O sentimentalismo e a nostalgia da arquitetura romântica

A história da arquitetura é marcada por estilos clássicos e originais, como a arquitetura romana, e outros da idade moderna, que resgatam elementos do passado.

Um deles é a arquitetura romântica, que trouxe um período de revivalismo com os movimentos neogótico, neorromânico, neobarroco, entre outros.

Apesar de não ter sido um estilo tão marcante e original, a arquitetura romântica fez parte de um intenso período de transição arquitetônica, especialmente no Brasil.

Neste artigo, vamos mostrar as suas características, obras e influência na arquitetura brasileira. Acompanhe!

Leia mais sobre estilos arquitetônicos:

Romantismo na arquitetura: origem

 

O romantismo foi um movimento artístico, político e filosófico que surgiu no século XVIII.

Ele influenciou artistas e escritores a privilegiar as emoções, valores pessoais, subjetividade e vulnerabilidade em seus trabalhos.

O movimento foi forte na literatura e nas artes, mas também mudou a arquitetura na época.

O romantismo na arquitetura, também conhecido como arquitetura romântica, nasceu na Inglaterra e teve destaque entre os séculos XVIII e XIX.

Ele surgiu como um movimento de oposição à arquitetura neoclássica. O estilo é marcado pelo resgate da arquitetura medieval, do oriente, e o predomínio de temas exóticos.

Dentro do romantismo, a arquitetura seguiu o discurso pitoresco. Ele é caracterizado por aspectos excêntricos, inusitados e que fugiam da simetria exaltada na arquitetura neoclássica.

O romantismo na arquitetura: características

 

  • Rejeição das regras da arquitetura neoclássica (ordem, proporção, simetria, harmonia)
  • Irregularidade espacial e volumétrica
  • Sentido orgânico das formas
  • Elementos pitorescos na decoração
  • Uso de cores

O revivalismo na arquitetura romântica

 

A arquitetura romântica é marcada também pelo revivalismo. Trata-se do uso de formas, figuras e soluções técnicas de uma época do passado para a solução de problemas presentes.

A arquitetura neoclássica, por exemplo, foi um movimento de revivalismo.

Neogótico

 

Em sua primeira fase, o estilo romântico na arquitetura resgatou elementos da arquitetura medieval, e foi aí que surgiu o movimento neogótico.

Esse estilo teve forte presença na Europa e na América do Norte.

Suas principais características são a ogiva, a torre agulhada, a rosácea, o trifólio (vindos da arquitetura religiosa), e a torre e os muros de cimalha serrada, originários dos castelos medievais.

O palacete Strawberry Hill e o Palácio de Westminster são exemplos de obras neogóticas.

Arquitetura romântica: palacete Strawberry Hill (restaurado)

Arquitetura romântica: Palacete Strawberry Hill (restaurado)

Arquitetura romântica: Palácio de Westminster

Arquitetura romântica: Palácio de Westminster

Mas o neogótico não foi a única tendência de revivalismo dentro da arquitetura romântica. Podemos citar também as construções neo-românicas, neo-barrocas e neo-mouriscas.

Neorromânico

 

A arquitetura reorromânica aparece principalmente em Igrejas. Ela surgiu no século XIX e espalhou-se pela Europa e Américas.

Nos Estados Unidos costuma aparecer em edifícios públicos e universidades.

O uso de tijolos ou pedra monocromática, a forte presença de arcos plenos sobre os vãos e torres poligonais nas laterais das fachadas são algumas das características da arquitetura neorromânica.

Arquitetura romântica: Edifício principal da Universidade da Califórnia

Arquitetura romântica: Edifício principal da Universidade da Califórnia

Arquitetura romântica: Catedral de Reggio di Calabria

Arquitetura romântica: Catedral de Reggio di Calabria

Arquitetura romântica: Catedral de Marselha

Arquitetura romântica: Catedral de Marselha

Uma das obras mais famosas da arquitetura romântica, o Castelo de Neuschwanstein, também foi construído no estilo neorromânico.

Arquitetura romântica: Castelo Neuschwanstein

Arquitetura romântica: Castelo Neuschwanstein

Neobarroco

 

O estilo neobarroco está ligado à aristocracia europeia que surgiu a partir de 1880. Ele foi aplicado na construção de edifícios, igrejas, palácios e teatros.

A Ópera Garnier (França), um dos ícones da arquitetura romântica, faz parte do estilo neobarroco

Arquitetura romântica: Ópera Garnier

Arquitetura romântica: Ópera Garnier

Entre outras obras, podemos citar também o Museu Bode (Alemanha), o Palácio Akasaka (Japão) e o Palácio Christiansborg (Dinamarca).

Arquitetura romântica: Museu Bode

Arquitetura romântica: Museu Bode

Arquitetura romântica: Palácio Akasaka

Arquitetura romântica: Palácio Akasaka

Arquitetura romântica: Palácio Christiansborg

Arquitetura romântica: Palácio Christiansborg

Confira também: A imponente arquitetura barroca e seu maior expoente, Aleijadinho

Neomourisco

 

O estilo neomourisco, também conhecido como neoislâmico, surgiu na Europa no século XIX.

Nascido na Inglaterra, ele teve origem no fascínio pela cultura dos países do Oriente. O Pavilhão Real de Brighton, projetado por John Nash, é um exemplo de obra neomourisca. Ele tem cúpulas em forma de cebola e minaretes.

Arquitetura romântica: Pavilhão Real de Brighton

Arquitetura romântica: Pavilhão Real de Brighton

O estilo neomourisco está presente em muitas sinagogas na Europa como a Sinagoga de Dohány (Hungria), a Sinagoga Espanhola de Praga (República Tcheca) e a Sinagoga de Florença (Itália).

Arquitetura romântica: Sinagoga de Dohány

Arquitetura romântica: Sinagoga de Dohány

Arquitetura romântica: Sinagoga Espanhola de Praga

Arquitetura romântica: Sinagoga Espanhola de Praga

Arquitetura romântica: Sinagoga de Florença

Arquitetura romântica: Sinagoga de Florença

Para distinguir uma obra de estilo arquitetônico original de uma construção revivalista, é só observar a sua estrutura.

Se a obra é feita com materiais mais modernos, como concreto e ferro, então ela é de um estilo neo-tradicional. Já se a construção apresenta materiais mais antigos, trata-se de uma estrutura tradicional.

Arquitetura romântica em Portugal

 

A arquitetura romântica em Portugal chegou tarde, por volta de 1830. A Guerra Peninsular e a fuga da Família Real para o Brasil são alguns dos motivos que explicam esse surgimento tardio.

Mesmo assim, é lá que temos algumas das mais belas obras da arquitetura romântica, como o Palácio da Pena, a Capela dos Pestanas e o Salão Nobre do Palácio da Bolsa.

Arquitetura romântica: Palácio da Pena

Arquitetura romântica: Palácio da Pena

Arquitetura romântica: Capela dos Pestanas

Arquitetura romântica: Capela dos Pestanas

arquitetura romântica: Salão Nobre do Palácio da Bolsa

Arquitetura romântica: Salão Nobre do Palácio da Bolsa

Arquitetura do romantismo no Brasil

 

A arquitetura romântica no Brasil surgiu a partir do século XIX com a expansão do ecletismo –  mistura de estilos arquitetônicos do passado.

Nesse período, alguns críticos influentes como Gonzaga Duque começaram a questionar a forte presença da arquitetura colonial no Brasil.

Eles alegavam que ela era feia, pesada e excessivamente influenciada pela religião.

Foi aí que as instâncias oficiais começaram a empregar o ecletismo em suas obras, sob influências principalmente da arquitetura francesa e italiana.

A arquitetura romântica no Brasil é é caracterizada pela decoração rebuscada e luxuosa, tanto o interior das obras como na fachada.

O estilo neogótico se manifestou em diversas obras naquele período.

Uma das características é o arco ogival e os vitrais, típicos da arquitetura gótica tradicional. A Catedral da Sé, em São Paulo, é uma das obras mais famosas do estilo.

Arquitetura romântica: Catedral da Sé

Arquitetura romântica: Catedral da Sé

Outra obra famosa da arquitetura romântica no Brasil é o Teatro Municipal de São Paulo. Inspirado na Ópera Garnier, ele segue o estilo eclético com elementos renascentistas, barrocos e de Art Nouveau.

Obras da arquitetura romântica no Brasil

 

  • Capela de Santo Antônio (Rio Grande do Sul)
Arquitetura romântica: Capela de Santo Antônio (Rio Grande do Sul)

Arquitetura romântica: Capela de Santo Antônio (Rio Grande do Sul)

  • Catedral de Caxias do Sul (Rio Grande do Sul)
Arquitetura romântica: Catedral de Caxias do Sul (Rio Grande do Sul)

Arquitetura romântica: Catedral de Caxias do Sul (Rio Grande do Sul)

A arquitetura romântica trouxe obras que misturaram vários estilos clássicos. Mesmo que não tenha trazido grandes inovações, ela marcou uma importante fase de transição que antecedeu a arquitetura moderna.

Para continuar essa viagem no tempo, receba nosso material e conheça os estilos de arquitetura que marcaram a história: