11 etapas essenciais para criar banheiros de condomínios, da academia até o salão de festas!

Áreas comuns em condomínios são espaços de propriedade e uso de todos os moradores que proporcionam descanso, lazer, prática de esportes e interação social.

Dependendo do condomínio, as áreas comuns podem abranger salão de festas, playground, piscina, churrasqueira, academia, área de lazer e outros ambientes.

As áreas comuns são bastante usuais nos condomínios brasileiros e contribuem muito para a valorização do imóvel, sendo inclusive muito importantes nas negociações, podendo influenciar na decisão de compra de um apartamento.

Conforto, comodidade e segurança são as principais qualidades oferecidas pelas áreas comuns de um condomínio. Porém, para que esses requisitos sejam realmente alcançados, é importante que estejam contemplados desde a etapa de projeto.

Uma grande questão nos projetos de áreas comuns é a setorização dos diferentes ambientes: salão de festas e academia, por exemplo, costumam ser dispostos sem comunicação ou acessos diretos entre si.

O projeto de banheiros de áreas comuns em condomínios

 

banheiro-de-condominio

banheiro de condomínio

Outro ponto importante e muitas vezes esquecido é o projeto dos banheiros nessas áreas, que devem estar localizados em pontos estratégicos e atender ao maior número de usuários possível.

Pensando nisso, listamos aqui 11 etapas essenciais a serem consideradas ao projetar banheiros para áreas comuns de condomínios, para lhe ajudar a garantir funcionalidade e eficiência nesses ambientes.

1 – Localização

 

banheiro-de-condominio-planta-areas-comuns

banheiro de condomínio: planta ilustrativa de áreas comuns de condomínio

A localização correta dos banheiros é um item importantíssimo nas áreas comuns de um condomínio, pois também organiza o uso dos outros espaços.

A estratégia mais comum é situar os banheiros próximos das áreas que demandam maior utilização, como academia e piscina.

Essa solução poderá otimizar os espaços, não sendo necessário implantar banheiros internamente aos ambientes, mas sim na área externa, onde poderão ser utilizados ao mesmo tempo pelos usuários desses diferentes espaços.

Espaços com outros usos, como sala de jogos e de estudos, também podem compartilhar banheiros, sendo sempre necessário contar com banheiros masculinos e femininos localizados próximos um ao outro. Isso ajuda na melhor orientação do usuário no espaço.

2 – Dimensionamento

 

O dimensionamento dos banheiros em áreas de uso comum deve obedecer as orientações do Código de Obras e Edificações estabelecido por cada município, de acordo com o fluxo de usuários e em função da atividade desenvolvida.

Segundo o Código de Obras e Edificações do município de São Paulo, o cálculo deve ser feito baseado na lotação da edificação, que representa o número total de usuários que o edifício consegue abrigar e é calculado com base em sua área útil e tipo de utilização.

O cálculo da lotação deve seguir a fórmula:

formula-lotacao

O índice a ser considerado no cálculo para uso habitacional também é dado no Código de Obras:

15. No caso de habitação multifamiliar, ainda é preciso considerar nas áreas de uso comum o mínimo de: 1 bacia, 1 lavatório, 1 chuveiro, separados por sexo.

As instalações sanitárias devem ser dimensionadas em razão do tipo de peças que contiverem, conforme a tabela:

tabela-dimensionamento

3 – Banheiros de salão de festa

 

banheiro-de-condominio-salao-de-festas

banheiro de condomínio: banheiro feminino de salão de festas

O salão de festas é um dos espaços mais utilizados pelos moradores, e já se tornou um ambiente indispensável nos empreendimentos, atribuindo mais opções de lazer e agregando valor ao imóvel.

Projetados como espaços amplos e aconchegantes, os salões de festas devem ser pensados para que todos consigam desfrutar de bons momentos, reunindo amigos e familiares sem precisar sair de casa. Para isso, o conforto deve estar em primeiro lugar.

No caso dos banheiros de salões de festas, recomenda-se que estejam localizados dentro do ambiente, e que se conte com pelo menos um banheiro completo para o sexo feminino e outro masculino.

Uma boa estratégia quando não se tem muito espaço disponível é separar o lavatório das cabines de vasos sanitários. Dessa forma, o mesmo lavatório pode ser utilizado tanto por homens quanto mulheres.

4 – Banheiros de academia e piscina

 

banheiro-de-condominio-banheiros-de-uso-comum

banheiro de condomínio: banheiros de uso comum

Academia e piscina também são importantes ambientes de uso comum em um condomínio.

O uso intenso desses espaços demanda uma maior disponibilidade de banheiros para atender principalmente nos períodos de alto fluxo.

É interessante também que os banheiros dessas áreas contem com outros equipamentos como chuveiro, bancos e armários, porém, não são itens obrigatórios.

Veja também: como escolher chuveiro – 9 pontos essenciais para fazer a escolha certa

5 – Incluir área para trocador

 

É muito importante que os banheiros de áreas comuns contem com áreas de apoio para higiene de bebês e crianças. Por isso é interessante que os banheiros contem com uma área específica para trocador.

Lembrando que não apenas as mulheres trocam seus filhos, sendo recomendado também a instalação do trocador no sanitário masculino.

Outra opção também utilizada em projetos de áreas comuns é incluir um ambiente separado para essa função, externo aos banheiros.

6 – Escolher materiais de piso

 

banheiro-de-condominio-materiais-em-pisos

banheiro de condomínio: materiais em pisos de banheiros de uso comum

Ao escolher materiais de piso para banheiros de áreas comuns, devemos sempre lembrar que esses ambientes receberão menor manutenção do que banheiros de uso residencial, portanto é importantíssimo que apresentem alta durabilidade para não onerar o orçamento do condomínio. Por isso, é necessário avaliar também a relação custo-benefício dos materiais. Muitas vezes vale a pena investir em uma material com maior preço mas com mais qualidade e durabilidade.

Por se tratarem de áreas úmidas, o piso dos banheiros deve ser resistente à umidade, principalmente em banheiros de academias, salões de festas, saunas, etc. Além disso, os pisos devem ter acabamento antiderrapante, visando a segurança dos usuários.

Quanto à limpeza e manutenção, deve-se evitar o uso de revestimentos ou materiais porosos, pois podem acumular fungos e dificultar a remoção da sujeira.

Veja mais sobre pisos:

7 – Escolher materiais de paredes

 

banheiro-de-condominio-materiais-em-parede

banheiro de condomínio: materiais em paredes de banheiros de uso comum

Assim como na escolha do piso, a escolha dos materiais de parede deve ser pautada pelos quesitos durabilidade e baixa manutenção, não esquecendo também do efeito estético: é importante que os banheiros mantenham a mesma linguagem utilizada na decoração dos  outros ambientes das áreas comuns.

Recomenda-se proteger as superfícies da umidade, portanto é interessante revestir as paredes com acabamentos de fácil limpeza, como azulejos cerâmicos, por exemplo.

Cores claras e neutras podem ser interessantes por transmitirem maior sensação de limpeza, mas deve-se lembrar que ao mesmo tempo ressaltam sujeiras e resíduos que podem ter sido acumulados ao longo do dia.

Vai usar azulejo? Veja como calcular metro quadrado para piso e azulejos – com exemplos!

8 – Escolher louças

 

banheiro-de-condominio-loucas

banheiro de condomínio: lavatórios em banheiro de uso comum

A escolha das louças dependerá do ambiente em que estão instalados os banheiros.

Banheiros de salões de festas, por exemplo, podem receber louças mais elegantes e de design diferenciado, já para áreas como piscina e academia, o critério deve ser durabilidade e baixa manutenção.

Em banheiro muito pequenos, recomenda-se a utilização de cubas de semi-encaixe, que permitem o uso de bancadas com menos profundidade. Devido a questões de higiene, a louça sanitária deve ser branca, garantindo também maior aspecto de limpeza.

Quanto ao modelo de bacias sanitárias, é importante avaliar o item manutenção: nesse caso, modelos de caixa acoplada apresentam melhor desempenho e também contribuem na questão da sustentabilidade, evitando desperdício de água.

Não sabe qual utilizar? Confira as opções dentro dos catálogos da Deca:

cta-lp-catalogos-deca

9 – Escolher metais

 

banheiro-de-condominio-materiais

banheiro de condomínio: metais em banheiros de uso comum

Em banheiros de uso comum, recomenda-se o uso de torneiras automatizadas, com acionamento de pulsar ou por sensor. Esses modelos apresentam vantagens como economia de água e facilidade de operação.  No caso de torneiras com sensor, a grande vantagem é que elas evitam o contato com a peça, diminuindo assim riscos de contaminação do usuário.

Também por se tratar de um banheiro de uso público, é importante considerar a utilização de materiais resistentes ao vandalismo, já disponíveis no mercado.

10 – Incluir móveis nos banheiros?

 

banheiro-de-condominio-gabinete

banheiro de condomínio: banheiro de uso comum com gabinete

A inclusão de móveis em banheiros de áreas comuns deve ser avaliada com critério.

Por se tratarem de banheiros de uso público, nem sempre é possível garantir uma vida útil longa do mobiliário, e nesse caso, deve-se ponderar também a questão do custo/benefício.

Geralmente os projetos de banheiros contam apenas com bancada sem gabinete, no máximo um pranchão abaixo da pia para apoio de materiais e objetos.

Artigos de higiene como sabonete, papel higiênico e papel toalha são materiais que dificilmente ficam armazenados no banheiro, mas sim em áreas de depósito e armazenamento geral do condomínio, dispensando assim a necessidade de mobiliário para essa função.

Dessa forma, convém utilizar apenas elementos decorativos, como nichos de paredes ou prateleiras fixas, evitando também o uso de objetos facilmente transportáveis.

Já banheiros academia, por exemplo, podem contar com mobiliários como armários e bancos para auxílio na troca de roupa.

11 – Considerar a acessibilidade

 

banheiro-de-condominio-acessivel

banheiro de condomínio acessível

A acessibilidade é um item importantíssimo a ser considerado em banheiros de áreas comuns.

O conceito de acessibilidade vai muito além da locomoção de pessoas, incluindo também o uso dos espaços com autonomia. Portanto, é necessário que todos os moradores, mesmo apresentando algum tipo de deficiência ou necessidade especial, consigam utilizar os banheiros com segurança e conforto.

No caso de áreas de comuns de condomínios, desde 2004, o artigo 18 do decreto n° 5.296 estabelece que edificações residenciais multifamiliares novas devem atender às regras de acessibilidade na construção em todas as áreas de uso comum, como salões de festas, banheiros, portarias, garagens, entre outros.

Já em prédios mais antigos, a Lei estabelece que as mudanças devem ser realizadas dentro do possível – já que muitas vezes a estrutura do prédio pode não comportar as mudanças necessárias à adaptação.

No caso dos banheiros acessíveis, piso nivelado, área para manobras com cadeira de rodas, maçanetas de alavanca e torneiras ao alcance do usuário são alguns dos cuidados necessários ao projeto. Todos os requisitos estão estabelecidos na Norma Técnica de Acessibilidade a Edificações, Mobiliário, Espaços e Equipamentos Urbanos (NBR 9050: 2015), formulada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Mesmo sendo um espaço normatizado, o banheiro PNE pode ser um ambiente bonito e sofisticado, como qualquer outro banheiro, basta contar com soluções criativas de projeto.

Gostou das dicas? Veja também como projetar o banheiro de diversos outros locais:

Este post foi escrito pela Deca, maior fabricante de louças e metais sanitários do Hemisfério Sul.