Carla Juaçaba: a arquiteta brasileira que chamou a atenção do mundo para a sustentabilidade

Carla Juaçaba é uma das mulheres mais importantes da arquitetura brasileira.

Seu talento foi conhecido pelo mundo em 2013, quando ela foi a primeira ganhadora de uma importante premiação da arquitetura na Itália.

Além disso, ela também já expôs seu trabalho com grandes nomes da arquitetura como Eduardo Souto de Moura e Norman Foster.

A sensibilidade da arquiteta, presente em sua fala tranquila, aparece em seus projetos que misturam tecnologia, sustentabilidade e responsabilidade social.

Ficou curioso para conhecer essa trajetória de sucesso? Neste artigo, você vai conferir a biografia e obras de Carla Juaçaba. Acompanhe!

Conheça outros grandes arquitetos brasileiros:

Carla Juaçaba: biografia

 

Carla Juaçaba

Carla Juaçaba

Carla Juaçaba nasceu no Rio de Janeiro, em 1976. Ela se formou em arquitetura na Universidade Santa Úrsula, em 1999, e a partir de 2000 começou a atuar em seu próprio escritório.

Uma curiosidade é que a Universidade Santa Úrsula foi a primeira a abrir vagas para mulheres no Rio. Esse histórico coincide com a importância de Carla Juaçaba quando falamos de mulheres na arquitetura.

Em 2013, ela foi a vencedora da primeira edição do Prêmio arcVision – Mulheres e Arquitetura. Realizado na Itália, ele tem como objetivo reconhecer anualmente arquitetas que apresentam excelência, tecnologia e implicação sociocultural em seus projetos.

Carla Juaçaba foi premiada pelo projeto do Pavilhão Humanidade 2012, realizado em parceria com Bia Lessa e Pedro Perdeneiras para a Conferência das Nações Unidas sobre Sustentabilidade Rio + 20.

Após a premiação, ela ainda foi convidada pelo Vaticano para participar da 16ª Bienal de Arquitetura de Veneza, realizada no primeiro semestre de 2018.

Lá a arquiteta brasileira expôs no Pavilhão de Santa Fé junto com projetos de nomes icônicos da arquitetura, como Eduardo Souto de Moura e Norman Foster.

Carla Juaçaba também é palestrante e já esteve presente em eventos na Harvard Graduate School of Design, Universidade de Toronto e na escola de arquitetura da Universidade de Columbia.

Além do Prêmio arcVision, ela também foi vencedora do 1º prêmio CSN na Construção Civil, além de ser indicada em várias premiações.

O instagram oficial da arquiteta é @carlajuacaba

Conheça 10 arquitetas famosas e suas obras reconhecidas mundialmente

Carla Juaçaba: obras

 

Carla Juaçaba é conhecida por seu trabalho de caráter experimental em instalações temporárias e habitações. Seus projetos residenciais chamam a atenção pela arquitetura moderna e orgânica.

Conheça agora suas principais obras:

Casa Rio Bonito

 

Carla Juaçaba: Casa Rio Bonito

Carla Juaçaba: Casa Rio Bonito

Carla Juaçaba: Casa Rio Bonito (claraboia de vidro)

Carla Juaçaba: Casa Rio Bonito (claraboia de vidro)

A Casa Rio Bonito fica localizada em Nova Friburgo (Rio de Janeiro) e recebeu menção honrosa na 40º Premiação Anual do IAB/RJ 2002.

Ela é composta por poucos elementos e o destaque fica por conta do contraste entre seus principais materiais: pedra e vidro.

A obra traz influência de dois arquitetos famosos: Mies van der Rohe e Frank Lloyd Wright.

Dois muros de pedra apoiam quatro vigas metálicas de 12 metros de comprimento, responsáveis pela sustentação das lajes de piso e de cobertura que delimitam a casa suspensa.

A residência ainda conta com duas claraboias de vidro, uma em cada extremidade, aproveitando da iluminação zenital para criar um ambiente aquecido e bem iluminado.

Devido a localização em uma região serrana, foi incluída também uma lareira no único quarto e um fogão a lenha na cozinha.

Também quer criar um ambiente com a temperatura ideal? Descubra como conseguir conforto térmico em qualquer ambiente

Casa Varanda

 

Casa Varanda: Carla Juaçaba

Casa Varanda: Carla Juaçaba

Carla Juaçaba: Casa Varanda

Carla Juaçaba: Casa Varanda

A Casa Varanda também fica localizada no Rio de Janeiro. O objetivo inicial do projeto foi preservar as árvores centenárias ao redor, um desafio para a equipe de Carla Juaçaba.

A fachada principal é de vidro, o que permite enxergar a composição do interior do imóvel: a sala ao centro e os dormitórios nos extremos. Já a estrutura é feita de aço corten.

No teto, a claraboia aparece com um “rasgo” que ilumina toda a casa e permite a visão da natureza ao redor.

Devido a localização do imóvel, que fica em um local sujeito a inundações, o piso foi suspenso em 80 cm.

Casa Santa Teresa

 

Carla Juaçaba: Casa Santa Teresa (cobertura)

Carla Juaçaba: Casa Santa Teresa (cobertura)

Carla Juaçaba: Casa Santa Teresa

Carla Juaçaba: Casa Santa Teresa

A Casa Teresa, localizada no Rio de Janeiro, foi erguida em um terreno em declive rodeado de uma intensa área verde.

De um lado temos a galeria com o teto de vidro, e do outro, o lado mais íntimo da casa, encontra-se a sala de estar com um pé direito maior.

A cobertura é metálica e tem forro de madeira.

Pavilhão de Santa Fé

 

Carla Juaçaba: Pavilhão de Santa Fé

Carla Juaçaba: Pavilhão de Santa Fé

Carla Juaçaba: Pavilhão de Santa Fé (vista aérea)

Carla Juaçaba: Pavilhão de Santa Fé (vista aérea)

A capela de Carla Juaçaba no Pavilhão de Santa Fé chama a atenção devido ao seu minimalismo e significados.

A obra é composta, basicamente, de uma cruz em pé e outra deitada. Trata-se de quatro vigas de seção quadrada de 12 por 12 cm e com 8 m de comprimento.

Uma delas é o banco e a outra representa o altar típico da arquitetura sacra. De acordo com o reflexo do sol e o ângulo em que se olha, a capela chega a desaparecer na floresta.

A obra se integra à vegetação ao redor que forma o interior e teto da capela. De acordo com a arquiteta, a intenção desse “desaparecimento” foi falar de maneira metafórica sobre a passagem da vida, o existir e o não existir.

Pavilhão Humanidade 2012

 

Carla Juaçaba: Pavilhão Humanidade 2012

Carla Juaçaba: Pavilhão Humanidade 2012

Carla Juaçaba: Pavilhão Humanidade 2012 (interior)

Carla Juaçaba: Pavilhão Humanidade 2012 (interior)

O Pavilhão Humanidade 2012 foi instalado no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, durante a realização da RIO+20.

Ele foi projetado por Carla Juaçaba em parceria com Bia Lessa e Pedro Perdeneiras.

O edifício, de 170 metros de extensão, 40 metros de largura e 20 de altura, recebeu mais de 200 mil visitantes, superando expectativas.

Ele foi construído com uma estrutura metálica composta por cinco paredes paralelas dispostas em todo comprimento do forte.

Os materiais usados nos andaimes foram utilizados em projetos anteriores, chamando a atenção para a sustentabilidade na arquitetura.

A estrutura vazada, exposta a todas as condições climáticas (luz, calor, chuva, vento) teve como objetivo lembrar o homem da sua fragilidade diante da natureza.

Dentro do Pavilhão foram inseridos salas expositivas, área de alimentação, auditório para 500 pessoas, áreas administrativas, entre outros ambientes abertos ao público.

Gostou de conhecer as obras dessa grande arquiteta? Agora que você se inspirou com todo o talento de Carla Juaçaba, confira as dicas de especialistas que vão dar um UP na sua carreira: