

Vilanova Artigas foi uma pessoa verdadeiramente engajada no ensino da arquitetura.

Ele esteve envolvido em uma reforma curricular importante, implantada na década de 1960.

Com isso, estabeleceu-se uma nova prática e atuação profissional que não estava vinculada apenas a organizar espaços, mas materializar ideias e transformar cidades.

Haveria mais participação dos arquitetos no desenvolvimento do país.

Atualmente, ele é muito mencionado nas faculdades e universidades do Brasil, principalmente quando o assunto é história da urbanização das cidades brasileiras. Vilanova Artigas é o dono de alguns dos maiores projetos de São Paulo e do Paraná.

Confira mais detalhes sobre o Movimento Modernista em nosso país: A arquitetura em Brasília e sua importância para a história do modernismo no Brasil.

Vilanova Artigas: biografia

 

O arquiteto Vilanova Artigas nasceu em Curitiba, em 1915, e teve sua tão esperada formação realizada na Escola Politécnica de São Paulo, em 1937.

Ainda como estudante, Vilanova Artigas participou de um grupo de vanguarda, apelidado de Santa Helena – no qual fazia parte, inclusive, o pintor Alfredo Volpi.

Depois disso, ele ajudou a fundar o Instituto dos Arquitetos do Brasil – chegando a ser secretário e vice-presidente do núcleo de São Paulo.

Vilanova Artigas permaneceu um tempo estudando nos Estados Unidos e, quando retornou, em 1948, participou da criação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, a FAU USP.

Vilanova Artigas: Interior do prédio da FAU

Vilanova Artigas: Interior do prédio da FAU

Apesar da grande proximidade que Vilanova Artigas tinha com o Oscar Niemeyer, ele foi o principal responsável pela ruptura da geração dos grandes criadores de Brasília.

Com isso, Vilanova Artigas começou a adotar um ponto de vista diferente na projeção urbanista do Brasil, apresentando um novo olhar para o modernismo com mais claridade por meio de uma arquitetura sem barreiras.

Diferente de Niemeyer, Vilanova criou uma verdadeira escola de arquitetura e urbanismo que, hoje em dia, tem uma nova grade curricular implantada a partir dos anos 60.

Entretanto, tudo isso foi abandonado assim que a ditadura ganhou forças e se consolidou no território brasileiro. Seu envolvimento com o mundo acadêmico foi interrompido com o Golpe Militar de 1964.

Por isso, Vilanova Artigas ficou impedido de atuar durante o regime e acabou exilado no Uruguai.

Seu retorno à faculdade só se deu em 1979, após um processo de anistia instaurado no país.

Infelizmente, em 1985, sua trajetória de vida chegou ao fim.

No centenário de seu nascimento, em 2015, todo seu pensamento vanguardista foi celebrado através do lançamento de várias obras, como um livro sobre Vilanova Artigas  – o de sua filha, Rosa Artigas; e um filme documentário – o “Vilanova Artigas: o arquiteto e a luz”.

No mesmo ano, foi lançado o filme sobre Vilanova Artigas, contando com a participação de nomes como Ruy Ohtake e Paulo Mendes da Rocha.

E essa foi só uma das honrarias dedicadas ao profissional.

João Batista recebeu, ao longo de sua carreira, prêmios importantes.

Principais premiação de Vilanova Artigas:

  • Prêmio Jean Tschumi;
  • Prêmio Auguste Perret;
  • Medalha 25 de Janeiro, da Prefeitura de São Paulo.

Projetos de Vilanova Artigas

 

As primeiras criações de Vilanova Artigas datam dos anos 40.

Nesse tempo, sua maior influência eram os projetos de Frank Lloyd Wright.

Mais tarde, ele partiu para um estilo mais parecido com o de Le Corbusier.

Mas as características comuns a ambas as fases são o alto conhecimento técnico-construtivo e a poética formal, expressos em sua ideologia de trabalho.

Nos anos 50, a história brasileira passou a marcar a relação entre o poder público e a arquitetura moderna.

Uma década depois, Vilanova Artigas começou a projetar a mais memorável sequência de edificações da Escola Paulista, dando preferência, principalmente, a elementos em concreto armado.

Foram essas suas atitudes que levaram a arquitetura a se ligar a uma lógica mais estrutural.

Um dos primeiros exemplos de um arquiteto que expressa o chão, a parede e a cobertura de um edifício como uma superfície única dobrada (…).

– crítico de arquitetura Oliver Wainwright sobre Vilanova Artigas, em reportagem de The Guardian.

Em traços retos e precisos, Vilanova Artigas transformou grandes metrópoles, como São Paulo.

Nada de ostentação, só simplicidade.

Suas edificações, nas mais variadas tonalidades, integraram as artes mais variadas.

Elas valorizaram espaços coletivos, de convivência, em detrimento de áreas individuais.

Era o que Vilanova Artigas imaginava; as cidades agitadas e desenvolvidas, porém amistosas, gostosas de viver.

A arquitetura do Artigas é asséptica. Jamais de luxo.

– crítica de arquitetura Sylvia Ficher sobre Vilanova Artigas, em reportagem de Gazeta do Povo.

Suas construções promoviam o encontro e se relacionavam até com as ruas, destacando o compromisso das pessoas com o coletivo. Na Faculdade de Arquitetura da USP, por exemplo, se alguém gritar no térreo, o barulho interfere até o último andar. As pessoas devem estar atentas a esse compromisso.

– arquiteta Mônica Junqueira sobre Vilanova Artigas, em reportagem de Gazeta do Povo.

Vilanova Artigas: obras mais destacadas

 

Em quase 50 anos de profissão, o arquiteto Vilanova Artigas realizou cerca de setecentos projetos.

Entre os principais projetos realizados pelo arquiteto encontra-se o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, Morumbi, o prédio da FAU, Cine Ouro Verde, a Casa da Criança, o Parque Cecap e o edifício residencial Louveira.

De todos, talvez o mais famoso seja o Conjunto Habitacional Zezinho Magalhães Prado, em Guarulhos.

Vilanova Artigas: Conjunto Habitacional Zezinho Magalhães Prado

Vilanova Artigas: Conjunto Habitacional Zezinho Magalhães Prado

E com a parceria de Carlos Cascaldi, Vilanova Artigas fez muitas outras obras emblemáticas, como a nova sede da FAU – USP na Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira.

Vilanova Artigas: Prédio da FAU

Vilanova Artigas: Prédio da FAU

O projeto, que foi iniciado em 1961, consiste em um grande paralelepípedo de concreto sustentado por pilares em formato de trapézios duplos.

O principal ponto do projeto de Vilanova Artigas é transmitir a ideia de continuidade espacial. Os seis grandes pavimentos passam a sensação de um só plano e todos os espaços do prédio estão facilmente interligados. As divisões utilizadas não seccionam de fato, apenas marcam diferença de uso.

Além de todas essas obras incríveis do Vilanova Artigas, ele também é o arquiteto que projetou várias casas em condomínios fechados da cidade. Sempre mantendo o seu foco e seu estilo.

Outras obras de Vilanova Artigas:

 

  • “Segunda Residência do Arquiteto”, ou Casa Vilanova Artigas;
Vilanova Artigas: Casa Vilanova Artigas

Vilanova Artigas: Casa Vilanova Artigas

  • Casa dos Triângulos;
Vilanova Artigas: Casa dos Triângulos

Vilanova Artigas: Casa dos Triângulos

Vilanova Artigas: Casa dos Triângulos (Interior)

Vilanova Artigas: Casa dos Triângulos (Interior)

  • Casa Niclewicz;
Vilanova Artigas: Casa Niclewicz

Vilanova Artigas: Casa Niclewicz

  • Casa Mendes André;
Vilanova Artigas: Casa Mendes André

Vilanova Artigas: Casa Mendes André

Vilanova Artigas: Casa Mendes André (Paisagismo)

Vilanova Artigas: Casa Mendes André (Paisagismo)

  • Casa Olga Baeta;
Vilanova Artigas: Casa Olga Baeta

Vilanova Artigas: Casa Olga Baeta

Vilanova Artigas: Casa Olga Baeta (Interior)

Vilanova Artigas: Casa Olga Baeta (Interior)

  • Casa da Criança
Vilanova Artigas: Casa da Criança

Vilanova Artigas: Casa da Criança

Inaugurada em 1955, hoje é a atual sede da Secretaria Municipal da Cultura. O edifício foi construído em dois blocos em forma de L, o primeiro conta com dois pavimentos e o segundo com três.

Assim como nas outras obras de Vilanova Artigas, a Casa da Criança é invadida pelo espaço urbano por meio de superfícies envidraçadas e transparentes. Muitos imóveis à venda relembram essas características em suas construções modernas.

  • Escola Estadual de Itanhaém;
Vilanova Artigas: Escola Estadual de Itanhaém

Vilanova Artigas: Escola Estadual de Itanhaém

  • Anhembi Tênis Clube;
Vilanova Artigas: Anhembi Tênis Clube

Vilanova Artigas: Anhembi Tênis Clube

  • Estádio do Morumbi;
Vilanova Artigas: Estádio do Morumbi

Vilanova Artigas: Estádio do Morumbi

Vilanova Artigas: Estádio do Morumbi

Vilanova Artigas: Estádio do Morumbi

O projeto foi realizado em 1952, com muita determinação e competência. A construção era forte e robusta, com linhas arrojadas e agressivas. Além disso, as conhecidas e famosas colunas em Y sustentavam 700 toneladas de peso cada uma.

O Morumbi tinha capacidade para 156 mil pessoas, o maior estádio particular do mundo da época.

  • Cine Ouro Verde
Vilanova Artigas: Cine Ouro Verde

Vilanova Artigas: Cine Ouro Verde

Localizado em Londrina, no Paraná, foi inaugurado em 1952 e tombado pelo patrimônio estadual em 1999. O teatro recebeu cerca de 1.350 pessoas, entre elas arquitetos, estudantes e turistas. Entretanto, com o passar dos anos e as reformas o número de espectadores foi reduzindo.

Quem é arquiteto certamente já percebeu que a obra segue os mesmos padrões de Vilanova Artigas, porém com alguns detalhes um pouco diferentes. É o projeto que melhor se insere na malha urbana e no contexto das demais edificações da época.

Isso ocorre devido a sua escala, jogo de volumes e as cores adotadas. Aqui, foi muito bem trabalhado o amarelo, vermelho e verde deixando a planta mais complexa e atrativa.

  • Rodoviária de Jaú;
Vilanova Artigas: Rodoviária de Jaú (Interior)

Vilanova Artigas: Rodoviária de Jaú (Interior)

Vilanova Artigas: Rodoviária de Jaú (Exterior)

Vilanova Artigas: Rodoviária de Jaú (Exterior)

  • Edifício Louveira;
Vilanova Artigas: Edifício Louveira

Vilanova Artigas: Edifício Louveira

Vilanova Artigas: Edifício Louveira (Pilotis)

Vilanova Artigas: Edifício Louveira (Pilotis)

  • Casa Taques Bittencourt;
Vilanova Artigas: Casa Taques Bittencourt

Vilanova Artigas: Casa Taques Bittencourt

Vilanova Artigas: Casa Taques Bittencourt (Fachada)

Vilanova Artigas: Casa Taques Bittencourt (Fachada)

  • Garagem de Barcos do Iate Clube Santa Paula;
Vilanova Artigas: Garagem de Barcos do Iate Clube Santa Paula

Vilanova Artigas: Garagem de Barcos do Iate Clube Santa Paula

  • Casa Bettega;
Vilanova Artigas: Casa Bettega

Vilanova Artigas: Casa Bettega

Vilanova Artigas era mestre na criação de grandes obras de arte. Mas e você, domina a arte de divulgar seu trabalho? Conheça o Ciclo do Encantamento, material desenvolvido para arquitetos e designers que querem dar um UP na carreira: